andredecourt's photo de 10/01/04

Uma visão das cúpulas do Palácio Monroe nos anos 50, ainda com as varandas abertas e os jardins sem carros

O Monroe foi o pavilhão Brasileiro na exposição Internacional de St. Lois nos EUA em 1899, foi projetado por Francisco Marcelino Souza Aguiar, usando-se estrutura metálica, com capa de concreto, uma grande novidade na época .
O estilo do pavilhão, com suas 3 cúpulas fez grande sucesso na exposição, maravilhando a imprensa americana presente, o resultado é que ganhou a medalha de ouro de melhor pavilhão .
Foi remontado aqui no Brasil em 1904-6, inicialmente abrigando a Convenção Sul-americana, Câmara dos Deputados e finalmente o Senado, não foi tombado sabe-se lá por que, e demolido por vingança de um general, Ernesto Geisel o qual cultivava um ferrenho ódio contra um colega de farda que tinha sido preferido em uma promoção… O outro general tinha o sobrenome Souza Aguiar e era filho do projetista do palácio.
Como agora ele tinha o poder podia se vingar, demolindo uma das obras mais emblemáticas do pai do seu desafeto.. ou seja além de tudo o palácio foi demolido por uma vendeta de um general que estava lá pois seus colegas tinham se apeado no poder, dando um golpe de ocupação como o Brasil nunca tinha visto antes, e o pior com a chancela de Lúcio Costa a qual vários arquitetos nunca perdoaram, ele chegou a passar listinhas nas associações dos arquitetos para assinar e justificar a sua demolição, o dr. Roberto Marinho também apoiava sua demolição, contra se levantaram o IAB, o Jornal do Brasil e quase todos os Cariocas, que não foram ouvidos, aliás como hoje, os Cariocas continuam não sendo ouvidos ….
Tem-se também o árduo trabalho da ditadura para desmoralizar e enfraquecer a Guanabara, próspero celeiro da oposição, primeiro fundindo-a com um estado atrasado em todos os aspectos, dominado anos por populistas e um elite agrária e coronelista, e depois demolindo todos os símbolos do antigo poder que a cidade ainda possuía, no governo Geisel caíram o palácio Monroe, o antigo Ministério da Agricultura, praticamente todas as antigas embaixadas, pois em seus terrenos a prefeitura da cidade ( o prefeito era nomeado) aumentava estupidamente o gabarito, dentre outras várias pequenas coisas …

Comments (11)

cochesdecuba 10/01/04 00:33 …

Una Ural para ud. en /cochesdecuba.

danischa 10/01/04 00:59 …

Belíssimo…

Esses dias eu li, não sei aonde, que o Palácio Monroe foi a primeira obra de arquitetura brasileira a ser premiada internacionalmente. É isso mesmo? Conta um pouco da história dele, vai!

É… está me dando vontade de sentar na calçada e chorar de novo…

boreli 10/01/04 04:50 …

O Palácio é bonito mesmo. . .

aqua_man 10/01/04 06:20 …

Rapaz, essa foto está sensacional! O palácio visto de cima, acho que é coisa rara isso. Mandou bem.

Keila 10/01/04 20:56 …

Se o Monroe era “desmontável”, por que simplesmente não o colocaram em outro lugar ao invés de tê-lo destruído?

andredecourt 10/01/04 21:20 …

Bem, o Monroe foi o pavilhão Brasileiro na exposição Internacional de St. Lois nos EUA em 1899, foi projetado por Francisco Marcelino Souza Aguiar, usando-se estrutura metálica, com capa de concreto, uma grande novidade na época .
O estilo do pavilhão, com suas 3 cúpulas fez grande sucesso na exposição, maravilhando a imprensa americana presente, o resultado é que ganhou a medalha de ouro de melhor pavilhão .
Foi remontado aqui no Brasil em 1904-6, inicialmente abrigando a Convenção Sul-americana, Câmara dos Deputados e finalmente o Senado, não foi tombado sabe-se lá por que, e demolido por vingança de um general, Ernesto Geisel o qual cultivava um ferrenho ódio contra um colega de farda que tinha sido preferido em uma promoção… O outro general tinha o sobrenome Souza Aguiar e era filho do projetista do palácio.

andredecourt 10/01/04 21:22 …

continuando…
Como agora ele tinha o poder podia se vingar, demolindo uma das obras mais emblemáticas do pai do seu desafeto.. ou seja além de tudo o palácio foi demolido por uma vendeta de um general que estava lá pois seus colegas tinham se apeado no poder, dando um golpe de ocupação como o Brasil nunca tinha visto antes, e o pior com a chancela de Lúcio Costa a qual vários arquitetos nunca perdoaram, ele chegou a passar listinhas nas associações dos arquitetos para assinar e justificar a sua demolição, o dr. Roberto Marinho também apoiava sua demolição, contra se levantaram o IAB, o Jornal do Brasil e quase todos os Cariocas, que não foram ouvidos, aliás como hoje, os Cariocas continuam não sendo ouvidos ….
Tem-se também o árduo trabalho da ditadura para desmoralizar e enfraquecer a Guanabara, próspero celeiro da oposição, primeiro fundindo-a com um estado atrasado em todos os aspectos, dominado anos por populistas e um elite agrária e coronelista, e depois demolindo todos os símbolos do antigo poder que a cidade ainda possuía, no governo Geisel caíram o palácio Monroe, o antigo Ministério da Agricultura, praticamente todas as antigas embaixadas, pois em seus terrenos a prefeitura da cidade ( o prefeito era nomeado) aumentava estupidamente o gabarito, dentre outras várias pequenas coisas …

andredecourt 10/01/04 22:01 …

/crispassinato e /mariaritamariano @ 2004-01-10 21:53 said:
Não, era uma foto do Colégio Pedro II, Centro, bem antiga, muito legal…

Ué não achei lá, será que tiraram ??

alexss 11/01/04 21:27 …

Essa photo de cima, eh muito legal!

muckie 13/01/04 21:59 …

olha isso cara
pq kerem destruir a cidade mais linda do mundo?

calmbach 18/04/06 13:45 …

Não esquecer que na época, os detentores do poder estavam montando suas dachas na serra e aproveitaram com grande economia os materiais de boa qualidade que sobraram da demolição. Vitrais, leões, colunas, espelhos, esquadrias, pisos etc etc encontram-se hoje espalhados pelos sítios do pessoal da elite de então. Políticos que iam despachar com Geisel no Min. da Agricultura, entravam em contato com a firma de demolição para fazer encomendas. Uma verdadeira rapinagem.