andredecourt's foto van 5-8-04

Hoje faz 50 anos do dia do crime do rua Tonelero, onde capangas contratados por Gregório Fortunato homem de confiança de Getúlio que num gesto destemperado resolveu silenciar a oposição ao seu chefe de maneira truculenta.
Foi feita então a emboscada e estava tudo pronto para o crime, no momento que Lacerda tentava entrar no prédio chamando um funcionário, pois tinha esquecido a chave da portaria, os dois pistoleiros começaram a se aproximar e sacaram suas armas, para logo atirar.
Talvez o que eles não soubessem é que Lacerda estava armado, trocando tiros a ponto de esvaziar o tambor de seu revolver, esse ato inesperado fez os pistoleiros saírem em desabalada carreira pela rua Paula Freitas, mas cessado o tiroteio, algo para os pacatos anos 50 inimaginável numa via da Princesinha do Mar, o Major Rubens Vaz jazia caído na calçada, certamente alvejado primeiro como forma de neutralizar o segurança.
Esse atentado deu uma reviravolta na vida política do país, que estava se acomodando com uma superação de Vargas sobre as crises pretéritas, até Lacerda tinha acalmado seus impulsos golpistas, e como também podemos ver acompanhando a seção Há 50 Anos do jornal O Globo, que as coisas estavam bem calmas, pois O Globo era considerado de oposição, e vínhamos acompanhando nessa seção uma calmaria nas manchetes.
Quanto Lacerda foi governador da Guanabara, e implementou um projeto impressionante de modernização da cidade estado, o túnel aberto a pouco mais de 500 metros do atentado, ganhou o nome de Major Rubens Vaz.
Essa foto das obras de construção do túnel Major Rubens Vaz, que liga as ruas Tonelero à Pompeu Loreiro .
Essa foto é tirada da boca da rua Tonelero, reparem pelo poste de iluminação pública a extrema esquerda e ao bueiro à direita (na frente do caminhão) o quanto a rua foi alargada, onde deveria ser a calçada agora é rua .
O alargamento da rua Tonelero a partir da esquina com a Figueiredo Magalhães foi um dos mais agressivos, a arborização pública sumiu as calçadas foram tão reduzidas que defronte as casas que ainda restavam, respeitando o alinhamento antigo sem o afastamento obrigatório para os edifícios, a calçada desapareceu.
Ou seja, quando chega nesse limite e por alguns centímetros quase o estado da Guanabara escapou de fazer desapropriação parcial dos lotes .
Cadernos do Edmundo

Comments (35)

rbpdesigner 5-8-04 16:44 …

me senti vendo a cena do tiroteio!!!
muito bem contada história
a foto ainda não abre…
já apertei f5 trocentas vezes…
[]s

andredecourt 5-8-04 16:49 …

O tumb já abriu, e viva o fotolog !!!

Paidososo 5-8-04 16:53 …

Importante registro,Parabens

andredecourt 5-8-04 16:56 …

Eduardo Bertoni e demais, noitada o escambau estava no Forum, aliás vários foruns, Niteroi, Comarca da Capital e Juizado do Humaitá, e prá complicar os seventuários entraram em greve contra o casal Inho, por promessas de campanha não cumpridas, tais como o resto do funcionalismo público estadual eles estão entre 12 e 10 anos sem nenhum aumento !!!!

alvarogabriel@openlink.com.br 5-8-04 16:57 …

André, uma perguntinha básica que não deve ofender a Pasquale Netto algum: o nome certo da rua é: Toneleiros, Toneleiro, Tonelero ou Toneleros ? Juro que já vi, na mesma rua, placas grafadas de forma diferente. Será que elas mudam ao sabor do analfabetismo do Secretário de Obras e Viação Pública ?

andredecourt 5-8-04 16:57 …

Aliás depois do dia de hoje estou topando convites para um chope !!!

andredecourt 5-8-04 17:05 …

Hahahahaha Alvaro esse é o maior mistério da cidade..hehehehe, os nomes das placas mudam ao sabor do vento, numa esquina muitas vezes vemos 3 ou 4 placas com diferentes nomes.
Mas o nome correto é Tonelero, pelo menos é assim que o poder público municipal reconhece.
É como deve ser escrito o nome de uma importante batalha na bacia do Prata da Gerra contra Oribe e Rosas 1851-52 onde nossa marinha participou, vai aí um trechinho da descrição da medalha Tonelero :
“Medalha de Tonelero. Criada pelo mesmo decreto da anterior. Destinou-se a premiar os componentes da Esquadra em Operações no Rio da Prata que lutaram na batalha naval de Tonelero, de 17 dez 1851. As dimensões, metais, uso e fita são idênticos a Medalha da Campanha Naval.

No reverso as datas 1851-1852 são substituídas pela data da batalha 17-1851-12 (17 dez 1855) e legenda Campanha Naval do Rio da Prata e acrescida das palavras E.C de Tonelero.”

betob 5-8-04 17:33 …

Excelente texto…esse túnel, pelo que vi recentemente na TV, virou banheiro de taxista.

joelmarinho 5-8-04 17:37 …

caramba….cheio de sabidos por aqui…, vou sair de fininho….! os meninos sabem tudo…!

jro 5-8-04 17:37 …

André, meu caro,
Ainda estou na city.
Se o chopp estiver de pé, me ligue, me mande um imêiu, ou made um pombo-correio, ou bata os tambores……
18:40

JRO :-) )

PS – Quantas enciclopédias voce comeu quando era criança ?

:-) )))))))))

andredecourt 5-8-04 17:43 …

Zé Rodrigo acabo de chegar em casa… tirei o terno, e estou com os pés prô alto, qualquer coisa pela ZS eu estou topando !!

tumminelli 5-8-04 17:46 …

O que houve???? Achei que hj não fosse ter nada!

Esse negocio de nome de rua é emgraçado. A minha eu já vi escrita com Y: Ayres, depopis colocaram um “de”. Aires de Saldanha. Mas o nome certo é Aires de Saldanha mesmo. O nome do Governador do rio lá pelos idos de 17 e poucos…

Você me obriga a por a foto aérea onde esse tunel não aperece…

Alás, o estado da placa comemorativa de inaugração desse tunel está lastimavel. IMUNDA!

tumminelli 5-8-04 17:47 …

é 1700 e poucos… esqueci dos zeros aí em cima…

;-) )))

andredecourt 5-8-04 17:48 …

Roberto, de manhã lá pelas 10, essa birosca estava fora do ar, só pude postar agora, quando cheguei

guermantes 5-8-04 18:02 …

TRAIDOR!!!!!

leors 5-8-04 18:22 …

Bela aula de história!

eduardo bertoni 5-8-04 18:30 …

Forums …hummmmmmmmmmmmmmm…
Continuo a morrer de pena do Mj. Vaz. Que maneira mais desagradável de passar para tenente-coronel…

henrique 5-8-04 18:52 …

Bem….essa foto tem muito a ver comigo.
De 1957 a 1961, eu morei na Rua Pompeu Loureiro.
Era uma rua de calçadas super largas onde nós andávamos de bicicletas “Mercswiss” dando a volta ao quarteirão pela Pompeu, Barão de Ipanema, Bolivar e voltando à Pompeu!!!
Eu só não podia era atravessar ruas.
Mas essa volta era possível, minha mãe deixava, ou nem sabia!!
Em 1961, nos mudamos para o posto 6, e aPompeu Loureiro nunca mais foi a mesma!!!

henrique 5-8-04 18:56 …

PS.: Eu morava no 111 que era bem em frente ao Clube Olímpico.
Eu só podia atravessar a rua às quintas feiras, pois a turma toda ia assistir no clube, mais um capítulo da série Flash Gordon.
Com a turma toda, minha mãe deixava eu atravessar a rua….rsrsrs!

henrique 5-8-04 18:57 …

Na volta ao qurteirão , esqueci de mencionar a Barata Ribeiro, que na época, também tinha calçada super largas!!!

henrique 5-8-04 19:02 …

Eu acho que a marca da bicicleta grafava=se com “K” Merkswiss

andredecourt 5-8-04 19:02 …

A Barata tinha nesse seu trecho a largura de 9 metros de caixa de rua, agora tem 14 metros !!! Ou seja 5 metros sumiram das calçadas !

henrique 5-8-04 19:03 …

“Tás a veiri” que Copacabana, década de 50 é comigo mesmo, né??

henrique 5-8-04 19:05 …

Eu nasci, na antiga maternidade Arnaldo de Morais,em 1949, hoje Hospital São Lucas, na boca desse túnel, pelo lado da Pompeu Loureiro.

henrique 5-8-04 19:09 …

E nesse trecho, entre Barão de Ipanema e Bolivar, a Barata Ribeiro preserva uma de suas últimas casa, onde até hoje mora a MESMA família!!!

andredecourt 5-8-04 19:10 …

Minha mãe tb nasceu nela !

henrique 5-8-04 19:12 …

Deve ser gente da maior qualidade, rsrsrs!

henrique 5-8-04 19:16 …

Em 1954, meu pai foi fazer um MBA (naquela época tinha outro nome…rsrs!!) em Porto Rico.
Me lembro um jornal local noticiando em Letras Garrafais: Getulio se mató!!!
E lembro da minha mãe chorando pela notícia!!

jconde 5-8-04 20:50 …

Verdade hoje veio uma reportagem no globo sobre esse episódio que culminou com o fim da era Vargas
Um abraço do Zé

Jason 5-8-04 22:44 …

Henrique, sua história do Flash Gordon no Olímpico me lembrou uma bela diversão da infância: ao longo de 13 domingos (treze… sem perder um!) meu pai me levou para ver o seriado do Flash Gordon no Metro Copacabana. Eu vibrava as aventuras no planeta Mongo, sempre torcendo contra o careca Ming com seu bigodinho sinistro! Dr. Zarkov, Dale e, os que eu mais gostava: os homens-leão, cortando um dobrado nas minas.

Era sessão dupla: primeiro o filme da semana anterior e depois o da atual. Como eu ia todo domingo, assistia cada filme duas vezes. Depois, parada estratégica na Cirandinha, para o camarão empanado.

Na porta do Metro tinha um negócio que me deixave impressionado: um vendedor de marionetes cujos fios eram pretos e pareciam invisíveis contra o fundo de mármore também preto, na parte de baixo da fachada do cinema. Engraçado que na minha cabeça, até hoje, é como se bonequinho se movesse por sozinho.

Bom, é isso aí. Desculpem o aluguel com assunto meio fora da pauta. Reminiscências de Copacabana. Em tempo: o caminhão da foto acima é um Ford F6 1948/1950.

henrique 5-8-04 22:50 …

Fantástica reminiscência , Jason!!!
Os fiozinhos invisíveis , deixavam qq um de boca aberta!!!!

heilborn 5-8-04 23:51 …

Tb nasci na Arnaldo de Moraes.

Agora, sem sacanagem, pq vc não faz uma série com as `casas de tolerância` do Rio de Janeiro.

maluara 6-8-04 5:33 …

Meu filho também nasceu na travessa Frederico Pamplona, na época (1978) o nome não era ainda Hospital São Lucas. Era Maternidade São Lucas, se não estou enganada. (Ou seria Casa de Saúde São Lucas?) Depois procuro uma cópia de certidão pra conferir.

Agora que o número de veículos é bem maior, eles estão diminuindo a largura das ruas e aumentando as calçadas, em vários bairros.

Bjs,
Maria Luiza

diario2004 6-8-04 8:37 …

conhecia a história, mas nem fazia idéia que o nome deste túnel era esse
abs

rockrj 6-8-04 10:27 …

Não sei se é um nome mais antigo, mas vendo a observação da Maluara, meus irmãos, nasceram na Maternidade Arnaldo de Morais, que ficava no final da travessa Frederico Pamplona…