andredecourt's Foto von 13.12.04

Rua do Ouvidor

Foto de Malta documentando os prédios que seriam postos abaixo para a construção da Av. Central, certamente a documentação dos imóveis usando-se fotos era de grande importância para a prefeitura poder analisar o estado das construções e o real valor a ser pago nas indenizações.
A produção de material fotográfico deve ter sido enorme, e certamente foi uma iniciativa pioneira em nosso país .
Todos os prédios que aparecem nessa foto foram demolidos para a passagem da nova avenida, do número 88, que não aparece na foto, até o número 74, aparecendo no extremo direito da foto bem embaçado e de forma parcial.

Comments (32)

bwanis 13.12.04 07:19 …

Uma pena, essas demolições feitas em nome do progresso….
:) ))

andredecourt 13.12.04 07:48 …

Bete, se pensarmos bem que a Ouvidor era a rua mais chique da cidade, e essa parte entre a rua Direita (hoje Primeiro de Março) e Uruguaiana era a parte mais chique da rua mais chique, podemos analizando friamente, imaginar como seriam as construções do resto da cidade velha.
O prédio do “Ao Ganha Pouco” até tem umas boas linhas coloniais com neo-clássico, mas e os prédios seguintes, adaptados com feios andares sobrepostos.
A velha cidade era muito feia e anacrônica, hoje com a balbúrdia geral e o enfraquecimento do poder público a cidade está voltando a ser

Sergio Luis dos Santos 13.12.04 08:02 …

Ao Ganha Pouco devia ser a “avó” da Impecável Maré Mansa…

Sergio Luis dos Santos novamente! 13.12.04 08:03 …

Em tempo, nada contra a Impecável, já comprei lá também. Roupa é para se usar e não desfilar!

Sergio Luis dos Santos 13.12.04 08:07 …

JRO deve estar tendo problemas com a Funai!
“Pagé could not be found!” Roubaram o Pagé da página dêle…

andredecourt 13.12.04 08:11 …

Sérgio, os nomes das lojas quando não caiam em estrangeirismos, tinham esses curiosos nomes

alvarogabriel@openlink.com.br 13.12.04 08:23 …

André, te dou toda a razão nessa questão dos prédios feios e ancrônicos. O que eu me bato às vezes aqui (nem sempre, graças a Deus) são aquelas demolições que “deitam à baixo” construções que bem poderiam ainda fazer parte, ao vivo, da memória do Rio. Quer um exemplo maravilhoso ? Quem passar hoje pela rua Benjamim Constant (subindo do lado direito um pouquinho antes da igreja ) vai ver um prédio do fim do século 19 ou início do século 20, recuperado pela Débora Kolker. Se fossemos um país rico e uma cidade com recursos muitos prédios como este poderiam ter sido recuperados pelos próprios proprietários ou seus herdeiros. Infelizmente, ali mesmo na área da Glória e do Catete, muita coisa está se perdendo por falta de grana; o que é uma pena.

soso 13.12.04 08:24 …

a sua correçao esta certa no meu flog , é que aquela é a unica foto que nao é de copacabana, e eu esqueci de colocar que era ipanema , pensando nas outras….

abraços!

wolfenson 13.12.04 08:28 …

Parece um Chevrolet 48.

As lanternas me deixam na dúvida.

photoquim 13.12.04 09:24 …

Ninguém na rua.
Fim de semana, talvez.
[]s.
JQ//.

mapas 13.12.04 09:29 …

Bela foto, André. Fiquei aqui com uma dúvida: foram derrubadas as casa de números 74 a 88, isso não seriam cerca de 14 metros? Não é pouco para a construção da avenida (largura)?

andredecourt 13.12.04 09:36 …

Exato Parroula, foram essas do lado par que estão no inventário de imóveis desapropriados na rua do Ouvidor, lembro que nesse trecho a rua dos Ourives ofereceu a sua caixa de rua para a nova avenida, bem como seus imóveis.
Nesse trecho temos a desapropriação do número 89 da rua dos Ourives, colado ao 88 da rua do Ouvidor

lucia 13.12.04 10:09 …

Buenas!!

Vai lá?
Vou chegar tarde,mas vou! :)

mapas 13.12.04 10:11 …

Agora ficou claro pra mim, obrigado!

jro 13.12.04 10:15 …

Vai lá aonde?????

Jro :-) )

Lefla 13.12.04 10:28 …

Vc vai? Eu devo ir tarde e sair rápido, mas devo ir. Essa loja O Ganha Pouco é a história da minha vida profissional…

galadedali 13.12.04 10:39 …

é saudade desse Rio que não volto mais…

lucia 13.12.04 10:44 …

Vou num show primeiro, ali perto.
De uma aluna da Karla, inclusive.
Lá pelas 10:00 eu devo estar chegando.

PS: tem gente perdida por aí..explica prá ele.
:) )

andredecourt 13.12.04 11:37 …

hehehehe acho que vou deixar ele perdido uahahahaha

meizinha 13.12.04 12:05 …

Eu tb quero ir!

abk 13.12.04 13:55 …

Outro interessante registro que documenta essa parte da história da nossa cidade,André.
Abraços.

analyzator 13.12.04 14:14 …

Uma loja com esse nome, “Ao Ganha Pouco”, supõe que seja voltada a um público que não tenha elevado poder aquisitivo. Sendo assim, como uma loja dessas está localizada no trecho mais chique da rua mais chique do antigo centro carioca?
Seria como, por exemplo, pôr uma Impecável Maré Mansa na Barra da Tijuca ou em Ipanema junto a lojas de grife “carésimas e chiquérrimas”…

andredecourt 13.12.04 15:22 …

haviam lojas chiques com esses nomes, que ao longo do sec. XX foram trocando esses nomes de tradição lusitana para nomes pomposos, algumas abriam novas lojas na avenida Central, e depois num processo de médio prazo trocavam o nome da loja original e a transformavam em filial

Jason 13.12.04 16:08 …

Ótimo o nome da loja.

Melhor do que essa, só um restaurante em que comi em Lisboa: “Ao farta buchos”

hjwery 13.12.04 20:34 …

Saudades, e não esqueci da rodada de chopp que te devo por conta do bolo de noiva. Continuando o que Hugo deve postar nessa serie, vc. leva um sorvette na cara caso não souber o arquiteto. Quer tentar adivinhar c. o que ja tem?

eduardo bertoni 14.12.04 03:10 …

André,
Depois de muito tentar fazer um Flog aqui sem sucesso resolví pegar uma carona na idéia do Celso (/mapas) e fazer um ensaio no fotolog do Terra. É um flog despretensioso que visa apenas mexer com a imaginação da gente.
A sua opinião e a de todos os que te visitam é muito importante.
Vai lá:
http://fotolog.terra.com.br/outromundo
Abraços,
Eduardo Bertoni

Rafael Netto 14.12.04 05:19 …

Interessante a mistura do colonial com neoclássico… aliás eu desconfio que muitos dos imóveis antigos do Centro, aparentemente neoclássicos do início do século XX, na verdade são reformas das reformas das reformas feitas em prédios coloniais. Estou certo? Quando caiu o prédio na esquina de 1 de Março com Rosário, que parecia ser da década de 30, encontraram tijolos do século XVIII e tocaram nesse assunto.

Marcelo Almirante 14.12.04 05:29 …

Era uma rua portuguesa, com certeza.

helena_circe 14.12.04 06:26 …

Gostei do nome da loja.

Até sexta! Vamos na Colombo?
Bjs!

Oliveira 14.12.04 07:27 …

Imaginem as chiques frequentando essas lojas as de nome MEZON é assim?!!! e saindo mais chiques ainda, gostaria de entrar na máquina do tempo ver essas cenas, aliás os documentários da Biblioteca nacional tem essas imagens.

mascrio@ig.com.br 14.12.04 09:13 …

Maneira a foto.
Só é um apena quea demoliçao nao sefviu pra nada pois os predios da Avenida Central foram quase todos demolidos.
Li hoje no Globo sobre a Praça Paris.
Esse safado do César Maia.
O pior é que acha que vai conseguir ser eleito presidente.

joelmarinho 14.12.04 18:38 …

André,
este Rio nem é do meu tempo, mas esta imagem ficou fantástica !!!