andredecourt's photo from 10/25/05

Essa é uma foto bem famosa, mas que poucos sabem realmente o que se passa.

75 anos atrás, dia 25 de Outrubro de 1930, populares festejam na Av. Rio Branco Rio Branco a queda da Velha República.

Vendo a foto com calma e em boa resolução, vemos que populares soltam foguetes e dão vivas em cima de um caminhão de bombeiros, que está na frente do incendiado prédio do jornal O Paiz, na esquina com a rua da Assembleia, a Rio Branco inclusive se encontra coberta de fumaça.

No extremo direito da foto podemos ver uma nesga das janelas do Ed. Guinle na esquina com a rua 7 de Setembro

O incêndio do O Paiz pode ser visto aqui:

http://www.rioquepassou.com.br/2004/05/18/

http://www.rioquepassou.com.br/2004/05/19/

Comments (14)

Leflaneur 10/25/05 8:07 AM …

Olha ali o AG, de braço pra cima, ainda moleque, sem gravata, comemorando o golpe do GG!!! E ali no meio, indo embora, de jaquetão e chapéu, penso que me reconheço, cínico e sem saco pra essas comemorações…

Agora a pergunta que não quer calar: o que este homem da esquerda está segurando? um bouquet, um microfone ou um daqueles joguinhos que a pessoa tenta encaixar um treco no bastão, amarrado num barbante??

andredecourt 10/25/05 8:27 AM …

O cara segura flores, com raiz e tudo, surreal não ???

Agora deixa eu ir que o sistema de publicações do TJ aprontou uma comigo, vou correr no Forum agora na hora de abrir

Rafael Netto 10/25/05 8:41 AM …

“O Paiz” não era na esquina da Sete de Setembro?

luiz_d 10/25/05 9:01 AM …

Todos os chapéus que aparecem na foto foram comprados n´A RADIANTE, então recém-inaugurada, como se pode ver na foto de hoje lá em http://fotolog.terra.com.br/luizd

lucia 10/25/05 9:02 AM …

Esse cara da esquerda segurando o que o Lefla não conseguiu identificar, é o Pikyto????

:)

Buenas!

Waldenir 10/25/05 9:41 AM …

Quer dizer,o pessoal está comemorando o incêndio do prédio do jornal,e,para cúmulo dos cúmulos, em cima do carro dos bombeiros.

edubt 10/25/05 10:04 AM …

To com a Lucia, aquele cara ali na esquerda é o Pikyto

:-) ))

jban 10/25/05 10:45 AM …

Não vi a Lucia na foto… Devia estar na Parc Royal olhando as últimas modas….

Até agora identifiquei:
AG
Luiz D´
Zé Rodrigo
André
Tutu….
continuo procurando..

AG 10/25/05 11:20 AM …

Leflaneur, meu bom Leflaneur,
o joguinho “que a pessoa tenta encaixar um treco no bastão, amarrado num barbante,” chama-se prosaicamente, bilboquet ou, como querem os “aportuguesadores”, biboquê.

Eu não era o rapazote que ali está de braço para cima, qual um boy dos teatros de revista na apoteose final.
Nessa hora eu estava na redação de O Paiz recolhendo alguns documentos confidenciais que entregavam meio Rio de Janeiro no capitulo “quem fornicava com quem”. Eram senhoras e senhoras da mais alta fidúcia que iam a missa na Candelária e tomavam o Senhor pelas mãos do Cardeal Arco Verde.

Depois vendi esses papéis, a bom vender, aos interessados que por eles pagaram os olhos da cara.
Foi nessa época que ensinei tudo a um nordestino esperto que queria saber a melhor forma de fazer chatagem a esses granfinos; chamava-se Assis Chataubriand.

O Globo dá voltas.

Leflaneur 10/25/05 11:52 AM …

AG,

Isso não se faz. Chantagear as coitadas das senhoras distintas… Elas, em pouco tempo, deixariam seus pudores e fariam abertamente o que antes velavam em segredo… é assim que tem acontecido na República, tudo é segredo até ser revelado, claro. Daí em diante tudo é feito às claras, com a cara de pau-brasil que Deus foi pródigo ao distribuir neste País. Cara-de-pau por estas plagas é feito formiga lava-pé. Quando vc pensa que já se livrou de algumas, muitas outras mais estão subindo em seus sapatos!

Lucia,

É O PIKITO!!!! Não há dúvida…

AG 10/25/05 4:09 PM …

Caro Leflaneur,
contado ninguém acredita mas, saiba você, que essas recatadas “senhôuras” faziam fila na casa do Anselmo Gois da época (da Época não, do O Paiz) para ver se a sua fornicaçãozinha daria algumas linhazinhas de “gossip” na folha (na Folha não, repito, no O Paiz).
E é claro, elas sabiam, que quanto mais maioral fosse a figura com quem ela deitava-se na alcova, mais chances teria ela de sair na coluna “Ecos da Cidade”.
Saía assim ó:

“Considerada figura da nossa sociedade, foi visto a passos largos na Golçalves Dias, apurado, tirando constantemente seu Patek Philip da algineira para ver as horas. O que estaria deixando o insigne magistrado tão elétrico ?
Seria um encontro furtivo em certo hotel da Avenida ? Quem seria o alvo da pressa ? Talvez certa figura da sociedade campista, que hora visita a capital”

E pronto; simples assim. Todos que lessem a notinha já saberia o nome do respeitável, o nome da consideradíssima e tome polca.

Portanto, ganhava-se dinheiro com a chantagem partindo dos aparentemente chantageados. Sim, porque, se o colunista negasse à dama a nota denunciativa, era capaz do dono do jornal o pôr no olho da rua.

gerard_3 10/25/05 5:28 PM …

Pois é provavelmente por eu estar vestida de noiva é que vc trocou as letrinhas…tb acho incrível!
Só não casei no religioso …ainda há tempo…kkkkkkkkkkkkkk!

Cruz credo!
:) ))
Bjócas!

Isola três x!

gerard_3 10/26/05 6:09 AM …

Bom dia André !
Vc pode ir lá no Robeto e dar uma ajudinha básica?
http://ubbibr.fotolog.net/rockrj/?photo_id=10678703

Valeu!
Bjócas!

Fco Patricio 10/31/05 7:53 PM …

Esses criminosos da foto incendiaram um dos mais belos edificios da Rio Branco (esq. com a sete de setembro – os Bondes atravessavam a Av neste ponto)que era a sede de um dos jornais mais lendarios da nossa imprensa. Para muitos esse foi o ato final que encerrou a nossa tardia “Belle-Epoque” (para alguns foi a Semana Moderna de 1922). Uma coisa foi certa – Getulio vinha aí e o Brasil começou a descer a ladeira.