andredecourts foton från 2006-01-11

Construção das pistas laterais da Av. Brasil no início dos anos 50 na região de Manguinhos.

Além das obras viárias realizadas na região, essa foto nos mostra as ampliações pelas quais passava a FIOCRUZ, ampliações que abandonavam o estilo eclético/mourisco do castelo principal ou então do industrial inglês do resto dos prédios do primeiro período da fundação.

Os novos prédios surgiam no estilo modernista, como podemos ver em destaque praticamente em primeiro plano na foto, o prédio do Centro de Estudos ( pavilhão Arthur Neiva) antigo pavilhão de Cursos que ainda estava em construção.

Esse pavilhão reflete bem a ótica modernista do período, construído entre 1947 e 51, foi projetado por Jorge Ferreira, membro da primeira geração de modernistas do país, e possui um enorme painel de azulejos de Burle Marx, cujo o tema é a micro-biologia. O painel com o passar dos anos foi violado por alguma administração passada, que retirou uma das partes, e retirou uma porta forrada de azulejos que dava continuidade ao desenho substituindo-a por uma de vidro

De mais curioso na foto podemos ver a fundação praticamente sem muros, apenas uma pequena cerca de arame separa a enorme área verde da Av. Brasil, algo impensado hoje.

Onde o oásis verde, que comporta além de prédios belíssimos, a nata dos cientistas brasileiros, se encontra cercado de favelas que através da violência cerceiam o bom funcionamento da instituição. Provocando seguidos toques de recolher, esvaziamentos de andares inteiros indefinidamente por causa de balas perdidas, o enclausuramento dos funcionários dentro dos muros e a hora de debandada coletiva, onde todos tem que se retirar, interrompendo suas atividades até o dia seguinte, pois a área vira terra de ninguém, aliás mal esse que atinge 90% das indústrias que ainda insistem em funcionar na antiga zona industrial da cidade, hoje destruída por pelo menos 24 anos de populismo barato.

Comments (17)

Rafael Netto 2006-01-11 08:20 …

Tenho dúvidas se o “populismo barato” é o culpado sobre isso. Acho que o populismo sozinho alimenta as favelas, mas elas só estrangulam a cidade porque estão dominadas por um feudalismo militarizado.

Sem a violência, as favelas seriam “apenas” regiões miseráveis. Uma vizinhança desagradável, mas não perigosa.

E quem alimenta o feudalismo não é o “populismo barato”, e sim a omissão do Governo Federal na repressão ao tráfico de drogas e armas, e principalmente as elites políticas e culturais que são os maiores consumidores das substâncias ilícitas.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

luiz_d 2006-01-11 08:35 …

A sociedade está podre e é hipócrita.

E os diversos Governos, lamentavelmente, espelham isto.

constant_ 2006-01-11 08:58 …

Esses vinte e quatro anos a que você se referem são os em que podemos falar sobre violência, soma os outros em que a censura era soberana e temos talvez uns 500 anos, no barato.

antolog 2006-01-11 09:12 …

Passo diariamente pelo local e este é considerado a “Faixa de Gaza”. A origem desta violência talvez tenha uns 500 anos, como foi citado acima.

AG 2006-01-11 09:16 …

O Rafael e o Luiz batem numa tecla que já gastei na minha máquina de comentar indignações.
É incrível que os “Fantásticos” da vida e os “Globo Reporteres” da morte não ponham o dedo na ferida e digam que o que alimenta a violência nas chmadas comunidades de risco é a sociedade como um todo que usa e protege quem usa drogas.
Enquanto não se encontrar uma maneira de legalizar o uso dessas drogas como é legalizada o uso de outras drogas como alcool, nicotina, valium e outros tantos, seremos sempre alvos de balas perdidas disparadas entre os bandos que disputam os pontos de varejo. Sim porque chamar os varejistas pés de chinelo das favelas de traficantes é até uma piada.

O que não adiante é gritar BASTA pelo fim da violência e ir a um show da banda de rock (ou pseudo rock) do momento turbinada a fumo e pó.

Ah, deixa pra lá; já estou desiludido desta batalha insana. O pior é que daqui a pouco vai morrer mais uma criança num “vigário geral” por aí e a imprensa vai falar…vai falar…vai falar… até a hora de fechar a edição. Depois todo mundo vai para as suas casas ou para os seus bares “aliviar a tensão”.

andredecourt 2006-01-11 09:22 …

Aliviar a tensão com pó ??? Complicado isso heimm Alvinho

leflaneur 2006-01-11 09:48 …

Eu não falo mais sobre esse assunto. Populismo barato, sim. Foi ele que elegeu Lula, Garotinho, Brizola, ACM, etc… Foi populismo barato, mas tem mais de 24 anos, porque Chagas Freitas era o rei da inauguração de bicas em favelas. Erradicação de favelas já. Seja por remoção, urbanização, sei lá. Não é possível é, por exemplo, andar de barco com estrangeiros em visita ao Rio e só ouvir um comentário toda vez que uma favela aparece estragando a paisagem: what a pity… Será que não dá para tomarmos vergonha?

AG 2006-01-11 10:29 …

Andresíssimo,
há por aí um jovem diretor de cinema, até bem badalado pela chamada mídia especializada, que diz para quem quiser ouvir que nada como um bom teco para relaxar e deixar os pensamentos equilibrados.
O duro é, no fim do dia, entender o que ele fala através dos dentes trincados.

Rafael Netto 2006-01-11 10:38 …

Na verdade eu não me expressei bem, sou mais da opinião do AG. Tem é que deixar de ser crime. Não tenho nada contra quem quer fumar maconha (esse negócio de usar linguagem cifrada faz parte da “mitificação” do vício) pra relaxar, se inspirar ou qualquer coisa. O problema é que isso alimenta a violência.

E tem mais. Aposto que tem muita gente que só usa droga ilegal (na maioria imensa das vezes, maconha) porque é ilegal. Fumar maconha faz parte do estilo “contestatório” das “tribos” culturais. É como fazer tatuagem ou usar determinado tipo de roupa ou cabelo. E só faz parte deste “estereótipo” justamente por não fazer parte do “padrão normal” da sociedade; se fosse legalizado, não seria “contestatório”. Ou você já viu alguma banda de rock atual tocar usando roupa social?

Já as chamadas “drogas pesadas” (começando com a cocaína) eu acho que já é outro esquema, é o pessoal que quer se narcotizar mesmo. Legal ou ilegal, quem usa continuará usando, e quem não usa continuará não usando.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

Lefla 2006-01-11 10:54 …

Sou a favor da legalização das drogas e contra a preservação e expansão de favelas.

betotumminelli 2006-01-11 13:02 …

Essa foto é angulo contrario de uma que postei..

:-) )

Rafael Netto 2006-01-11 13:15 …

Tirar uma foto no mesmo lugar hoje em dia só de dentro do carro e olhe lá…

Alguém se habilita?

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

lucia 2006-01-11 13:45 …

Estou com o Lefla, e não abro!!

Outra coisa, as favelas em geral não são miseráveis, são pobres, o que é diferente.
E lá dentro, o que o Governo não dá prá quem está fora das favelas, o traficante dá prá quem tá dentro.
Aí fica dificil!!!

andredecourt 2006-01-11 16:30 …

Foto criativa???? a foto é burocrática documentando uma obra pública….pode ter ficado pitoresca, documental e histórica, mas nunca criativa…quero saber em quantos flog’s essa mensagem foi repetida….acho que estou ficando mais ranzinza…

Marcelo Almirante 2006-01-11 17:39 …

Uma visita ao Haiti irá responder o que se passa no Rio d Janeiro. Em Porto Príncipe também tem um Palácio cercado pela cidade que é uma imensa favela …

O que se passa no Rio de Janeiro é o choque antropológico entre europeus e africanos.

Os europeus encurralados na Zona Sul e demais bairros da cidade, cercados pelos do mal berço, que se multiplicam muito mais … O que se passa no Rio já era previsto há tempos …

Há quem goste de morar em favelas do que ter uma vida digna e honrada no interior do país …