foto de andredecourt em 24/01/06

Praça Sem. Salgado Filho, 1952

Nessa foto vemos os últimos preparativos para a entrega da urbanização da praça Sen. Salgado Filho que fica defronte ao aeroporto Santos Dumont.

Engenheiros e urbanistas da PDF inclusive com máquinas, vejam o rolo compressor arrumando o saibro, estão dando os últimos detalhes para a inauguração da praça, que inclusive já está com mastros bandeiras e bandeirolas, aparentemente a banda de música também já está lá.

Essa praça foi o primeiro projeto de ajardinamento público feito por Burle Marx, o qual podemos ver com detalhes dado ao pequeno tamanho das árvores a volumetria dos canteiros e dos lagos.

Onde hoje há um grande estacionamento havia hangares de várias cias de aviação, como por exemplo a Vasp e a Nacional, e neles aviões épicos como o DC-3, aonde hoje há o trevo dos Estudantes que liga o Aterro ao Centro e ao Aeroporto tínhamos o fim do aterro feito para a construção do aeroporto e muitas antenas de rádio.

Infelizmente essa bela praça, uma das portas de entrada de nossa cidade está tomada pelos “menores” de rua o que inviabiliza a sua apreciação

Comments (20)

photomechanica disse em 24/01/06 09:21 …

Dizem por ai que esta praça teria o nome de Eugênio Jardim justamente por causa de seu jardim. Mas com o andar das carruagens, ou melhor dizendo, com o voar dos aviões, ela acabou recebendo o nome deste Senador, que, ao que se sabe, à boca pequena, foi quem deu a idéia para que o Monroe fosse derrubado, mas isto já é outra história…

edubt disse em 24/01/06 09:58 …

Honestamente não vejo nada de belo nesse praça… Atualmente está bem arborizada, mas ai na foto a gente ve que ela não tem nada demais.

AG disse em 24/01/06 10:00 …

Nunca entendi porque essa praça não se chama Santos Dumont.
Foram dar o nome do inventor do avião a uma praça em frente ao Joquei.

Tá certo que Salgado Filho foi o primeiro ministro da aeronautica e, dizem, foi um bom administrador, mas talvez seu nome coubesse bem em outro logradouro da cidade.
Curiosidade: Salgado Filho morreu num desastre de avião.

Observação maldosa: então esse foi o primeiro projeto do Burle Marx ?
É, faz sentido.

karen disse em 24/01/06 10:22 …

Boa tarde, André

Encontrei algumas informações no site do Celso sobre pedágio urbano, no Rio de Janeiro. Entrei em contado com ele, e fui informada que talvez vc pudesse colaborar com a minha pesquisa.. rs (com sites, livros, dicas.. toda e qualquer informação é bem vinda)

Basicamente a informação é essa: “Em 1839, o Governo Imperial firmou um contrato com três empreiteiros para a conservação e melhoramentos naquela via, mediante a concessão de pedágio pelo período de 30 anos. Havia dois postos de cobrança, um junto à Ponte do Catete e outro na Praia de Botafogo”. http://serqueira.com.br/mapas/botaf.htm

Desde já agradeço.

karen

______________________________________________

ps: quanto ao post.. hj em dia cada vez mais tenho praça como sinônimo de “bandido”.

Linda essa praça!

O “rolo” me parecia mais um tanque de guerra.. kkk

abraços, karen

fotolog.terra.com.br/karen_rs

andredecourt disse em 24/01/06 10:40 …

Karen, só tenho conhecimento do da ponte do Salema, o nome dado para a ponte do Catete que passava sobre o rio Carioca, mais ou menos onde hoje é a praça José de Alencar, ela separava a zona urbana da rural, aí a razão da taxação, já o posto de pedágio na praia de Botafogo, nunca vi grandes registros dele, pode ser que nunca foi instituído ou teve o funcionamento por breve período de tempo.

Vou tentar ver até quando foi feita a cobrança, pois me parece que no meio do sec. XIX ela já não existia mais.

andre disse em 24/01/06 11:16 …

realmente, eh uma tristeza a praça. menores de rua e os taxistas. me recuso a entrar em um amarelinho daquele. pior que eles ou do mesmo nivel, os da rodoviária e os do galeão. engraçado, todos nas portas de entrada da nossa cidade. um belo cartão de visitas.

Lefla disse em 24/01/06 11:57 …

Praça Eugênio Jardim??? Né possível!!!

jban disse em 24/01/06 13:37 …

Tenho certeza. Esta é a Praça Eugênio Jardim. Pode-se ver o Quartel dos Bombeiros ao fundo

luiz_d disse em 24/01/06 13:55 …

Dada a volumetria dos canteiros será que não haveria espaço para uma Fonte Wallace?

Lefla disse em 24/01/06 14:16 …

É verdade, jban. Só não estou conseguindo ver direito porque acho que foi tirada de algum apartamento por ali. E, se vc olhar bem, aqueles buracos são da obra do metrô, não? Parece decoração, mas já é resultado da primeira obra, logo que decidiram fazer a estação…

jban disse em 24/01/06 14:45 …

Prezado Luiz D´,

A colocação de uma Fonte Wallace depende da presença no local de uma Park-Way, ladeada de Town-Houses.

Rafael disse em 24/01/06 16:02 …

buracos de obra do metrô em frente ao aeroporto Santos Dumont??que estação??existe ou ja existiu algum projeto de estação de metrô ali no santos dumont???
Desculpa,mas eu não entendi essa,Lefla,é algum tipo de projeto arquivado,como outros tantos daqui do Rio?
1 abraço

Rafael disse em 24/01/06 16:15 …

Metrô em 1952???agora,relendo tudo,acho que fui ingenuo e não captei uma eventual ironia,caí nessa pegadinha….ou não.
rsrsr
1 abraço

Lefla disse em 24/01/06 17:16 …

Rafael, era uma brincadeira, estava me referindo às obras da Praça Eugênio Jardim que começou exatamente em 1982!!!

andredecourt disse em 24/01/06 17:34 …

1986 Lefla !!

karen disse em 24/01/06 17:45 …

Boa noite, André

Super obrigada pelas informações.
Despconhecia o fato da ponte separar a zona rural e urbana, se puder me passar uma fonte acerca dessa informação agradeço.
Me engano ou vc se refere a dois pedágios? Eu me referia ao pedágio da “Ponte do Salema”, será q existia outro(na praia de Botafogo)?
Vc tem razão quanto a revogação do pedágio da “ponte de Salena”, a informação que tenho é q isso ocorreu em 17.01.1866, pq os concessionários não haviam cumprido com suas obrigações.. (vê se existe uma coisa dessas, nos dias de hj? rs).

abraços, karen

andredecourt disse em 24/01/06 17:49 …

Karem, a fonte é o livro do Vivaldo Coaracy -Memórias do Cidade do Rio de Janeiro

Lefla disse em 24/01/06 19:11 …

Isso aí, André, 1986… Moreira Franco, o meu nome é trabalho (de macumba).

Cadu disse em 25/01/06 01:03 …

oi, tudo bem?
me lembro q durante uma série sobre o palácio monroe q vc fez, vc cita um tal arquivo do metrô…q arquivo eh este? eu preciso fazer uma pesquisa e acho q neste arquivo posso encontrar oq estou procurando……..me dá essa força?
obrigado

Karen disse em 25/01/06 06:36 …

André, mais uma vez obrigada.

abraços, karen