foto de andredecourt en 25/04/06

Hoje será feita uma singela homenagem a um estabelecimento que aniversariou esse mês.

Vemos o tradicional Café Lamas em seu velho prédio na rua do Catete perto do largo do Machado, próximo a fechar as portas pela terceira vez em sua história, logicamente com a ajuda de um especialista.

Fundado em 1874,o estabelecimento nunca fechava suas portas, sendo pouso de boêmios em vários turnos e fazia com o café Araponga, do outro lado da rua, no final do sec. XIX início do XX a casa de várias figuras folclóricas da cidade, protagonistas de divertidas histórias, como a do bêbado Camarão, que com sono se dirigia à delegacia e aos policiais de plantão pedia para ser preso, se não o prendessem iria quebrar a pedradas as vidraças da casa do delegado titular, o fez duas vezes que duvidaram dele, na realidade Camarão queria apenas o conforto de uma cela para dormir sem ser perturbado e longe das intempéries.

Na Revolta da Vacina não obstante ao caos reinante na cidade o Lamas ainda funcionava, mas a notícia que tropas rebeldes e legalistas marchavam para um encontro mortal em algum lugar entre a praia Vermelha e o palácio do Catete o estabelecimento resolveu fechar as portas, mas como elas não eram fechadas há 30 anos um carpinteiro teve que ser chamado às pressas para resolver o empeno das portas.

Em 1954 com o suicídio de Vargas e a tensão reinante no bairro, o Lamas novamente preferiu fechar as portas, agora metálicas, mas na hora de baixa-las os anos de inatividade emperraram o mecanismo, um serralheiro teve que ser chamado, como também na derradeira vez, para a entrega do imóvel para a sua demolição onde as portas do imóvel vazio, já cercado de prédios demolidos e árvores cortadas se recusavam a fechar.

Essa foto foi tirada nos derradeiros momentos de atividade do velho prédio os prédio ao lado já estão desocupados, o da direita inclusive já teve o seu interior demolido só restando a fachada, com a saída do boêmio estabelecimento para o seu novo endereço as velhas construções centenárias, na época serão postas abaixo e seus terrenos comporão o vazio urbano que até hoje reina no local, onde vários terrenos do Metrô estão sub-utilizados quase 25 anos do término das obras.

Comments (22)

Rafael Netto 25/04/06 8:40 …

O Lamas foi fundado neste prédio?

Exatamente onde ele ficava? Onde está o Cine São Luiz?

Vê-se na foto que nos anos 70 ele ainda tinha uma mercearia. Eu achava que isso tinha acabado muito antes! Como lembrança dessa época ainda existe o Bar Flora, na Rua da Carioca, que ao contrário do Lamas deixou de ser bar para ser apenas mercearia.

Eu fico pensando como (e se) o Metrô seria construído hoje em dia, com tantos tombamentos e APACs.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

Lefla 25/04/06 8:51 …

Nesse tempo, diz meu tio, o Lamas foi tomado por ratos e baratas, típicos de obras públicas. Dizia ele que o alho frito que cobria o Oswaldo Aranha eram tripas de barata e que no spaghetti poderiam existir moscas no molho bolonhesa. Ele dizia isso enquanto comia e bebia o gelado chope do lugar (já reinstalado). Ele dizia isso e confirmava o que todos sabem: era assim lá, mas é assim em todo lugar. É melhor não pensar.

andredecourt 25/04/06 8:52 …

Exato Rafael esse é o prédio que o Lamas sempre funcionou, ele ficava a esquerda da garagem de Bondes, vendo de dentro do largo

ramonesrj 25/04/06 8:54 …

andre, tem uma foto parecida com essa (ou é essa mesma) em um supermercado Rede Ultra aqui na rua do catete.. a foto é sua?

toty 25/04/06 9:03 …

Voce sabe da existencia de algum hotel no largo,por volta dos anos 50?

Rafael Netto 25/04/06 9:05 …

Ah sim, mas a entrada da garagem de bondes ficava onde?…

Tenho curiosidade de ver uma “panorâmica” do lugar onde aparecessem todos os prédios: a garagem de bondes, o Lamas e o antigo São Luiz.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

luiz_d 25/04/06 9:39 …

Programaço era assistir a uma sessão no São Luiz, dar uns passos em direção à Rua do Catete e tomar alguns chopes no Lamas, acompanhando um filé à francesa.

Sair daquele “hall” hollywodiano do São Luiz e entrar no antigo Lamas.

Depois, pegar o bonde ou, mais adiante, o ônibus elétrico no Largo do Machado para voltar para casa.

Derani 25/04/06 10:38 …

Que excelente programa, hem Luiz ? Sinto saudades até do que nunca fiz, infelizmente nunca fui ao Lamas, mas sei como é, muitos restaurantes e “leiterias” que frequentei tinha esse jeito mesmo, mas fecharam, como por exemplo a Silvestre que ficava na Galeria Cruzeiro e depois no lado de fora do Ed. Av Central, entre outras.. A Silvestre tinha um balcão na frente onde vendiam queijos, manteiga (da boa… Rex!!), era tudo de bom..

edubt 25/04/06 11:29 …

O chope mais barato do pedaço…

:-) )

AG 25/04/06 12:57 …

O ramonesrj já deve ter esbarrado em mim algumas vezes no supermercado da Rede Ultra do Catete. Foi lá que vi também uma foto igualzinha a essa. E tem outras muito legais ao lado, como aquela da Rua Correia Dutra nos anos 20.

O Lamas tem histórias e mais histórias. Uma que eu acho que todo mundo sabe mas ninguém ainda contou ainda é que suas portas nunca foram cerradas; o bar/restaurante/quitanda ficava aberto 24 horas por dia para gáudio dos pinguços que apareciam por lá 5 ou 6 da manhã para tomar um caldo de galinha.
Mas dizem que, exatamente por essa falta de operosidade das portas do Lamas, quando o Getúlio se matou em 1954, a turma que foi lá para vaiá-lo, ao saber do infausto acontecimento, começou a chorar e quis iniciar um quebra-quebra de protesto na região. Os gerentes dos estabelecimentos decidiram então cerrar as portas. E quem disse que a porta do Lamas fechava ? Nem por decreto conseguiram puxar as portas caneladas, correndo assim o risco da depredação; felizmente, nada aconteceu. E cá pra nós, quem iria querer destruir o Lamas ? Só se fosse a Liga da Temperança com Deus, Pátri e Família.

AG 25/04/06 13:02 …

Mais um gol contra.
Perdão, galera.
Não li o texto do André até o fim.
Vou sumir uns dois anos daqui, coberto que estou de vergonha. O texto do André dá de dez a zero.

O trapezista perde perdão e cai.

andredecourt 25/04/06 13:05 …

Pois é Alvinho, nas três vezes que o Lamas teve que fechar as portas se recusavam a fechar, dá pena hoje em dia ver as portas de correr do novo endereço descerem tão livremente lá pelas 4 e meia da manhã, isso nos bons dias, tem dias que a casa que nunca fechava espulsa seus boêmios antes da 3 da matina !!!

Das histórias do Lamas a minha preferida é a da “inauguração” da estátua do Duque de Caxias !!!

FlavioM 25/04/06 13:10 …

Lembrando mais um pouco:
O Lamas dessa época tinha muito menos mesas que hoje. As mesas ficavam no primeiro salão e, ao fundo, passava-se para o salão de … sinuca. Não me lembro quantas mesas de sinuca, mas não era pequeno.

Já pensou, jogar sinuca com aquelas cebolas fritas… Hein, hein? Nada mal!

http://www.flaviorio.globolog.com.br

andredecourt 25/04/06 13:18 …

E na frente havia um balcão com frutas e uma pequena charutaria !!

Mauro_AZ 25/04/06 16:26 …

Cheguei a jogar muita sinuca ai’ nesse Lamas, mas pelo que me lembro, o salao ficava no sobrado. Na foto da’ para ver a escadinha que leva a ele. Algumas vezes, na mesa do lado, estava o Paulinho da Viola, levando cada escovada do amigo dele, que jogava pra chuchu….

Solange Passos 25/04/06 20:05 …

As grades da sacada são pura obra de arte.
Hoje em dia se faz coisas assim ?

Solange Passos 25/04/06 20:15 …

Lefla,
sei que a galera aqui é tudo gente boa, portanto as opiniões não têm o objetivo de ofender ninguém e não me senti ofendida por qualquer opinião aqui postada.
Um abraço

Evelyn 25/04/06 21:47 …

Andre, moro perto e ate hoje tenho dificuldade em saber EXATAMENTE aonde estava situado o Cafe Lamas, o que ha hoje no local?
Lembro de criança da famosa loja de roupas femininas ‘Madame May e a Rotisseria Bella Italia, voce saberia dizer exatamente aonde elas se situavam e o q ha hoje no local?
Obrigada!

Evelyn 25/04/06 22:00 …

Andre, outra duvida, mas desconectada do assunto de hoje, voce saberia dizer qual foi a primeira loja a ter escadas rolantes no Rio? No livro “Interiores”(Patricia Vasconcellos) ha a informaçao que foi a loja “Casas da Criança” no ano de 1932, situada na Rua Ramalho Ortigao 8-10 (quase esq com Sete de Setembro),sendo a primeira escada rolante instalada na America Latina, sendo a unica no Rio de Janeiro por 20 anos, formando filas interminaveis de curiosos, loja esta existente ate hoje no mesmo local
Uma vez perguntei pessoalmente ao prof Miltom Teixeira e ele disse que varios estabelecimentos comerciais “disputam” o titulo de primeira loja a ter escadas rolantes…

andredecourt 25/04/06 22:54 …

Evelyn pelo que sei tanto a velha SEARS na praia de Botafogo como a finada Lojas Brasileiras de Copacabana tinham, pelo que sei, as escadas mais velhas de nossa cidade.

Ambas foram instaladas nos anos 40, talvez essa da “casas da Criança” possuísse algo diverso do conceito de escadas rolantes como conhecemos hoje.

andredecourt 25/04/06 22:55 …

Quanto a localização do velho Lamas, amanhã publicarei uma foto que resolverá a dúvida de muitos !!!