andredecourt's foto van 12-5-06

Rua Desembargador Isidro, final dos anos 20

Vemos nessa foto, possivelmente de Malta a movimentação da rua Desembargador Isidro, nos fundos no bairro da Tijuca.

Chama a atenção, além do simpático casario, a movimentação de veículos na rua. No meio temos um ônibus da viação Excelsior, que passa por cima das linhas de bonde, do seu lado direito vemos um pequeno caminhãosinho carregado com caixas amarradas por cintas, do lado esquerdo está estacionado um elegante automóvel.

O casario baixo nos permite observar na linha do horizonte a vegetação densa da Floresta da Tijuca, que neste trecho ainda hoje se encontra bem conservada, embora venha sofrendo pressão do crescimento de favelas como a da Coréia. O nosso fotógrafo se encontra de costas para a praça Saens Peña.

Comments (22)

acacion 12-5-06 10:36 …

Mais um registro magnífico!

Wagner Bahia 12-5-06 10:52 …

Belíssima foto.

Achava que a favela da coréia ficava na região de Bangu e não na Tijuca…

andredecourt 12-5-06 10:55 …

Existem duas com o mesmo nome, essa da Tijuca e uma no Jabour, perto de Bangú

Derani 12-5-06 11:01 …

Muito boa! Pela qualidade do mobiliário urbano, calçamento, urbanização, a oferta de bondes e ônibus da light, tudo mostra a importância que a Tijuca tinha nessa época para a cidade.
Sempre achei essa rua simpática (passa por trás do Tijuca Tenis Clube).

gerard_3 12-5-06 11:17 …

Pois é ,agora falta o Dr.D’!
Estava bem gostoso,pena q vc não foi…
:(
Bjócas e bom fim de semana!
De

Ana Lucia 12-5-06 11:17 …

Hoje é dia da Tijuca aqui também!
Nem sabia que essa rua já era tão movimentada àquela época!Hoje o trânsito de veículos é feito em mão única, na direção Praça Saens Peña/Rua José Higino. (na mesma direção em que segue o ônibus, na fotografia)
Reconheci o trecho. A loja comercial seguida de um recuo ainda existe (lado esquerdo da foto).
Do lado direito havia o famosíssimo armarinho Mme Rosa, que vendia aviamentos diferenciados, como golas e punhos de rendas, luvas, flores para ornamentar lapelas e chapéus, botões em cristal, ou cravejados com marcacita (o strass da época) além de fazer serviços de plissé, ajour etc.
É mais arborizada atualmente. As palmeiras e a belíssima luminária que se vê do lado esquerdo já não existem mais.
Esta rua é paralela à Rua Conde de Bonfim e termina no encontro do final de várias ruas: José Higino, Clóvis Bevilacqua e Bom Pastor, quase em frente ao Colégio Batista Shepard e à Rua Sabóia Lima (no final da qual começa a Reserva Florestal da Tijuca)

andredecourt 12-5-06 11:24 …

Ana Lúcia, você pode precisar qual é o quarteirão que aparece aqui na foto ??

photomechanica 12-5-06 11:25 …

Voces todos enlouqueceram…!
Chamar uma rua de movimentada quando ela tem apenas 01 onibus se movimentando nela, e mais 03 veículos estacionados???
Chamar uma rua de movimentada quando as pessoas andam calmamente pelo meio da rua?

Eu héin…!!!

Deve ser porque é na tijuca…

:-) )))))))))))))))

edubt 12-5-06 12:08 …

Eu não atravessaria essa via de jeito nenhum, perigosissima. Ser atropelado aí é batata.

;-) ))

Essa é daquela coleção da melhoramentos, não? Tenho ela aqui.

Rafael Netto 12-5-06 12:10 …

JRO, isso aí é “movimento” não porque é na Tijuca, mas porque é nos anos 20!

Estou vendo que vou ter que fazer mais uma excursão à Tijuca este fim de semana…

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

luiz_d 12-5-06 12:28 …

Não, mais Tijuca, não!

Esta semana já foi uma “overdose”, Rafael.
Dá um tempo…

Era um “barato” dirigir com as quatro rodas sobre as linhas do bonde. Nas ruas de paralelepípedos, como a Visconde de Pirajá,isto significava um rodar macio, sem trepidações.

Só não se podia fazer isto quando chovia pois escorregava muito.

photomechanica 12-5-06 12:29 …

É ruim…
Pode ser anos 0, 10, 20, 40 ou 1000.
Em qualquer época da história uma rua vazia feito esta não pode ser chamada de movimentada. Se esta foto tivesse sido tirada tres minutos antes ou tres minutos depois a imagem seria um tédio só, apesar do casario baixo que nos permite observar na linha do horizonte a vegetação densa da Floresta da Tijuca.
Este mesmo Dr Decourt tem fotos dos mesmos anos 20 onde a quantidade de veículos é caótica, feito São Paulo nos dias de hoje.

Mudando o foco:
Onde é que fica os fundos de um bairro?
E a frente?

:-) ))))))))))))

Rafael Netto 12-5-06 13:08 …

Luiz, qual veículo tinha bitola igual à do bonde?

Eu sei que as linhas da época tinham bitola “inglesa” de 1,435 m, enquanto as de Santa Teresa são de 1,10 m, bem raras no mundo (apud Marcelo Almirante – acho)

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

Derani 12-5-06 14:26 …

Rafael, meu tio tinha um Austin que tinha a mesma bitola do bonde!

WSS 13-5-06 9:47 …

Será que alguém teria uma foto como esta do início da rua General Polidoro próximo da Rua da Passagem (Botafogo). Morei ai, numa vila chamada Vila Galdino, que tinha uma entrada pelo nº 39 e outra pelo nº 55. Esta vila também tinha uma entrada pela rua São Manoel na parte de trás deste quarteirão. Infelizmente nãp tinhamos muitas posses e só tiravamos fotos da família e em ocasiões especiais. Grato pela atenção. Wilson Spinosa

Rafael Netto 13-5-06 11:53 …

Boa lembrança a do Wilson. Essa vila foi arrasada pelo Metrô e deu lugar à Praça Mauro Duarte.
Na obra que terminou em 1980, acho que sobraram umas 4 casas, nas fronteiras do terreno. A expansão demoliu tudo, deixou apenas uma casa, que recentemente virou oficina mecânica.
Existe ali um edifício, o Marineldo, que depois da obra se entrava por dentro do que sobrou da vila, e hoje em dia dá frente para a praça. Parece que já foi feito pensando na construção do metrô, embora seja bem antigo.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

Rafael Netto 13-5-06 12:52 …

E o Decourt está no Globo de hoje! Infelizmente com uma má notícia. Não conseguiram salvar as casas que apareceram aqui:
http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto:160

Duas já foram demolidas, a última ainda estão tentando salvar. E vai ser mesmo construído o prédio de 15 andares, que não devia ser permitido no local.

WSS 13-5-06 15:08 …

Realmente, quando este edifício (Marineldo, 3 andares) foi construido diziam que na sua frente passaria uma rua projetada que acabou sendo aquela sob a qual transita o metro. Morei na vila uns 25 anos e depois no Marineldo. Triste mesmo é você ficar vendo, da janela do apartamento, demolirem a casa e a vila de tantas recordações. O próprio edifício foi construido sobre o terreno de uma dúzia de casas, todas com jardins e quintais, árvores frutíferas e floreiras. Era tudo muito vivo e alegre. Passei, há 2 anos, por ali. Tudo está triste e, a noite, meio deserto. Demoliram o passado e parece que mataram a vida que existia nele.

Rafael Netto 13-5-06 19:16 …

Acho que a tendência do lugar é melhorar, pois foi urbanizado e arborizado. Vamos ver daqui a alguns anos.

Voltando ao foco: estive no lugar da foto hoje – rua Desembargador Isidro – e conferi que o sobradinho da esquerda ainda existe, como disse a Ana Lucia. Todo o resto parece que já foi substituído por outras construções mais recentes (mas muitas já bem antigas). Isso fica bem no início da rua, na esquina com a General Roca. Não deu pra tirar foto no local por causa do movimento.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto