foto de andredecourt en 28/07/06

Av. Pasteur esquina com Av. Venceslau Brás.

Vemos nessa foto da década de 60 um lugar que não mudou muito ao longo desses últimos 40 anos, mas vendo a foto em detalhes podemos constatar pequenos detalhes que diferenciam o hoje do ontem.

O primeiro ponto que chama atenção é a disposição dos canteiros centrais da Av. Venceslau Brás, que aparentemente foram deslocados para o alargamento das pistas sentido aterro, nessa época haviam apenas 3 faixas de rolamento no sentido Aterro.

Vemos também trilhos de bonde vindo pela Av. Pasteur, mas não as suas linhas, em seu lugar podemos observar linhas de trolley’s pela Av. Venceslau Brás, o que indica que todas eram de mão dupla.

Em maior resolução podem ser vistos objetos do velho mobiliário urbano, como sinais de transito, postes de iluminação pública, faixa de pedestres ainda feita de “tartarugas” e constatamos que o muro do Yatch Club já estava lá.

O velho Hospício PII, na época já ocupado pela reitoria da Universidade do Brasil parecia estar bem cuidado, inclusive seus jardins.

Indo em direção ao horizonte podemos ver o Instituto Benjamim Constant, o prédio da velha Faculdade de Agronomia e sede da Empresa Brasileira de Recursos Minerais e a demolida Faculdade de Medicina que pode ser vista muito tenuamente.

Fechando a foto, lá no fundo temos o conjunto residêncial militar da Praia Vermelha, apelidado maldosamente nos anos 50 de “Chifre de Ouro”.

Comments (22)

Rafael Netto 28/07/06 8:24 …

Acho que a Venceslau Braz tinha um canteiro central, que aparece na foto e foi removido. Mas os carros estão todos na mesma posição, indicando que a via já era de mão única.
O canteirinho que ainda existe entre a Venceslau Braz e a pista que um dia foi General Severiano tem umas árvores antiquíssimas, não deve ter havido reforma ali, a não ser que ali fosse a calçada e os prédios tenham sido todos recuados (aliás todos são dos anos 60 pra frente).

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

andredecourt 28/07/06 8:32 …

Rafael eu acho que ali houve um realinhamento de PA, quanto a mão dupla os trolleys podiam circular em regime de “mata paulista”

Lefla 28/07/06 9:00 …

Por que Chifre de Ouro?

andredecourt 28/07/06 9:10 …

Lefla, os militares viajam muito….hehehe

Waldenir 28/07/06 9:15 …

Bom dia, André.
De fato, o canteiro da antiga Reitoria da UFRJ era bem melhor cuidado,hoje quase não se percebe este formato sinuoso,mas a grade que separava o acesso ao prédio dos jardins ( e,provavelmente,dos internos)ainda está lá.
A marca registrada da época,os fuscas,sempre aparece.
E quanto ao Chifre de Ouro,é interessante perceber que um conjunto habitacional de militares na beira da Av. Brasil,na altura de Deodoro,era igualmente chamado pelos “paisanos” de Conjunto dos Chifrudos.Provavelmente o adjetivo de Ouro refere-se à presença maçiça de oficiais que faziam cursos na ESCEME ou no IME e ali residiam…

eduardo bertoni 28/07/06 9:24 …

Local para mim de muitas saudades. Que absurdo terem demololido a nossa Faculdade de Medicina.
Até hoje nada foi feito no local.

eduardo bertoni 28/07/06 9:24 …

demololido = demolido

Rafael Netto 28/07/06 9:27 …

Essa história de “mata paulista” (que pelo que eu vejo foi muito comum na cidade) é uma das melhores provas da burrice, incompetência, ignorância, enfim, da cara de pau daqueles que nos (des)governam. E isso foi nos “anos dourados” do Distrito Federal!

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

lucia 28/07/06 9:50 …

Buenas, Andre!
Volto daqui já, já prá ler.

:)

Derani 28/07/06 13:21 …

Esses muros do Iate são a única coisa que consigo me lembrar da minha infancia ao passar por aí…e olha que já se vão 50 anos.. deve ser muito antigo e uma espécie de novidade na época porque chamava muita atenção, completamente diferente dos muros de então.

triunfodapintura 28/07/06 22:03 …

Já conhecia e acompanhava teu fotolog, agora que tenho um tb, vou poder te adicionar. Passa lá no meu.

Evelyn 28/07/06 22:48 …

Se nada foi construído no local da antiga Faculdade Nacional de Medicina, então o que havia no terreno hoje ocupado pela UNIRIO?(pensei que a UNIRIO tivesse no local anteriormente ocupado pela Nacional)

Rafael Netto 29/07/06 0:23 …

Acho que a Uni-Rio ocupou os fundos do terreno, aliás é curioso, tem um prédio novo lá atrás, grande, com um frontão neoclássico, de frente pra nada…
Os prédios mais antigos da Uni-Rio não sei o que substituíram, mas desconfio que a antiga Escola Nacional de Química funcionava por ali.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

Keila 29/07/06 2:42 …

A Uni-Rio fica praticamente com as “sobras” do terreno da UFRJ. Só há um muro separando as duas universidades.

Marcelo Alnmirante 29/07/06 14:26 …

Por falar em mata-paulista, num filme dos anos 50 – “VIROU BAGUNÇA” – mostra a Nossa Senhora de Copacabana com mão única para os autos nas laterais e dupla para os bondes no centro, pode ?

Rafael Netto 29/07/06 20:05 …

Pois é, os bondes foram “engessados” nas leis de trânsito do início do século XX. O pior é que os tróleibus, então modernos, foram obrigados a seguir os mesmos itinerários anacrônicos!

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

Marcelo Almirante 30/07/06 15:15 …

Os trólebus foram implantados como desculpa para se acabar de vez com os bondes.

O pior é que o povo acreditou.

Quando todo o sistema de bondes já estava extinto (1968), começaram também a desativar de vez os trólebus, cujo último carro circulou em 1971.

A permanência de bondes e trólebus numa metrópole ainda sem metrô como o Rio de Janeiro seria uma coisa muito boa, por isso tanta perseguição, pois transporte elétrico é coisa para países como Áustria, Suiça e Alemanha. A cidade, capital da república da Carmem Miranda não podia ser feliz. Devia se preocupar mesmo nas batucadas e na favelização de sua cultura.

Felicidade é coisa de Nova-iorquino, como reza Hollywood. A América Latina, povoada por povos fracos e preguçosos deveriam ser mesmo humilhados e dominados pelo eixo NYC-Londres.

Aí está a última crise econômica da Argentina, como exemplo, que está “brasileirando” a rica nação argentina.

Realmente o Brasil e a Argentina juntos são um perigo aos interesses saxões na América.

martins_b 30/07/06 17:13 …

Parabens pelas tuas fotos…

luiz_d 31/07/06 11:21 …

Beleza de foto, meu caminho diário nesta época em que freqüentava a saudosa Faculdade de Medicina, lá no fundo.

No primeiro terreno, aí na esquina, eram as aulas de Psiquiatria, bem juntinho do Hospital Pinel.

À direita, sem aparecer na foto, o espaço da Faculdade de Educação Física, onde se disputavam parte dos campeonatos universitários.
Grandes tempos.

Honorio Vargas 1/08/06 18:32 …

É isso aí Bertoni e colegas da “Nacional”.
Só deixaram mesmo as saudades (70/75).

Alexandre Figueiredo 2/09/06 16:06 …

Pela qualidade da foto e pelos automóveis que aparecem, a data deste registro fotográfico deve ser de 1960, mesmo. Comecinho dos ‘sixties’.