foto de andredecourt en 7/08/06

Uma foto e duas histórias.

História número 1

Essa foto coloca uma bela pá de cal nas especulações a respeito do deslocamento do arremate curvo da velha Av. Atlântica quando do alargamento nos aos 70.

Na foto vemos perfeitamente a velha avenida à direita totalmente intacta, inclusive o velho calçadão que ficava junto a areia, ficando hoje junto ao estacionamento lateral.

Ou seja, pelo menos no Posto VI, as dimensões da velha Atlântica estão perpetuadas no calçadão junto aos prédios.

A foto ainda nos mostra mais detalhes, como a casa que resistiu até os anos 80, na esquina com a rua Joaquim Nabuco, representante das pioneiras do bairro, pois aparece em fotos já do final dos anos 10 do sec. XX. Vemos também o prédio do Cassino Atlântico, nessa época sede da TV Rio e que em breve seria demolido, ao seu lado vemos uma ponta do telhado de uma grande casa normanda, demolida junto com o prédio do cassino para a construção do Hotel Sofitel.

História número 2

No sábado passado eu e Roberto Tumminelli (http://www.flickr.com/photos/carioca_da_gema/ ) fomos garimpar material, quando nos deparamos com várias fotos, aparentemente de uma família, olha daqui, mexe dali, achei um passaporte que confirmou a identidade dessa senhora, Sara Gandelman, moradora da rua Saint Romain, nos aprazíveis anos 30 e 40, quando a favela ainda não tinha fagocitado aquela via.

Além de suas fotos em Copacabana, e no Rio, havia todo um histórico de várias viagens, desde mocinha até idosa por vários lugares do Brasil e do mundo, como cartões, folhetos e lembranças. Em suma, toda a memória de uma pessoa foi para o lixo, certamente descartada pelas gerações mais novas que acham que esse material é velho e não serve para nada….uma pena

Comments (27)

luiz_d 7/08/06 8:31 …

Fantástico resgate, mas que merecia uma “fotoxopada”, merecia!

O Rafael vai vibrar com esta confirmação do local do “arremate curvo”!

andredecourt 7/08/06 8:34 …

Luiz, melhorei bastante, mas é uma daquelas fotos coloridas do início dos anos 70 que as cores mudam, acho que precisaria de um plug-in para reequalizar as cores

Robrto Tumminelli 7/08/06 9:10 …

Além da foto dessa senhora há duas de outro membro da familia no mesmo local, antes e depois da obra de duplicação. Assim que meu comp melhorar vou escanear e fazer post duplo.

O que mais me impressiona nesss idas à feira de antiguidades (quinqulharias e velharias) é a enorme quatidade de fotos de familia que são jogadas fora, acabando-se assim uma história. Dessa vez conseguimos resgatar algumas imagens dessa senhora e familiares.

:-) )))

langaard@bol.com.br 7/08/06 9:40 …

Andre,
Não teria a casa normanda sido a sede da Cultura Inglesa?

jban 7/08/06 9:54 …

Essa foto na verdade é de uma conhecida comentarista de nossos fotologs antes do tratameno de rejuvenescimento a que se submete regularmente em local secreto no bairro de Botafogo… Bem alí perto a Praça Eugênio Jardim…
:-)

jban 7/08/06 10:06 …

No foco… excelente resgate e pesquisa. O que é lixo para uns, tem valor para outros…

Minha sogra morou numa bela casa na Saint Roman nos anos 40..

triunfodapintura 7/08/06 10:20 …

Nostálgico demais o letreiro da TV RIO no final da praia. O tempo passa…

Rafael Netto 7/08/06 10:26 …

É bizarro ver a antiga avenida intocada, assim ao lado da nova.

Pra mim, a Atlântica devia ter sido apenas duplicada, ficando da largura da Vieira Souto. O interceptor oceânico ficaria debaixo da nova pista, as antigas e artísticas calçadas junto aos prédios seriam preservadas, bem como a “dimensão humana” do lugar.

Eu não duvido que o degrau de pedra tenha se mantido no mesmo lugar na praia toda. Aquela montagem que eu fiz não prova nada. Vou tentar reproduzir essa aí, onde o degrau está mais longe e talvez coincida melhor. O fato da foto ser mais nova também ajuda.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

Rafael Netto 7/08/06 10:27 …

Esse mega-letreirão da TV-RIO devia descaracterizar “um pouquinho” o antigo Cassino Atlântico, não é mesmo?

cinthia_pedrinha 7/08/06 10:42 …

Muito legal a foto….

Marcelo Almirante 7/08/06 11:41 …

Também estive na feira da Praça XV no último sábado e encontrei quase nada, em matéria de imagens e livros.

Agora estou entendeno, vide a concorrência.

O trecho do posto 6 parecia ser mais largo, mesmo. sem o aterro. Resta saber.

Também tem as árvores, que dá um tom de bosque encantado.

Existe mesmo uma ligação entre o Posto 6 e Copacabana, no lago Titicaca.

andredecourt 7/08/06 13:18 …

Sim, a casa normanda era a casa da Cultura Inglesa !!

Sergio Luis dos Santos 7/08/06 14:12 …

Já vi fotos fantásticas sendo vendidas por lá. Uma vêz, um álbum completo e outro sendo vendido em partes, de um ex presidente do Fluminense, fotos de corridas de automóveis e lanchas. As de carro, eram no Circuito da Gávea, tinham até de vencedores junto à linha de chegada sendo homenageados, todas em tamanho grande. Onde foram parar ?…

andredecourt 7/08/06 14:18 …

Sérgio, essas fotos maiores sõa arquivos de órgãos de imprensa, que vão sendo extraviadas, compramos algumas dessa vez, eu e Roberto, mas se acha muitoas, quase sempre carimbadas por trás com o património de origem…me impressiona como a memória se perde nesse país. Felizmente há alguns exêntricos como nós que ainda a muito custo e a expensas próprias conseguem conservar uma pequena parte, e ainda poder compartilhar-las, o que eu acho o mais importante, apesar do trabalho que o flog me dá

Rafael Netto 7/08/06 17:31 …

Eu já vi na Praça 15 muitas vezes coleções de fotos pessoais, mas fico meio constrangido de “invadir a privacidade” de alguém que eu nem conheço.

Por outro lado, também há os colecionadores/revendedores de fotos históricas. Tinha um especializado em fotos de ônibus, interessantíssimo (seria o Almirante????). Neste, vi fotos da antiga Lapa e do Largo da Carioca, já expandido mas ainda sem o prédio da CEF.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

Solange Passos 7/08/06 18:39 …

André, uma vez ouvi alguém dizer que poucas pessoas sabem o nome de seus bisavós e dos avós , só o primeiro nome. É verdade, o brasileiro dá pouco valor às suas origens. Isso explica muitas coisas.
Obrigada por resgatar essas memórias e trazê-las para nós.
Um abraço,

Luís Felipe Pires 7/08/06 21:57 …

talvez nós demos mais valor a essas coisas do que os próprios familiares !
Obrigado André, por cavucar, garimpar, a feirinha da Praça XV prá gente ! Eu também já fui lá e achei um postal de Guimarães, Portugal de 1911, terra de onde saiu meu avô, mais ou menos nesta época !Guardo-o como uma relíquia !

Luís Felipe Pires 7/08/06 22:04 …

Ah, se alguém quiser ver o postal , eu o coloquei no Imageshack , e podem acessá-lo em:

[IMG]http://img235.imageshack.us/img235/3052/scan00015hh.jpg[/IMG]

e o verso é interessante , pois tem a dedicatória e o endereço para a cidade de Matosinhos, Portugal , e eu chequei em um mapa e esta rua ainda existe. Se algum dia eu for em Portugal , vou lá entregar !! 100 anos depois!!
link do verso:
[IMG]http://img256.imageshack.us/img256/6522/scan00024ek.jpg[/IMG]

Luís Felipe Pires 7/08/06 22:15 …

em relação aos links acima, não estão funcionando direto, tem que copiar só o endereço ( sem os IMG ) e colar na barra de endereço !

binamalta 8/08/06 4:12 …

Oi André,
A feirinha da Praça quinze acontece todos os sábados??? Em que horário????
Obrigada, beijos e adoro o seu fotolog!!!!!!!!!!

Rouen 8/08/06 7:14 …

André, eu também nas minhas garimpagens passo lá na Praça XV e vejo estas fotos jogadas no chão e fico com muita pena pois é uma vida que está ou estava contando alguma coisa e alguém jogou tudo no lixo. Legal o seu post, a Sra. Sara Gandelman agora está sendo vista por muita gente e ajudando nosso hobby de Rio de Janeiro antigo.
Vi várias vezes fotos de casamento dos anos 40 e 50 jogadas no chão debaixo daquele viaduto da Praça XV, o casal posando, ele de terno escuro e ela de vestido de noiva, ao lado de um espelho ou de uma mesa redonda com tolha rendada ou na subida de uma escada. Fico me perguntando e imaginando o que aconteceu com este casal, se tiveram filhos, certamente ele foi bem sucedido como advogado ou comerciante, compraram uma casa em Petrópolis nos anos 50 ou Cabo Frio nos anos 60, faleceram e alguém descartou tudo e jogou fora. Tinha tomado a decisão de comprar esta foto de casamento, mas ainda não estava no fotolog, se eu voltar lá e achar eu compro e publico.
Bem, aí foi minha parte sentimental !!!

Lefla 8/08/06 8:45 …

Uma das coisas mais engraçadas ocorre com paulistas enricados e de origem não muito abastadas. Como morrem de vergonha de terem ancestrais lavradores ou donos de empórios e açougues, esses miliardários paulistas, hoje todos sofisticação, compram fotos antigas de pessoas que não conhecem, porém bem vestidas, chiques, em viagens, e colocam em porta-retratos. Assim, os desconhecidos viram tias e tios, avós, bisavós e primos. E a família dos paulistas fica, assim, composta para competir com as dos quatrocentões. Não sei se japoneses fazem isso, porque aí seria o fim da picada…

Ah, São Paulo… chega a ser cômico!

Ilan (mach1970@ig.com.br) 8/08/06 20:59 …

Quem me dera q na minha família tivesse todo o histórico rico de fotos, as poucas fotos antigas são só de lugares fechados, raros são as de lugares abertos.

A única foto q infelizmente o meu avô não sabe dizer aonde guardou, da qual mostra ele, minha avó e seus amigos ao lado de um belo Cadillac 1959/1960 conversível, tal como o carro do Roberto Carlos (q tive o prazer de ver pessoalmente rodando pela Urca). O local da foto é desconhecido até mesmo por ele q ali estava na foto.

O q sei é q é um lugar com grama baixa, todos estão em cima da grama, não se vê meio-fio e mais ao fundo (aparentemente 50-100 metros) há por toda a extensão árvores. Se alguém souber dizer aonde é já ajuda bastante. O lugar parece ser mto interesse, se ainda tiver do mesmo jeito.

RENATO 11/08/06 7:10 …

Estas pulseiras prateadas nos 2 braços é típica marca registrada de mãe de santo. 10 entre 10 administradoras de edificações espirituais afro-brasileira (mão de santo de terreiro de macumba)utilizam estas pulseiras. Não tem como se enganar, ela comandava uma gira forte!

g_s 13/08/06 1:48 …

Mostra um pouco o efeito do tempo sobre as fotos… eu veria desse jeito. Os verdes, pela impressão de época não se firmaram na cópia impressa, dando esse tom amagentado.
Foto antiga serve realmente pra muita coisa…

JEAN 22/09/06 13:52 …

EU CERTA VEZ FUI A UMA FEIRA DE ANTIGUIDADES AQUI EM BRASÍLIA E VI UMA FOTO ASSIM DE UMA SENHORA ACHO QUE DO COMEÇO DO SÉC 20 ENDEREÇADA A UM SOBRINHO, FIQUEI PENSANDO NOSSA COMO VEIO PARAR AQUI? ONDE ESTÃO OUTRAS FOTOS TUDO DOADO OU PERDIDO NO TEMPO POR FAMILIARES OU PESSOAS SEM NOÇÃO DE TRADIÇÃO OU CONHECIMENTO.