foto de andredecourt em 05/02/07

Nessa foto dos primeiros anos do séc. XX vemos a movimentação na Rua Sen. Vergueiro, chama muito a atenção o pequeno automóvel que se aventura à Zona Sul passando no sentido contrário do bonde.

O que muito poucos sabem é que a Rua Sen. Vergueiro foi traçada de forma natural por um dos braços do Rio Carioca ( aparentemente fino e perene ), que se dividia na Praça José de Alencar. A rua, é muito antiga, sendo já conhecida e traçada praticamente igual à hoje desde o quinhentismo e era conhecida como Caminho Velho de Botafogo.

No séc. XIX por ser praticamente à beira mar a velha rua abrigava grandes mansões e solares, todas da elite da época, e também bons estabelecimentos hoteleiros como o Hotel dos Estrangeiros, um dos melhores da cidade até os anos 10 do séc XX.

A nossa foto parece ser tirada do local onde o Rio de Janeiro urbano terminava, e os arrabaldes começavam, a Ponte do Salema, que ficou no local desde 1575 até 1866 quando o Rio Carioca foi canalizado nesse pequeno trecho, para a colocação das linhas de bondes que iam para à Zona Sul. Hoje praça José de Alencar

É interessante notar a casa colonial à direita da foto já em ruínas.

Comments (18)

jplages disse em 05/02/07 07:40 …

Sensacional. Meu pai morou na Senador Vergueiro.

Luiz D’ disse em 05/02/07 07:41 …

Não era na Ponte do Salema o primeiro pedágio urbano que houve no Rio?

http://fotolog.terra.com.br/luizd

plinio.froes@rioscenarium.com.br disse em 05/02/07 07:50 …

Parabéns pelo site. É a democratização da imagem.
Voltarei para novas visitas, na esperança de encontrar aqui, alguma foto antiga da rua do Lavradio. Parabéns, Plínio Fróes.

andredecourt disse em 05/02/07 07:55 …

Exato Luiz, se pagava à Coroa um pedágio, brancos pagavam X e escravos, mulas e cargas pagavam Y, pelo projeto original haveiram outros postos de pedágio na antiga região rural da cidade, mas nunca foram para frente.

andredecourt disse em 05/02/07 08:10 …

Plínio, em 2004 numa série sobre as turbulências políticas e o suícidio de Vargas, fiz uma série na qual temos uma foto da Rua do Lavradio, onde o povo tentava depredar o prédio da Tribuna da Imprensa, ela pode ser vista aqui:

http://www.fotolog.com/andredecourt/8374216

Há também uma série da natimorta Av. Norte-Sul que podemos ter uma idéia de como a Lavradio ficaria se o plano tivesse ido à frente:

http://www.fotolog.com/andredecourt/10970636

rockrj disse em 05/02/07 08:21 …

Meus avós moraram lá na década de 40, no Edifício Capibaribe, que de onde na época avistava-se a Praia do Flamengo.

Derani disse em 05/02/07 08:24 …

Em primeiro plano parece ser uma lampião à gás…

andredecourt disse em 05/02/07 08:30 …

Derani, exato é um poste de estilo francês com combustor à gás. Foram esse modelo, já convertido à eletricidade que dezenas foram tirados dos jardins do Museu da República para se colocarem aquelas “coisas” que estão lá agora

FlávioM disse em 05/02/07 09:10 …

André, o pedágio era cobrado por quem? Pelo governo ou pelos donos da terra (e do caminho)?

Fiquei curioso com um comentário aí em cima e visitei o http://rioscenarium.com.br/ . Vale a pena…

andredecourt disse em 05/02/07 09:25 …

O imposto era recolhido à coroa Flávio

Marcelo Almirante disse em 05/02/07 12:12 …

Parece que esse pedágio foi cobrado até 1860.

Mas como era chic o Flamengo.

Evelyn disse em 05/02/07 14:01 …

Plinio
Li que o Augusto Ivan lançará um livro sobre a Rua do Lavradio,certamente você já tinha esse informe.
E quando reiniciarão as Feiras do Rio Antigo aos sábados?

Andre
Que rua seria esta à direita?
Pensei em ser a Cde de Baependi, mas neste caso a esquina seria com Marquês de Abrantes e não com Sen Vergueiro.
Não foi na Ponte do Salema que houve um assassinato da amante de quem mesmo?Do D. João VI?

Flavio M
Vale a visita real, é uma viagem ao tempo!

Marcelo
Era, não, ainda é!(rs)

AG disse em 05/02/07 14:04 …

Mais uma preciosidade do Dr. Decourt.
Nunca soube deste pedágio.
Que “cousa” !

jban disse em 05/02/07 15:20 …

Esse AG não sabe de nada !!! Francamente !

AG disse em 05/02/07 16:31 …

Juanito de Las Marimbas,
todo dia de manhã eu levanto, de depois de fazer pipi, encaro o espelho.
E olhando bem nos olhos; para o fundo das minhas cansadas retinas, eu digo:
- AG, tu não sabe nada. Pior, AG; tu não sabe de nada.
E volto a deitar mais quinze minutos, segundo manda Dr. Caetano Veloso, conciliado com minha conciência.

AG disse em 05/02/07 16:32 …

Errata !!!
Juanito de Las Marimbas,
todo dia de manhã eu levanto, e depois, E DEPOIS, E DEPOIS !!! de fazer pipi, encaro o espelho.

JBAN disse em 05/02/07 18:19 …

AGeizito de los Alfajores,

O mano Caetano pode até se olhar no espelho, mas nunca vai dizer que não sabe de nada. Vai dizer assim: “Coisa linda, tu sabes de tudo !!!!”