andredecourt's Foto von 12.02.07

Largo da Mãe do Bispo, início do séc. XX

Essa foto nos mostra um angulo bem pouco usual do Largo da Mãe do Bisbo, antigo ponto chave da velha cidade colonial. Normalmente as fotos mostram os encontro das ruas Evaristo da Veiga ( antiga Barbonos ), Treze de Maio ( antiga Guarda Velha ) e da Ajuda, com a Ladeira do Seminário.

Porém nossa foto é ao sentido contrário, o nosso fotógrafo está de costas para o encontro das quatro vias que formavam o largo e aponta sua lente para o mar, que aliás era bem pouco visto nessa época.

Ele está mais ou menos na frente da Câmara dos Vereadores de hoje, e fotografa o final da Rua da Ajuda, quando os trilhos de suas linhas de bonde se juntam as paredes do Convento da Ajuda.

Os imóveis à esquerda davam fundos para as fraldas do Morro do Castelo e dão uma idéia de quanto o morro avançada nesse lado da cidade.

Essa foto é mais uma das provas do acanhamento da velha cidade colonail e da sua inadequação, essa estreita via, era a principal saída do Centro da cidade rumo à Zona Sul, via Passeio Público.

Comments (13)

Luiz D’ 12.02.07 07:38 …

Para se ter uma idéia de como era este local alguns anos depois sugiro dar uma passada no meu fotolog e ver o “post” de hoje!!!

http://fotolog.terra.com.br/luizd:656

Derani 12.02.07 07:58 …

Sensacional essa, nunca tinha visto por este ângulo…
Realmente a abertura da Av Central foi imperiosa… não se imaginaria uma capital federal assim.

JS 12.02.07 10:04 …

Quanta transformação.Esta foto deve ser raríssima? Alias pouco se guardou em imagens do que foi destruido.

js 12.02.07 11:10 …

Amigo Andre,voce por acaso possui alguma foto da Ladeira do Seminário?

andredecourt 12.02.07 11:27 …

JS, possuo sim, acho que já postei uma imagem dela no final de 2006

Mauro_AZ 12.02.07 12:56 …

Nao sei se ja’ consegui entender direito a posicao do fotografo. Ele esta’ mais ou menos na frente do que mais tarde seria a Camara dos Vereadores, porem esta esta’ `a sua direita, e o futuro local do Teatro Municipal estaria mais ou menos `as costas dele, um pouco para o lado direito. Entendi ou me confundi?

As arvores que aparecem la’ no fundo sao o Passeio Publico na parte onde seria construido “Ele” (o P. M.)?

jban 12.02.07 13:35 …

Mauro,

O fotógrafo está de costas para o Municipal e de frente para o Monroe. É isso.

Vinicius 12.02.07 15:12 …

Saiu no O Globo

Novo Centro
O Globo, Joaquim Ferreira dos Santos, 11/fev

O edifício Nilomex, na esquina da Nilo Peçanha com a México, foi comprado pela incorporadora internacional Hines, a mesma que construiu o Torre do Almirante noutra das pontas do quarteirão, na esquina com a Graça Aranha. A Hines vai botar o prédio abaixo, mas se comprometeu, quando reerguer o novo, a preservar o precioso portão art déco do Nilomex, uma relíquia do Centro.

Mais uma parte da nossa história que se vai.

js 12.02.07 15:59 …

Obrigado,André,já visitei a outra foto o que me permitiu imediata localização,visto que o prédio de esquina aparece nas duas fotos.Sinceros agradecimentos.

/andredecourt 12.02.07 16:16 …

Vinícios, li a notícia, mas não levei fé nela, acho que está errada.

As fachadas dos prédios Radia, Castelo e Nilomex estão tuteladas, como está a do seu vizinho Ishibrás, que foi retrofitado pela mesma construtora, para nele fazer o edifício garagem da Torre do Almirante

Vinicius 12.02.07 16:39 …

André, acabei de ler uma outra notícia, essa de dezembro, que dizia que o Nilomex e o Castelo iam passar por um “retrofit”:

http://ademi.webtexto.com.br/article.php3?id_article=18082

O repórter deve ter se equivocado.

Rafael Netto 12.02.07 19:14 …

A Hines bem que podia aproveitar e refazer o coroamento decô do Nilomex.

Falam de destruição e transformação? Acho que a mais radical foi mesmo a de Passos. Não se conceberia uma mudança tão profunda nos dias de hoje, não apenas por incompetência daqueles que têm o poder, como também pelo próprio tamanho da cidade.