andredecourt's Foto von 21.06.07

Esplanada dos Ministérios.

Com a demolição do Morro do Castelo e o grande espaço surgido em pleno Centro da Cidade, logo após o término das Expo de 1922 e o arrazamento dos últimos pedaços do morro começou a se pensar o que se construir na grande esplanada recém conquistada.

O Plano Agache, de poucos anos depois destinou uma boa parte do local à construção de prédios públicos administrativos que centralizariam a administração federal.

Sabemos que logo após a sua aprovação o plano foi abandonado como algo da velha ordem pelos tenentistas, e a espalana Art-Déco planejada pelo urbanista francês nunca realizada. Mas apesar de rasgado suas idéias foram resgatadas muitas vezes de maneira a não identificar de onde saiam.

Uma delas foi a concentração de prédios públicos na região do Castelo, de estilo arquitetônico diverso e com urbanismo modificado, mas não muito ao ponto de vermos ainda vários traços da região imaginada por Agache.

A construção dos 3 grandes ministérios do final dos anos 30 ao meio dos anos 40, indica isso. Embora de maneira geográfica diversa do planejado nos anos 20 e em estilos diversos, indo do Art-Déco ao Modernismo, passando por inexplicável e fora de moda neo-clássico os prédios foram construídos exatamente no lugar planejado por Alfred Agache.

Na nossa foto de hoje vemos um grande canteiros de obras. Nosso fotógrafo aparentemente estava no prédio da ACM, hoje demolido, na esquina da Av. Graça Aranha com Rua Araújo Porto Alegre e foca sua lente para as obras. Vemos o prédio do Ministério do Trabalho na fase de acabamento, apesar dele não ser o objeto principal da foto, observamos que no seu topo ainda estava bem claro o nítido coroamento Déco do prédio, que durou pouquíssimo tirando todo o seu equilíbrio. Do outro lado da ainda arrascunhada Rua da Imprensa, vemos as fundações de um dos primeiros prédios modernos do mundo, o prédio do MEC, hoje Palácio Gustavo Capanema.

Podemos ver o início da subida dos pilotis do anexo lateral, e os tabuleiros de concretagem do corpo central. Ao fundo vemos a Igreja de Santa Luzia e o solitário prédio que abriga o Consulado da Itália, numa esplanda do Castelo ainda muito vazia.

Comments (14)

Marcelo Almirante 21.06.07 08:39 …

O Plano Agache era uma aberração que não foi concretizada, ao menos em parte, pois é só dar uma volta pela avenida Antônio Carlos para ver a falta de graça.

Sem contar que não respeitava a história nem as tradições da cidade.

Por sinal, na época de Vargas a cidade começou a dar em samba …

andredecourt 21.06.07 08:51 …

Discordo do Marcelo, o Plano Agache tinha qualidades muito boas, principalmente nas zonas residencias, se ele tivesse sido respeitado a Zona Sul seria muito mais humana que é hoje. O gabarito máximo para Copacabana com afastamentos nas divisas era de 8 andares, sem afastamento variava entre 5 e 3 pavimentos.

A Antônio Carlos até hoje é uma avenida não concluída, um dos seus lados permanece vazio até hoje. O melhor exemplo do plano são os quarteirões inciais perto da Nilo Peçanha, uma região que apesar de decadente, muito pelo poder público se mantem até hoje classuda.

E lhe pergunto, o que respeitou a história da cidade nos últimos 200 anos nessa cidade ?

Luiz D’ 21.06.07 09:12 …

Já pensou Copacabana com “gabarito máximo de 8 andares com afastamentos nas divisas e 3 a 5 pavimentos sem afastamento”?

Iria ser uma maravilha.

http://fotolog.terra.com.br/luizd

derani 21.06.07 10:31 …

Concordo com o Decourt que o conjunto de Agache seria muito interessante se tivesse sido levado à frente aí nesta região.
Inclusive a solução dele das calçadas cobertas é sensacional.
Me sinto muito bem passando por aí (sem olhar para o lado abandonado, certamente).

jban 21.06.07 10:50 …

Não tenho nenhuma simpatia pela arquitetura agachiana. Acho as calçadas cobertas horríveis, sufocantes e que só servem como abrigo de mendigos e mijódromo. Os prédios ficam em cima da rua, sem nenhum afastamento.

Acho o desmonte do Castelo um absurdo. Absurdo maior foi o subaproveitamento das áreas conquistadas, não integradas ao tecido urbano mais antigo. Até hoje vemos terrenos vazios e ruas sem função. A exceção é a Graça Aranha, que é uma bela avenida, mas infelizmente está muito degradada.

edubt 21.06.07 11:07 …

É uma cópia mal feita da arquitetura hitlerista que seria construida em Berlim depois da guerra, projeto do Albert Speer. Tipicamente ditatorial.

izaira zineski 21.06.07 11:10 …

Estou fazendo uma pesquisa sobre av. Beira Mar. Vocês saberiam informar qual o nome antigo dessa avenida.

Agradeço.

Izaira
e-mail: izaira.zineski.gmail.com

jban 21.06.07 12:06 …

Antes da beira-mar era apenas mar….

Waldenir 21.06.07 12:45 …

Boa tarde,André.
O citado coroamento Deco do Ministério do Trabalho durou quanto tempo,aproximadamente?
Eu sempre achei que “faltava algo” neste prédio,talvez por uma comparação com a Central e o Comando Militar do Leste,não havia um escalonamento pronunciado aqui.
Apenas a entrada e o térreo ainda guradam a idéia inicial…

photomechanica 21.06.07 13:30 …

Jban, voce não presta !!!
:-) )))))
:-) ))))))))))
:-) ))))))))))))))
:-) )))))))))))))))))

andredecourt 21.06.07 13:45 …

Waldenir, durou menos de 10 anos, no final dos anos 40 o prédio já estava como conhecemos hoje.

andredecourt 21.06.07 13:48 …

A foto é a mesma do Andre Costa, mas curiosamente retirada de publicação diversa, muito interessante

Rafael Netto 21.06.07 17:35 …

É curioso que o prédio mais recente do conjunto seja justamente o que tem a arquitetura mais antiga. O Ministério do Trabalho estava em sintonia com a época, já o MEC era uns 20 anos à frente de seu tempo. Imagino a perplexidade dos engenheiros na hora de construir esse prédio