Nossa foto de hoje mostra nesse esmainecido postal a região da Cinelândia, já com a configuração do Bairro Serrador, algo muito próximo do que temos hoje; e ainda de lambuja nos mostra um pedacinho da espalanda do Castelo recém conquistada.

 Mas a foto nesse aparente ” já vi tudo”  nos reserva algumas pequenas surpresas e detalhes.

Na Av. Rio Branco podemos ver com clareza a diferença de tamanho das árvores de Pau Brasil no canteiro central em relação aos Oitis nas calçadas, porque na época da construção da Av. Central se usou nas calçadas Jambeiros, que cresceram de forma muito acelerada nos anos seguintes além de produzirem muita sujeira. No final dos anos 10, início dos 20 todos os Jambeiros foram retirados e substituídos por uma das melhores árvores para se plantar numa grande cidade, o Oiti, aliás muitos dessa leva sobrevivem na poluidíssima Rio Branco até hoje.

No canto direito inferior da imagem vemos com destaque o pequeno prédio que foi comprado pela Justiça Federal para a construção do anexo ao velho prédio do STF no final dos anos 70, por uma representação numa famosa obra jurídica muitos pensam que o novo prédio foi construído nos jardins do STF, que nunca existiram lateralmente.

Atrás dos prédios da Rio Branco vemos uma Esplanada do Castelo praticamente vazia, e com o solo revirado, até a Rua México ainda está sem prédios, vemos apenas o pioneiro prédio da ACM, na esquina da Av. Graça aranha com Rua Araújo Porto Alegre, construído nos anos 20, logo que os entulhos do morro foram removidos naquele trecho e demolido nos anos 50.