O amigo Rouem está fazendo no seu Arqueologia do Rio uma interessantíssimna série sobre o alargamento da Av. Atlântica, notadamente a engorda da praia por aterro hidráulico, o que hoje é meio esquecido pelos cariocas.

A série, fantástica, vem mostranto as dragas na Enseada de Botafogo, os tubulões pelas vias do bairro, e até mesmo os pontos de lançamento da água carreada com a areia ( http://fotolog.terra.com.br/bfg1:681  até http://fotolog.terra.com.br/bfg1:685 ). Mas além das dragas fixas, na enseada, tínhamos outras duas móveis, que pegavam areia em bancos na entrada da baia, trazendo o material até pouco antes da arrebentação para então despeja-lo. As correntes marinhas fariam o resto.

Na nossa foto vemos a draga Transmundum III, na frente do PostoII, bem de fronte a Rua Rodolfo Dantas onde havia um dos pontos de descarga de material pelos tubulões. Ao observamos a praia vemos que a faixa de areia ainda  não tinha sido deslocada mais de 8o metros à frente, como acontece nsse trecho da praia, sendo possivelmente nossa imagem do início das obras.

O uso da areia do fundo da Enseada de Botafogo, destruiu a Copacabana de areias brancas e finas, que cantavam nos pés, como a da praia mais próxima, a do Arpoador, que possui uma areia bem próxima a original de Copacanana que pode ser observada ainda em qualquer obra no calçadão junto aos prédios, enterrada desde os anos 10 do séc XX ela é mais branca que a da praia.