myriam014

Trazemos hoje mais uma das fantásticas foto do acervo de Myriam Gewerc, tiradas por seu pai o Sr. Erich.

Nossa foto mostra o Monroe e a região fronteiriça poucos anos após o término da Expo de 1922, em detalhes surpreendentes, que merecem ser vistos bem de perto.

Logo após o término da exposição os terrenos do velho Convento da Ajuda começaram a se transformar rapidamente no bairro Serrador, tão uniforme no seu conjunto de “rasga céus” dos anos 20, que esconde ser o primeiro exemplo de especulação imobiliária moderna na cidade. Com ruas estreitas onde o sol bate minutos por dia e prédios com as janelas coladas umas nas outras, mas estávamos nos anos 20 e esse mau uso seria até perdiado pela falta de experiência, mas não nas décadas seguintes.

myriam-14-1

Vemos que o Ed. Odeon já estava pronto, mas o prédio que abrigava o Pathè Palace ainda estava nas obras de acabamento, nos dando para a foto o ano aproximado de 1928.

myriam-14-2

O topo do edifício Oden ostentava um enorme letreiro de neon, que infelizmente não podemos ver do que era, por ser de dia, mas certamente foi o pioneiro dos luminosos no topo dos prédios dessa região que marcaram a cidade por décadas e hoje infelizmente estão desaparecendo.

myriam-14-3

O Pavilhão da Argentina já tinha sido demolido, mas o Ed. Brasília só começaria a ser construído uns 6 anos a frente, no lugar um frondoso jardim, cercado de grades. Na antiga Av. das Nações as lembranças de exposição de 6 anos atrás ainda era representada pelo poste de iluminação estilizado, que em breve seria retirado, quando a festiva avenida se transformaria na definitiva Av. pres. Wilson. Em primeiro plano, desfocados pela velocidade da máquina dois garotos em trajes de banho.

myrian-14-4

O Monroe já abrigava o Senado da República, podemos ter uma idéia da ambiência do local com as árvores já crescidas

myriam-14-5

Por fim o denso jardim do Monroe e um poste provisório, que era comum nas áreas ocupadas anteriormente pela Expo de 22, em alguns lugares como na frente do MHN esses provisórios permaneceram até o final dos anos 50….

 

FOTO: Acervo Myriam Gewerc