Continuamos com nossos post relacionados ao conjunto ministerial da Esplanada do Castelo.

Nossa foto de hoje é uma bela noturna, tirada dos pilotis do MEC, onde inclusive aparece parte do corpo do anexo do auditório, mirando o novíssimo prédio do Ministério da Fazenda, com seu coroamento totalmente iluminado, que compunha a decoração da fachada, justamente com as luminárias da escada monumental, algumas em forma de pira.

A foto faz um contraponto interessante com essa imagem, do arquivo da família, tirada alguns anos antes, que mostra a construção do conjunto dos prédios governamentais, potada aqui em 2004 ( http://www.rioquepassou.com.br/2004/05/03/ ), nas duas imagens vemos a Rua Debret bloqueada, na primeira foto por fazer parte do canteiro de obras, e na de hoje por duas hipóteses.

Ou as obras do gigantesco prédio ainda não tinham terminado de todo, fazendo a Debret ainda parte das obras, ou a rua, por ser de segurança ministerial, ainda mais envolvendo o prédio do tesouro era bloqueada na parte da noite, embora mesmo pelo tamanho da foto vislumbro a linha do meio-fio da Araújo Porto Alegre, no traçado da via transversal, o que nos dá como plausível da primeira hipótese.

É muito curioso analisar como o prédio do Ministério da Fazenda nasceu com um estilo já defasado para sua época. Se o Min. do Trabalho respeitava rigidamente o estilo de prédios públicos à época e o MEC estava pelo menos uma década à frente o da Fazenda foi uma volta a pelo menos os anos 20, como um ecleticismo neo-clássico, em todos os seus detalhes.

A foto ainda nos mostra um pequeno pedaço do prédio da ACM, à época deixado de abrigar a Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, embrião da atual UERJ, que em 1943 já tinha ido para o histórico prédio da Rua do Catete, que jaz em ruínas.