Hoje estamos fazendo um post triplo com o Saudades do Rio “O Clone” e  Rio de Outros Janeiros, que em post´s do dia 11 de Novembro mostraram que a estátua do Cristo convivendo com a velha estrutura do Chapéu de Sol, deslocada de seu local original (   http://fotolog.terra.com.br/sdorio:1622 e   http://fotolog.terra.com.br/pehego:15 ).

Comparando as fotos postadas pelos dois amigos, e outras que tenho logo depois das obras da Estrada do Corcovado, realizadas pelo DER-DF no final dos anos 40, início dos 50, cheguei a conclusão que o velho gazebo foi demolido muito mais para dar acesso ao monumento que sua possível ferrugem.

Antes da construção do acesso rodoviário e de sua infra-estrutura, o Corcovado era acessado pela ferrovia, que tem sua estação até hoje localizada por de trás da axila esquerda da estátua. Nas fotos antigas vemos que cas escadarias eram mais estreitas, inclusive já com estátua já construída como vemos na imagem do Rio de Outros Janeiros.

Com a implantação da Estrada do Corcovado, dentro de um programa de melhoria e abertura de vias turísticas, que englobava também a implantação de outras atrações, a região da base da estátua foi em muito modificada. Foi feito um grande corte na rocha, nas costas da estátua, onde foi construído um estacionamento sobre pilotis e uma escadaria que sobre por uma grande parede de arrimo. A mesma técnica foi usada quase ha chegada ao mirante do monumento, a pequena e íngrime escada que vemos nas fotos antigas deu lugar a uma escadaria dupla que galga outra parede de arrimo.

Com essa mudança do acesso uma parte da escadaria abaixo teve que ser deslocada, ocupando parte da área ocupada pelo Chapéu de Sol, que já se encontrava bem apertado no local. Sendo então desmontado e certamente derretido. O restaurante do Corcovado é bem menor que o velho gazebo, e se beneficia de seu mirante, construído sobre uma beira de precipício, também sobre muros de arrimo e com sua laje servindo de outro mirante, onde aliás nosso fotógrafo estava.

Vemos um cair de tarde na Guanabara, com as pessoas apreciando o por do sol, numa meia estação, possivelmente outono, lá embaixo uma olrla da Lagoa ainda um pouco diferente, sem os aterros estarem regularizados junto ao Jóckey e com um grande vazio onde estava a Praia do Pinto.