Vemos o simpático prédio da Biblioteca Municipal do Rio de Janeiro nos anos 40.

A Biblioteca Municipal, depois Biblioteca Estadual da Guanabara e hoje Biblioteca Pública do Estado do Rio de Janeiro é uma das bibliotecas mais antigas da cidade e do país, fundada em 1873 por iniciativa do presidente do Conselho Municipal à época, o Sr. Antônio Bezerra Pereira, inaugurada no ano seguinte foi instalada em uma anexo da Câmara.

Nos anos 30, ela foi transferida para um pequeno prédio, ao lado do Paço Municipal, de forte inspiração art-déco, que pode ser de autoria da equipe capitaneada pelo arquiteto Eneas Silva, embora a documentação sobre a história do prédio seja impossível de ser achada na internet. Com o desaparecimento da antiga rua do Gal. Câmara o prédio foi inserido na Av. Pres. Vargas no número 1261, e ganhou sua primeira ampliação com a desapropriação de imóveis ao lado e ao fundo, indo até a Rua da Alfândega, tendo sido então a instituição ampliada.

Com a ida da capital para Brasília a biblioteca passou para o Estado da Guanabara, tendo editado no período de 1960 até 1965 inúmeras publicações sobre a história da cidade, das quais possuo algumas, inclusive com o desenho do simpático prédio na contra-capa.

Nos anos 80 o prédio foi atingido por um incêndio que causou profundos danos, o que foi a desculpa para sua demolição completa e substituição pelo atual prédio, de arquitetura sem inspiração e confecionado em pré-moldados de concreto, bem no estilo em voga no Socialismo Moreno dos governos de Brizola.

Mas a instituição possui um acervo de respeito, além de uma das maiores coleções em braile do país, mas como tudo que seja de cultura de verdade em nosso estado é precariamente divulgado e esta antiga instituição passa praticamente desconhecida do grande público e está fechada para reformas, isso num prédio de 25 anos aproximadamente e logicamente sem um site que funcione direito. Enquanto isso a secretaria de estado que a deveria manter fomenta bailes funks