Conforme já falamos no site, com o advento do Estado da Guanabara foi criada a CEE ( Companhia Estadual de Energia) que tinha a missão de reverter o precário quadro da iluminação pública da cidade. Se nos anos 30 o Rio era uma das cidades mais iluminadas do mundo, a partir dos anos 50 ela começou a se transformar em uma das capitais mais mal iluminadas das américas, certamente pela perda de investimentos privados e públicos, todos desviados para a construção de Brasília.

Decidiu-se trocar todo o parque de iluminação pública, assumindo o EGB, via CEE, nos lugares com a nova iluminação até os pontos em poder da Light serem todos substituídos de todo na Cidade Estado. As lâmpadas fluorescentes, que já iluminavam diversas vias e eram as mandatórias em caso de troca da iluminação graças a um decreto do PDF dos anos 50 mostravam-se eficientes, mas com a manutenção complicada, sendo então adotado o vapor de mercúrio incialmente em lâmpadas de 250W que promoviam uma verdadeira revolução face as lâmpadas  incandescentes de 400W e 500W empregadas em grande parte das ruas.

De início trocou-se a iluminação das vias onde as luminárias eram dependuradas por cabos de aço, mantendo-se os mesmos lugares e instalação, mas a cidade tinha que ter um novo modelo de poste. Começou-se os estudos para a criação do poste curvo padrão rio.

Nessa foto vemos uma das primeiras ruas com os protótipos instalados, a Rua Rodolfo Dantas, local perfeito visto a ausência de árvores e que era iluminada anteriormente por postes em estilo francês, facilmente removíveis. Do padrão final vemos muitas diferenças, primeiro os postes aparentam ter um 7.0 metros de altura, o padrão posteriormente foi definido para 9.0 metros, algo inadequado para ruas arborizadas e residenciais. E mesmo o material era diferente, aparentemente o poste era de ferro, talvez ainda fundido em várias seções que iam se afinando da base até o topo, o padrão definitico foi de postes de aço galvanizado de um só diametro e sem emendas ou seções. Outro ponto era o uso de um só lado em uma via relativamente larga, o que se mostrou inadequado, embora algumas vias tiveram esse tipo de instalação mesmo com os modelos definitivos como a Pompeu Loreiro. As luminárias curiosamente parecem ser GE e não Thonsom, como era a maioria instalada antes do modelo Peterco dominar.

Esse sistema durou menos de 10 anos, em 1974 a Rodolfo Dantas ganhou um sistema com os modelos padrão rio de 9.0 metros em lados intercalados da via e luminárias Peterco, como quase todas as ruas do bairro estavam ganhando, num grande programa de modernização