Há alguns anos um amigo dos FRA, reporter de um grande jornal fez uma pesquisa em seu órgão de comunicação sobre o assunto “carro” nos arquivos do mesmo. E falou, como se morria nos anos dourados de carro no Rio, lotações, ônibus e carros de passeio promoviam um massacre diário muitas vezes com dezenas de vítimas, muitas fatais.

Qual seria a fórmula para tal explosiva realidade, veículos inseguros, imperícia e irresponsabilidade dos condutores, sistema viário ultrapassado, falta de manutenção generalizada da frota…… acredito que era uma combinação de todos os fatores além de uma cidade que se motorizava rapidamente no pós guerra e que mantinha seu traçado viário básico do período Passos, as vezes com pontos não projetados para prevenir os acidentes.

Nas fotos que apresentamos hoje vemos que a grande maioria se concentrava no eixo Botafogo-Flamengo, notadamente na Av. Beira Mar, a época o ponto principal de ligação dos bairros da Z. Sul, com o Centro e Z. Norte e como eram vias sem o tráfego de bondes certamente os veículos imprimiam maiores velocidades, sendo os acidentes mais feios também.

Três imagens de acidentes na Praia do Flamengo, em pontos diversos, do choque de veículos em um cruzamento ( notem o poste exclusivo para sinais de transito, e as luminárias mais a frente já trocadas para as de mercúrio), passando pela violenta colisão de um coletivo com um poste e uma árvore do canteiro central da via e terminando com um capotamento de coletivo.

Colisão em off-set entre um caminhão de areia e um bonde na Praia de Botafogo na altura da Rua Marquês de Abrantes, reparem na verdadeira figura que é o guarda de transito, afastando a garotada. A cabine do caminhão está destruída dentro do bonde.

Capotamento de um Camões na curva da Ruy Barbosa, até hoje um lugar com muitas colisões, reparem que o teto do ônibus foi praticamente arrancado na capotagen e possível colisão com a árvore na calçada.

Choque entre uma caminhonete e dois carros de passeio em uma rua interna do Bairro de Copacabana.