Nossa imagem de hoje mostra um dos conjuntos habitacionais construídos pelos antigos Institutos de Pensões para a residência de seus mutuários.

Na foto em uma deserta avenida das Bandeiras, recém aberta, vemos os blocos externos do Conjunto Habitacional Getúlio Vargas, localizado no Bairro de Guadalupe, com cara influência dos blocos serpentina de Reidy, como o Pedregulho, o Parque Proletário da Gávea e o Conjunto da Catacumba, os dois últimos ou implantado parcialmente ou não implantado.

O Bairro de Guadalupe foi um grande balão de ensaio, criado no período Vargas, no Estado Novo para programas de habitação popular.  Até mesmo o nome do novo bairro foi uma sugestão da Sra. Vargas.

Vários modelos de conjuntos foram construídos, desde os mais convencionais, de casas ou pequenos prédios de no máximo 3 andares, passando por grandes complexos como este e até mesmo casas pouco convencionais como as “casas iglu” por seu formato redondo, construídas no lado oposto do conjunto Getúlio Vargas e hoje praticamente desaparecidas pela completa inadequação de iglus de concreto e o calor do subúrbio.

A experiência resultou nos anos 50 e 60 na construção de modelos definitivos de conjunto habitacionais, os quais alguns deram certo e  outros se transformaram em verdadeiras favelas de concreto armado.

A rua que vemos chegando na esquerda é a Rua Loasa, na realidade um continium de ruas que formam uma só via de penetração ligando Guadalupe a Marechal Hermes.

Fica aqui a pergunta, porque se parou de investir em casa popular nas grandes metrópoles e porque se abandonou o que já está construído, ode a favela de nossos políticos ??