Para os que ficam lanço a seguinte pegadinha:

Aonde ficava essa enorme feira nos anos 50 ???

A imagem que vemos é uma pequena panorâmica da Feira do Largo do Machado, no trecho da Rua Gago Coutinho, estamos quase na esquina com a Rua Marquesa de Santos e o fotógrafo virta suas lentes em direção ao largo, onde vemos as árvores o o prédio mais alto, no caso o bem antigo na esquina com a Bento Lisboa.

As outras imagens que coloco para ilustrar a resposta da pegadinha e dar continuidade ao post mostram a real extenção da feira, que ultrapassava os limites da primeira imagem.

Essa foto mostra a Rua Marquesa de Santos, o prédio em estilo déco fica na esquina com a Gago Coutinho e está lá até hoje, já a  Marquesa de Santos não possui a mesma ocupação nos dias de hoje, com a desativação da pedreira que havia no fundo, a partir dos anos 70 a rua sofreu uma grande modificação, com muitos prédios de apartamentos sendo construídos, mas ainda podemos ver algumas vilas certamente para funcionários da pedreira ainda de pé.

A segunda imagem mostra a feira no outro trecho da Gago Coutinho, quase na esquina com a Rua das Laranjeiras, vemos o Ed. Laranjeiras, também em estilo déco, nos mostrando o lugar, é interessante observar a grande quantidade de gêneros oferecidos na feira livre naquela época, ainda longe dos supermercados e das lojas de utilidades e miudezas para o lar.

Já a nossa última foto mostra  bancas de galinhas na Rua Marquesa de Santos, o hábito de se comprar galinhas vivas ultrapassava a feira livre, havendo diversas lojas formais nos bairros que ofereciam galinhas e derivados, conhecidas também pelo nalzeabundo cheio que emanavam para as calçadas. A vila que vemos hoje não existe mais, demolida no início dos anos 80, possuindo casas térreas e profundas, com pouca testada, ela pode ser vista em seus últimos dias no filme O Beijo no Asfalto, já a vila que existe do outro lado da rua, com casas mais nobres, está de pé até os dias de hoje. Reparem na pequena amurada de cantaria que defendia a entrada da vila de veículos, certamente sendo bem mais antiga que os automóveis.