A tarde cai por detrás do monumento à Deodoro, na confluência da Av. Beira Mar com a Av. Rio Branco.

Ao vermos essa belíssima imagem, não podemos deixar de reparar que ao contrário de hoje essa era uma praça viva, jardins bem cuidados, pedestres passando despreocupados e até mesmo gente sentada nos bancos.

Tudo muito diferente dos dias de hoje, onde o herói da pátria ocupa solitário uma praça morta, escura, abandonada, tomada por pivetes e viciados em crack, tal como acontece num triste continium por toda a Av. Beira Mar até o Russel, com exceção da cercada Praça Paris.

Tendo esse comparativo fica a pergunta, banir nos últimos 40 anos as residências do Centro, proibindo a construção de novos prédios residencias e fomentando a substituição da ocupação dos enormes apartamentos da Av. Beira Mar por escritórios foi bom para essa parte do Centro. Aliás para todo o Centro, pois quem cobra dos governantes, cria associações e mete a boca no trombone são os moradores e não uma população flutuante.

Mais uma belíssima imagem de Gyorgy Szendrodi