Nossa foto de hoje é uma noturna tirada do topo do Pão de Açúcar que mostra praticamente todo o bairro de Copacabana. A foto mostra um bairro ainda dominado pela iluminação incadescente, que a fraca potência das lâmpadas das duas únicas vias do bairro a vapor de mercúrio, a Av. Copacabana com o sistema dependurado por cabos e lâmpadas de 250W e a Barata Ribeiro com o mesmo posteamento de hoje ( que começa a desabar pela idade ) mas ainda também com baixa potência, embora com mais pontos de luz que a Av. Copacabana que usava a mesma posição das luminárias da Light. Vemos nessas vias apenas uma tênue mudança de cor, mais precisamente na mais modernamente iluminada.

Mas a maior mudança estava para acontcer em breve, pelos faróis dos carros vemos que as pistas da nova orla do bairro já estavam prontas, mas o urbanismo ainda não estava totalmente concluído, portanto o sistema de grande potência da Philips ainda não estava em funcionamento e o famoso “Colar de Pérolas”  como era conhecido o velho sistema instalado em 1936 que aumentava em muito a potência de iluminação em relação aos postes de 3 globos que existiam desde a reforma de 1921, ficou conhecida vivia seus últimos dias de glória na Av. Atlântica.

Os dois sistemas, o de mercúrio e o histórico funcionaram juntos por mais de 10 anos,  o novo iluminando o calçadão da praia e as pistas e o velho o calçadão junto aos prédios, que de fato era a velha Atlântica, sendo desligado em 1981, aparentemente para um reforma, que só foi acontecer em 1992 com a Eco 92. Hoje o histórico sistema está abandonado, com vários postes removidos e aparentemente levados para a Rua do Lavradio, nem que sejam os melhores pedaços, pois a remoção do Leme até a Paula Freitas e depois de forma errática (removidos os mais próximos de esquinas onde o caminhão munck podia acessar facilmente) e ao longo de um mês indicam que de fato eles fora usados para a Rua do Lavradio.

Foto do Sr. Gyorgy Szendrodi