Nossa foto de hoje de autoria do Sr. Gyorgy Szendrodi mostra o final que o Mestre Ruy Castro chama de Ipamena Clássica, aquela Ipanema que tinha já se consolidado como bairro, mas sem estar no grito da moda, e sendo predada, como sua vizinha Copacabana, mas já ocupada pelos personagens que fizeram sua fama.

Na época da foto, possivelmente 1971 ou 72 os Ipanemenses já começavam a perder seu bairro para o Sérgio Dourado e em breve perderiam seus bares com um público externo e muitas vezes deslumbrado que era atraído por sua fama e pelos novos lançamentos imobiliários…o bairro em breve perderia a identidade.

Igual movimento assistimos na última década com o Leblon, exposto a novos ricos  e construtoras por um novelista da emissora lider que também anos antes ajudou um processo semelhante, com outra novela sua, no Bairro Peixoto em Copacabana que só não foi abaixo pois um ano antes havia sido tombado pelo DGPC, talvez o autor tenha chegado atrasado.

Podemos ver que nas dunas os coqueiros plantados por Azevedo Neto ainda sobreviviam, mas no canteiro central quase todos já haviam sido vitimados pela poluição dos carros, nas areias nem mais sinal dos pequenos recantos criados pelo grande urbanista. Até mesmo as luminárias da praia, o primeiro uso de concreto armado em postes no Brasil, ainda nos anos 30 se mostravam em bom estado, a reforma da orla de Ipanema e Leblon era uma questão de pouquíssimo tempo.

Nos prédios vemos 3 tipologias, a dos anos 50, prédios baixos sobre pilotis, o de 10 andares do meio dos anos 60, com afastamento e o de mais de 15 andares com recuo na frente e afastamento das divisas, tipologia essa mais usada na derrubada do bairro dos anos 70.

No prédio baixo, um despretensioso exemplo de prédio dos anos 50, quando Ipanema era relegada a figurante de Copacabana morou por décadas Millor Fernandes, falecido ontem. Quem não se lembra de nos anos 70 o artista, na época de natal decorar todas as janelas do apartamento com motivos natalinos, papai noéis, renas, trenós, duendes, bonecos de neve e as vezes  “perdida na Lapônia” alguma caricatura de algum político ou general……