Nossa imagem de hoje enviada pelo amigo Carlos Ponce de Leon de Paiva mostra a área do antigo Saco da Glória já aterrada, mas não urbanizada, possivelmente estamos por volta de 1926/17 no início da Adm. Prado Júnio, que incluiu a praça como parte do seu projeto de urbanização da cidade, de grande bom gosto, diga-se de passagem.

A área já estava totalmente aterrada e seu arrocamento concluído, exceto no pé da foto, onde há um pier, resta saber se era provisório para as obras, pois era comum o uso de guindastes elétricos para esvaziar as barcaças com o material para o aterro, ou então  a serviço da elevatória da City, as vias junto ao mar também já estavam asfaltadas e em funcionamento, mas não há iluminção pública, arborização e aparentemente os meio-fios exceto o junto da amurada não haviam sido instalados. O emboque das pistas na Av. Rio Branco também parecia provisório.

A foto mostra que o Morro do Castelo ainda resistia bravamente a todas tentativas de arruiná-lo, mas não chegaria aos anos 30, quando a ferocidade do desmonte hidráulico  aterraria de vez a ponta do Calabouço. Junto ao morro vemos alguns dos Pavilhões da Expo de 22, como o da Argentina e o dos EUA. O Cassino do Passeio também era visto em destaque. E por trás a região da Cimelândia, Ruas do Passeio e  Senador Dantas se verticalizavam.