Nossa foto de hoje é de autoria do Roberto Rocha Souza Sobrinho e mostra uma Av. Henrique Dodsworth em 1956 com algumas interessantes surpresas.

A primeira é que o Ed. Chantecler, o qual vemos subindo nas estruturas mais a frente é um prédio dos anos 50 e não do meio dos anos 60 como uma rápida olhada em sua fachada faz imaginar possivelmente por mudanças em seu revestimento ao longo dos anos, embora alguns pilotis modernistas entreguem a idade do projeto. Ao seu lado vemos o pioneiro Ed. Cangalo  construído certamente junto com as obras de abertura do corte tendo um curiso acesso. O maior e mais usado se situa na Rua Gastão Bahiana, mas uma torre com escada e elevador dedicado desce na rocha praticamente nua até a calçada do Corte, algo muito parecido com o moderno Ed. Porto Sul, mas que só possuiu endereço na Rua Gastão Bahiana e tem sua portaria no Corte com cara de desativada.

O Ed. Cantagalo possuiu uma fachada que flerta com o proto-modernismo com vários elementos décos possuindo bons apartamentos de 2 quartos, alguns com a vista privilegiada da Lagoa através de varandas.

Vemos também que a amurada dupla onde hoje está o Ed. Gemmini, construído só no final dos anos 60 e início dos 70 já estava lá, bem como o muro de pedras retangulares, que hoje subsiste apenas junto a portaria do Ed. Chantecler, o que indica que todo aquele terreno que hoje abriga 3 grandes prédios era de um só proprietário.

Outra surpresa é o inusitado sistema de iluminação pública, que destoava de todas as ruas de Copacabana, ainda mais quando a avenida foi aberta, época que o sistema de iluminação do bairro era praticamente todo unificado para as luminárias presas em postes padrão Light de braço reto. Vemos aqui postes canadenses de média altura, como os do Castelo e que pelo visto só iluminavam o topo da ladeira, pois os trechos junto a Praça Eugênio Jardim e a Praça Filinto Muller, antiga Corumbá, usavam o modelo anteriormente já citado.

Em um ângulo aproximado temo o mesmo lugar hoje: http://goo.gl/maps/tGX8