Nessa foto do acervo de Harlley Pacheco vemos a antiga Av. Litorânea, planejada nos anos 30 para acompanhar todo o litoral da Barra da Tijuca partindo do recém loteado Recreio dos Bandeirantes, e também uma das únicas 3 torres das 18 planejadas por Lúcio Costa a serem erguidas no que seria o Centro da Barra e uma das duas a ser concluída.

Esta torre diferia das suas irmãs da Av. das Américas não só na fachada toda de vidro mas também na tipologia dos apartamentos, maiores para atender uma classe social mais rápida, porém ficou décadas na estrutura inacabada sendo a primeira concluída já nos anos 80 do século passado, ela fica praticamente na junção do Plano Lúcio Costa com a parte anteriormente loteada da Barra, nesse caso o Jardim Oceânico.

Em 1973, data da nossa foto apenas o núcleo central da torre estava de pé, modo construtivo comum as outras e até mesmo ao Hotel Nacional em São Conrado. A Av. Sernanbetiba ainda tinha apenas uma pista de mão dupla, na realidade uma faixa de asfalto feita pelo DER-DF ainda nos anos 50, que corresponde hoje a pista sentido Via 11/Quebra Mar, a iluminação recém instalada usava velhos equipamentos da Light que vinham sendo retirados no resto da cidade, bem como se usava no Jardim Oceânico, Tijuca Mar e em alguns pioneiros condomínios de casas como o Santa Lúcia.

O bairro ainda praticamente desocupado era tomado pela vegetação agreste de restinga, que ainda se mantém as duras penas nas areias da praia e nos terrenos ainda não tomados pela especulação imobiliária que preda um local que não deveria estar sendo ocupado como está, uma nova Copacabana, mas calcada no modelo rodoviarista e sem transportes públicos de qualidade, que há muito tempo já mostra sinais de total saturação.