A foto de hoje não é inédita, mas poucos tem o privilégio de podê-la ver em alta definição observando todos os detalhes de um dos mais fantásticos prédios já construídos nessa cidade e demolido pelo vil interesse da especulação imobiliária.

Além do grupo escultório ao rés do chão, tão bem explorado em post passados essa foto mostra inúmeros outros detalhes, como o delicado trabalho em fer-forgè do guarda corpo sobre a entrada principal, a transição dos primeiros pavimentos circulares para a parte superior retangular, o intricado projeto de decoração da fachada e o que restava do cormatismo entre o rosa e o branco.

Os detalhes mais interessantes são os gárgulas no topo do prédio que sustentam a platibanda final, muito parecidos com os que existiam dentro do Palacete Martinelli como podemos ver aqui : http://www.rioquepassou.com.br/2008/12/10/casa-martinelli-anos-5060/ , o que nos faz acreditar que tais cruzamentos deveriam ocorrer em todas as obras do Virzi.