Nossa foto de hoje é uma bela noturna tirada do Corcovado e mirando o prado do Jockey iluminado para noite de páreo, além disso a foto pega partes dos bairros do Leblon, Jardim Botânico, Gávea, Lagoa e Ipanema.

Pelos aterros da Lagoa e a escuridão nas áreas do complexo da Praia do Pinto e na sede do Flamengo estamos no final dos anos 60, não vemos um só prédio alto em Ipanema e Leblon, exceto a Cruzada e certamente o Jornalistas, que já estava lá, mas não aparece na imagem.

Os pontos de iluminação são bem definidos pelo maior espaçamento das luminárias incandescentes da Light, vemos a sequência no Jardim de Alah e na Rua Jardim Botânico, algo que não acontecia na escura “Belém-Brasília” ainda precariamente urbanizada espremida entre os muros do Jockey e as sobras de aterro irregulares da Lagoa. Na região da Praia do Pinto também não vemos quase pontos luminosos, apenas alguns muito fracos no miolo da favela principal, a Ilha das Dragas e o que foi a Ilha do Guarda estavam na mais completa escuridão. Acredito que ainda não estavam removidas apenas eram iluminadas pelas chamas de velas e lampiões de querosene, algo muito diferente das favelas de hoje.

Ao fundo céu e mar se misturam