Nossa foto de hoje se trata de um dos típicos quebra-cabeças da iconografia do Rio de Janeiro de ontem, pois onde seria tal feira livre?

Depois de muito pesquisar, com 95% de certeza descobri que, o que vemos possivelmente uma das feiras livres mais antigas da cidade, realizada na região do Calabouço, hoje extremamente modificada pelas obras de ligação do Aterro com a Perimetral, nos anos 60 e 70 e pela construção dos novos prédios na região a partir dos anos 70.

Mas graças a um filme do Carlos Hugo Christensen o Crônica da Cidade Amada e a uma visita ao posto do DETRAN da Rua de Santa Luzia acho que matei a charada.

Na crônica  “Aventura Carioca” onde o boa vida Passarinho leva seu aprendiz à maior das noitadas, há uma hora que depois de roubarem um revolver de um policial na Av. Atlântica, depois de arrumarem um barraco num bar para tomar a saideira e mencionarem  o irônico diálogo “que com o raiar do sol a rua começava a ficar perigosa pois estava cheia de pais de família indo para o trabalho”  passam por um ponto de ônibus dando tiros para o alto e colocando todo mundo para correr, e o local, um ponto de ônibus na Av. Marechal Justo, antes do trevo dos Estudantes era muito parecido com este.  Possivelmente no fundo temos os barracões e construções precárias que abrigaram por exemplo o restaurante do SAPS do Calabouço.

Certamente o mestre na região o DoCastelo, poderá matar de vez a charada