Nossas fotos de hoje de autoria da Milu, participante do SEMPRE mostra a calçada da Praça Nsa. Senhora da Paz, junto a Rua Visconde de Pirajá em 1971.

As fotos significam reminiscências para mim, pois esse cenário ficou gravado em minha memória infantil, ele era o caminho para meu pediatra na Rua Maria Quitéria. Minha mãe parava o Fuscão, depois as Brasilias, depois o Super Fusca e por último o Uno nessas vagas e o caminho para as consultas, de rotina ou de emergência eram por essas calçadas.

Essa era uma Ipamena ainda mais humana, vemos fechando a imagem as lojas de um pequeno prédio com lojas embaixo e apartamentos em cima, em um estilo proto art-déco, típico do bairro, que foi ao chão no início dos anos 80 para a construção de um bodoso espigão de mármore branco e vidro fumê em esquadrias de alumínio e galeira em baixo.

Na calçada temos as grandes árvores da praça, ameaçadas por um traçado de metrô equivocado que certamente será totalmente infuncional depois de agradas os membros da ABIH nos poucos mais de 20 dias das OlimPiadas.

Vemos também detalhes da iluminação pública da praça,  os postes em estilo francês, originais da urbanização da praça, e junto ao estacionamento postes canadenses, mas usando globos médios que foram instalados no início dos anos 60 para reforçar a iluminação da praça, juntamente com postes de 3 arcos e luminárias fluorescentes que ficavam nos 4 grandes gramados da praça.

As vezes, quando o transito era pouco atravessávamos por de trás do carro, no meio do quarteirão, ou então com mais movimento fazíamos o L na esquina a frente.

Depois da consulta, quando a mesma era de rotina, tomavamos um lanche no Shaika, ou então viamos um filme no Pax ou no Bruni. Esse estacionamento também viu cenas engraçadas proporcionadas por mãe nervosa e os velhos carros nacionais, como entrar e ligar um carro de terceiro, que era igual ao nosso, trancar o carro com o motor ligado, ou então  ter problemas na carburação dupla de uma das Brasilias e voltar para casa no reboque do Touring !