Nessa foto vemos a boca de Botafogo do Túnel Velho, pouco mais de 15 anos depois de suas últimas reformas de duplicação entregues na Adm. Prado Júnior. Vemos que todos os elementos da reforma neo-colonial ainda estavam presentes, no que pese a pintura um tanto desgastada, algo comum numa época onde as modernas tintas acrílicas com base anti-fúngicas  ainda eram mera futurologia nos laboratórios das indústrias químicas.

A foto mostra as linhas de bonde, com destaque,  que desde a duplicação não precisavam mais se esgueirar pela velha Rua do Túnel, hoje Lacerda de Almeda, aberta no séc. XIX como uma travessa da Rua Real Grandeza para dar acesso  ao túnel, pois desde o meio dos anos 20 a Rua Real Grandeza foi ligada diretamente ao túnel pela Dr. Sampaio Correia, que partia da esquina da primeira com a Rua Villa Rica, melhorando o tráfego e permitindo os bondes galgarem com mais eficiência a pequena elevação  do túnel.

Quando dizemos pequena elevação a mesma era realmente muito menos íngreme que hoje, pois com nova duplicação do túnel no apagar da década de 60,  escavou-se muito pouco o sub-solo, aproveitando a alta abóboda da galeria original projetada para a passagem de carris para soprepor as pistas. A maior prova de como a galeria original foi achatada está na pequena casinha que vemos na esquerda da entrada do túnel, notadamente seus dois pequenos terraços. Vemos que a altura deles para o passeio  era de praticamente três metros, se usarmos como escala o cidadão que está na sombra do viaduto da Rua Real Grandeza. Hoje tal terraço não chega a um metro, tendo sido inclusive se transformado em um puxadinho, já o mais baixo ficou praticamente no nível da rua, tendo virado uma floricultura como podemos ver pelas imagens do Street View ( http://goo.gl/maps/cNSHlhttp://goo.gl/maps/1uF3h ).

No topo do morro, na Ladeira dos Tabajaras, vemos a ocupação original daquele tecido urbano, embora desde a virada do séc. XX havia uma pequena favela numa área abandonada perto do Hospital da Marinha, casas antigas e bangalows que acompanharam o primeiro acesso à Copacabana no séc. XIX, vemos que a amurada, lá em cima, acompanhava a tipologia do túnel com postes nos balaústres. Até hoje vestígios, existem no local, mesmo com o antigo belvedere ocupado com a típica desordem urbana das áreas favelizadas, o velho muro construído em 1927 ainda está lá, com seus arremates de cerâmica e até mesmo os prisioneiros do antigo poste que ali existia ( http://goo.gl/maps/JCJjj )

Já embaixo, vemos o primitivo viaduto da Rua Real Grandeza, que acompanhava o velho túnel, demolido nas obras de duplicação por inviabilizar a passagem de pedestres por causa da elevação do pavimento. Vemos também o alinhamento original da Rua Lacerda de Almeida e o sistema de iluminação de postes padrão Light com globos a meia altura, instalados em 1924.