No dia 30 passado postamos uma foto das obras da garagem, e depois abrigo, da Praça do Castelo. Nesse post falávamos que o imaginado seria uma gigantesca garagem para mais de mil carros, algo bem diferente do que temos nos dias de hoje onde a capacidade dela é de algumas centenas de veículos.

Mas vendo algumas fotos antigas me deparei com um enorme muro de arrimo, que começava na praça do Castelo e ia até a Av. Erasmo Braga, em alguns lugares passando por cima do traçado da velha Rua da Misericórdia. a impressão que o muro segurava um aterro, que elevava uma quota das fraldas do antigo Morro do Castelo, elevação essa meio ilógica ainda mais que se pretendia lotear, ou construir prédios públicos por cima do velho Bairro da Misericórdia.

 

Vemos o trecho nas fotos acima o trecho perto do traçado da Av. Erasmo Braga, por onde passavam a Rua da Misericórdia em sua esquina com a Rua do Cotovelo, a impressão para um desavisado que se tratava de um velho cais seco.

Já essa segunda foto vemos o muro praticamente junto a Praça do Castelo, nessa época já renomeada como Praça do Expedicionários, percebemos que o muro, ganhou reforços de concreto armado, o traçado da Rua da Misericórdia ainda pode ser acompanhado pelos trilhos do bonde, quase sepultados na lama e pelo poste de iluminação pública, já sem nenhuma manutenção, mais a frente há outro, já sem luminária, no meio deste canteiro de obras, que parece ser mais um depósito de materiais do que uma obra. No fundo um deslocado sobrado, que pode indicar a Rua do Cotovelo, pois aparenta estar na frente do Ed. Estácio de Sá.

Esses restos de muros aparentam que o governo do DF escavou uma enorme área, e que essa escavação foi abandonada e retificada de maneira meio provisória, o que pode ser toda a área inicialmente pensada para a garagem.