Nossas fotos hoje mostram, primeiramente a inauguração, em 17 de Junho de 1968, da Estátua do Amor a Lira na Cinelândia, depois de ter passado uns anos no Reservatório do Cantagalo,  vindo do Reservatório do Pedregulho para onde foi comprada ainda no séc. XIX.

Em mal estado a escultura de autoria de Eugène Louis Lequesne realizada nas fundições de Val D’Osne foi recuperada nas oficinas da FPJ no Caju, e instalada na Cinelândia como parte dos planos de melhoramentos da Praça Floriano, que contava até com uma comissão com comerciantes e autoridades municipais.

Os motivos para a colocação da estátua no local era vejam só “dar água de beber aos pombos” que estudos da época diziam que deveriam permanecer na praça, inclusive havia o “guarda pombos”, que subsistiu, ele e sua carrocinha até pouco tempo atrás ao lado da rampa de descida do Ed. Garagem Menezes Cortes. Nessa foto do Sr. Gyorgy vemos a verdadeira infestação de pombos na Cinelândia, que em muitas épocas do ano fazia a festa de alguns gaviões que montavam seus ninhos nos telhados dos prédios próximos.

Já as segundas três fotos mostram o evento promocional para o V Festival da Cerveja que seria realizado  no Pavilhão de São Cristóvão no final de agosto de 1968, os organizadores imaginavam fazer o chope sair das torneiras da estátua, no primeiro dia a chuva impediu a realização da proeza, mas na semana seguinte conseguiram para alegria dos que lá passavam, munidos ou não (poderiam comprar na hora já para o festival) de canecas e sendo ajudado pelas “fadinhas” moças importadas diretamente de Blumenau.

 

O segredo foi isolar a fonte da rede de água da cidade, limpá-la totalmente, conectar a serpentina na visita junto a uma das torneiras, manter as outras duas fechadas e extrair o chope por apenas uma, deu certo e no início da tarde segundo o JB o chope acabou e já havia vários populares bem alegres no entorno, vemos as belas torneiras do monumento, com os golfinhos símbolos da Guanabara como registros.