Nossa foto de hoje mostra o trecho da Garganta da Rua do Humaitá nos anos 50. A foto mostra o antigo traçado da via antes da duplicação, que galgava a forte inclinação do trecho com uma curva, onde ela saia da atual pista sentido J. Botânico, ia para a atual sentido Botafogo e ao descer rumo a Lagoa voltava a se alinhar com a pista que vai para o J. Botânico, hoje com a duplicação das pistas essa particularidade desapareceu.

O pavimento asfáltico deste trecho foi objeto de polêmica durante a Adm. Hildebrando de Góis, pois vários especialistas julgavam que o asfato seria inviável ali pela forte inclinação e se opuseram ao prefeito quando ele resolveu asfaltar este trecho dizendo que o asfalto não ira se manter ali e “escorregar”, o que não aconteceu.

Chama a atenção na esquerda da imagem não só algumas construções da Favela da Macedo Sobrinho, como o grande sobradão, hoje desaparecido como também restos das amuradas do Forte da Piaçaba, engolidas nos anos 60 pela favela que praticamente desceu até a rua, reaparecendo nos anos 70 após a remoção da favela e destruídas criminosamente para a construção do CIEP que está lá no local.

Dominando a paisagem o gigantesco Ed. Primavera construído em 1941 de apartamentos de 2 quartos compactos e dotado de todas as comodidades da época, inclusive abrigo anti-aéreo e o Ed. Graça de 1945.