foto de andredecourt em 02/01/04

No livro editado pelo DER/GB intitulado “Via Expressa para a Cidade Universitária e Aeroporto Supersônico Internacional” do final dos anos 60 explica-se o porque.
O pensamento original na época seria que, a Linha Vermelha, seria uma via expressa interestadual que ligaria a Guanabara ao Estado do Rio, com poucas rampas de entrada e saída e altamente sofisticada, com o mais moderno em estradas à época implantado no sistema
Os túneis com a fusão nunca ficaram prontos, eles teriam monitoramento constante de poluição e imagem, placas de material sintético revestindo as galerias facilitando a limpeza e clareando o ambiente, essas placas de revestimento sustentariam as luminárias e instalações, e ficariam independentes das paredes melhorando a acústica .
Todas as bocas contariam com treliçado, com zonas de claro e escuro eliminando o ofuscamento na entrada e saída das galerias, e um septo para evitar o fluxo cruzado da fumaça que poderia sair de uma galeria e entrar na outra de sentido inverso, bem como sistema de exaustão totalmente automatizado .
A sede que existe até hoje seria provisória .
Com todas essas sofisticações a via quando concluída seria dotada de pedágio, que ficaria na saída da Lagoa onde hoje é o campo de futebol apelidado de “maconhão”, bem como daquele viaduto construído na década de 80, pois o metrô estaria quase todo concluído, (linhas 1,2,3 faltando-se as linhas 4 e 5 que seriam terminadas antes de 2000) bem como o Santa Barbara atenderia com folga o tráfego local sul-norte com a conclusão do sistema viário Laranjeiras- São Cristóvão- Estácio também nunca concluído .
A Guanabara possuía todo um plano de desenvolvimento urbano até o ano 2000 inclusive com verba destinada automaticamente no orçamento, mas aí veio a fusão e temos que agüentar incompetentes do porte do Casal Marotinho

Comments (6)

aqua_man disse em 02/01/04 18:22 …

Puxa vida, quanta promessa, planos, investimentos… O tempo passa e a gente constata o que não foi feito. Fazer o quê? Votar certo, né? Valeu pelas informações!

rioantigo disse em 02/01/04 18:39 …

Excelente aula. Naquela época (acho que o governo era do Carlos Lacerda) havia planejamento, profissionalismo, organização. Nomeava-se técnicos, não políticos, para as secretarias estaduais. Hoje há uma máquina de fazer “carreira política”. O importante é se eleger, “para servir ao povo, por pura abnegação e amor ao próximo”.

cochesdecuba disse em 02/01/04 21:39 …

Chega de (con) fusão. Guanabara já!

Dani disse em 02/01/04 22:44 …

Estou chocada!
:|

cronai disse em 03/01/04 16:04 …

Deprimente! Já houve governo nesse Estado. Infelizmente, acho que entramos num período de trevas, e não só por causa do sinistro casal. O PT também tem a sua parcela de culpa: como bom partido de origem paulista, tem ojeriza ao Rio, e está desmontando o pouco que ainda havia em estrutura organizada na área federal daqui para preencher com seus “quadros”. Já ouvi cada história de horror que só vendo. *sigh*

lanari disse em 04/01/04 16:51 …

Concordo com a Cora. Há muito tempo só vemos o Rio de Janeiro caminhar ladeira abaixo. Quando teremos governantes que realmente gostem deste estado, e principalmente desta cidade?