andredecourt's photo from 12/3/04

Fim de semana chegando…….

Vamos a praia de Ramos ????????

Ponto do táxi lotação, que levava os passageiros que desembarcavam na estação Ramos do Ramal da Leopoldina rumo a praia, o ponto ficava na esquina da rua Professor Lace, com rua Uranos, foto do início dos anos 70 (1972).
Reparem como as coisas eram mais limpas, não havia pichações, e tirando a placa do ponto que denuncia o local, poderíamos confundir com algum bairro da zona Sul no mesmo período.
Os subúrbios agonizam pela violência e decadência econômica, e vejo muito pouco esforço dos administradores públicos para reverter esse processo.

Valeu Jason !!!!

Comments (41)

pmmc 12/3/04 6:22 AM …

Rio em seus momentos mais puros !!!

nemsodecao 12/3/04 6:22 AM …

“Não entendo lhufas de carros, mas isso aí por acaso é um Gordini?” Flô

dannie_witchery 12/3/04 6:27 AM …

Realmente… Não parece Ramos mesmo! A rua Uranos é o caos!!!

bakana 12/3/04 6:31 AM …

Eu tenho a impressão que com a distribuição de títulos de propriedade para os favelados, vai ser mais fácil acabar com as favelas, desapropriando os morros cariocas. Basta indenizar e remover. Isso se as construtoras não comprarem antes. Cada um toma seu rumo, com o dinheiro no bolso. Aí a vida vai melhorar.

rockrj 12/3/04 6:42 AM …

Bons tempos…

lucia 12/3/04 7:10 AM …

Bom Dia!

Esse carro não me é estranho.
Já vi em fotos aqui me casa.. :)

Não vamos deixar tudo na mão dos administradores públicos. Não vejo muito esforço da população para mudar as coisas, também.
A começar pelo simples gesto de procurar uma lata de lixo para jogar seus residuos…
e não estou falando só da zona norte.

lefla 12/3/04 7:45 AM …

Isso é um Dessoto??

André, minha mãe foi professora nos anos 70 em escola pública de Ramos. Adorava. Parou quando se casou. Depois, muito mais tarde, foi dar aula num pequeno colégio particular na Barra da Tijuca. Foi agredida fisicamente por alunos. Desistiu de dar aulas. O que está degenerando é o Brasil. A impunidade, o democratismo, o salve-se quem puder truncam os valores de democracia, respeito à lei e ao bem público.

bwanis 12/3/04 8:08 AM …

Que lindo….
Meu tio tinha um desses e eu viajei algumas vezes nele!!!!!
Valeu relembrar!!!!
:) ))

wolfenson 12/3/04 8:12 AM …

Que foto… poxa…

por quê abandonei meus sonhos???

alvarogabriel@openlink.com.br 12/3/04 8:20 AM …

Olha, vou dizer uma coisa profundamente desagrádavel mas, a decadência desse país e, por extensão, dessa cidade, aconteceu no momento que a elite foi obrigada a parar de ver o “povão” com um distanciamento curioso e confortável; quando foi obrigado a encarar a miséria como realidade e responsabilidade sua. Quer dizer, estamos falando das folclóricas imagens que eram apenas matéria para uns poucos intelectuais “comunistas”. Estamos falando de “Lata d`água na cabeça…” ” Ave Maria no Morro…” “Chão de Estrelas…” etc. Um dia a elite acordou e viu que a sua ausência tinha tansformado pretinhos serelepes em pivetes perigosos, mulatos inzoneiros em traficantes da pesada, empregadinhas submissas em “gentinha atrevida e reclamona”. Nossa classe dita média não percebeu que a cada dia que passava a decadência ia tomando posse por falta de ação nas causas do embrobecimento brutal deste país; era o popular “farinha pouca meu pirão primeiro”. Hoje estamos diante de um quadro de no mínimo 40 milhões de miseráveis totais que nem a dialética manjada do PT vai dar jeito. Queira Deus que não tenhamos chegado já no fundo do buraco. E os ramos, as penhas, as olarias da vida, esqueçamos: são apenas arquivos dos jornais.

eduardo bertoni 12/3/04 8:34 AM …

Com relação (atrasada) ao post de ontem do /rio antigo, acho que a ganância faz parte do ser humano ainda mais nos seres habituados com o jogo.Não poderíamos esperar outra atitude dos diretores do Jockey que não a de auferir lucros em qualquer espécie de negócio.
Caberia às autoridsdes governamentais preservar o patrimônio cultural através de tombamentos ou algo equivalente.
Eu já ouví falar em mudança do prado para o Recreio após a venda do terreno da Lagoa.
André:
Você tem idéia de quanto vale o terreno do Jockey
na Lagoa?

andredecourt 12/3/04 8:42 AM …

Algumas centenas de milhões de dólares !!!

Marcelo Almirante 12/3/04 9:05 AM …

Não é o Brasil que está degenerando, apesar dos desmandos do “democrático” Governo Federal e sim o tecido social da cidade. Estive agora em Curitiba, Florianópolis e São Paulo, e lá as coisas estão melhorando. Colocar a culpa no país é muito fácil. Os cariocas deveriam se preocupar mais em resolver seus problemas em vez de fazer samba.

dr_ocio 12/3/04 9:44 AM …

A.D.:”Por esses dias, a Panair do Brasil deixará finalmente de exisitr depois de 39 anos no limbo, a juíza da VI vara Cívil aqui do Rio irá bater o martelo de vez fazendo a empresa desaparecer de vez”
Finalizando uma vergonha nacional…. 39 anos que os advogados continuam recebendo honorarios de um defunto insepulto

alvarogabriel@openlink.com.br 12/3/04 9:51 AM …

A Panair é aquela velha história do médico que diagnostica unha encravada e amputa a perna. Evidente que ali teve um empurrãozinho de muita gente inclsuive do lendário (não sei bem em que sentido) Rubem Berta. O caso é que, pelo fechamento arbitrário, truculento, facista da Panair muita gente morreu de desgosto. Isso não é imagem literária não; morreu mesmo.

hjwery 12/3/04 9:55 AM …

Mto legal!

Agora a frase mudo: “Fim de semana chegando…….

Vamos ao PISCINÂO DE RAMOS???????? “

rio_antigo@ig.com.br 12/3/04 10:58 AM …

Há quem diga que o Dicró já pegou muito esse lotação aí. Pagava fiado e acertava no último domingo do mês, se fizesse sol.

Lefla 12/3/04 11:31 AM …

A classe média, coitada, luta para pagar as contas do cheque especial do fim do mês. Classe média que não consome, mas que sustenta vasta classe de miseráveis nem tão miseráveis assim, porque não pagam impostos pela casa que moram, não pagam luz, constroem irregularmente à vontade, sem ameaça de demolição. Essa lenda da miserável favela é uma das maiores criações da esquerda festiva. Um apartamento na Rocinha custa o mesmo que um igual na Aires Saldanha, em Copacabana. A vantagem é que, lá, até a NET é de graça. Quem patrocina? A classe média que tem Imposto de Renda descontado na fonte, não pode sonegar como os ricos, nem deixar de pagar, como os “pobres”.

Minha mãe ainda foi classe média como professora.

Hoje estaria na favela, mais do que seus alunos “pobres”, com um salário de fome e a má formação do ensino público, o que a faria errar o português e contribuir para o atolamento geral em que se põe o País.

betotumminelli 12/3/04 11:38 AM …

ia comentar a foto, mas depois que li o qwe o Lefla escreveu, vale o comentario del. Coberto de razão.

:-) )

claudio_louro 12/3/04 11:45 AM …

huh !!! show de bola !!! lindarassa !!!
abracos, cara

odeon 12/3/04 12:16 PM …

sim, algumas tias moravam em bonsucesso e costumavam ir às praias da ilha do governador
era algo tranquilo
infelizmente, o poder público deixou aquela região ser tomada por favelas
para quem ouve e ouviu tantas histórias do passado recente, dói ver as coisas da forma como estão….

Antolog 12/3/04 1:34 PM …

Chegou na minha área!!!
André, deixe eu fazer uma correção: os famosos “ximbicas” faziam ponto do outro lado da estação, na esquina da rua André pinto com a Leopoldina Rego e não na Professor Lacê com a Uranos como você mencionou.
Quanto a polêmica das favelas, sabemos quem foi um dos maiores culpados recentemente.

andredecourt 12/3/04 1:52 PM …

Antolog na resolução máxima podemos ver a placa de rua, alí perto da banca, inclusive já se discutiu (eu e Jason) também se não era a Aureliano Lessa, pois o primeiro nome é bem ilegível mas o L do segundo nome da rua é flagrante

jro 12/3/04 2:38 PM …

Acertou na mosca !!!
Como ali é o alto da serra, nós tnhamos parado para ver a água.
Mesmo com chuva os bichinhos esquentavam :-) ))

mapas 12/3/04 3:09 PM …

André, certeza que essa foto é de 1972? Não seria de pelo menos de 10 anos antes? Não me recordo da existência desses táxis pretos na década de 70.

Com relação à Panair, convido a verem meu post de antes de ontem em http://fotolog.net/mapas/?pid=9995655

Estou com o Marcelo Almirante: quem ousa ultrapassar a Via Dutra para conhecer outras cidades descobre que grande parte do País está progredindo, muitas cidades estão crescendo e se embelezando, a qualidade de vida se elevando, graças a esforços exclusivamente regionais.

É uma pena que o Rio ainda arraste seu ranço de ex-capital federal e esteja nessa sinuca de bico, mas ficar chorando as pitangas dificilmente trará alguma solução. Afinal, quem foi que elegeu o Brizola quando ele fez acordo com os traficantes nos morros e com os invasores de terras? Alguém se lembra do “invadam que eu garanto”?

Quem aplaudiu a Benedita? Quem elegeu o FHC e, pior ainda, o reelegeu? E o Lula? E o Garotinho? E a Rosinha? Pois é… Abraços!

andredecourt 12/3/04 3:15 PM …

Quem me deu o ano da foto foi o dono dela o Jason que até agora não passou por aqui para falar sobre o carro !!!!

jro 12/3/04 3:16 PM …

E o Jason bancou o bundão e perdeu este encontro.
Viu o nivel dos “meninos” ???

Jro :-) ))))))

Antolog 12/3/04 3:22 PM …

André,

Com certeza as “ximbicas” ficavam na esquina que eu mencionei, pois ficava mais próximo da praia, e nesta época o viaduto ainda não estava pronto. Se fosse na esquina da Uranos com Prof. Lacê, o que se veria do outro lado da rua, seria a entrada da estação de Ramos, no entanto só se vê o muro na foto. E esta parede com a janela é inconfundível.
Dá pra ver o nome na placa claramente?

andredecourt 12/3/04 3:24 PM …

Quase claramente, mas com certeza não é André Pinto o nome da rua !!

ze_lobato 12/3/04 5:20 PM …

E usavam Capelinha! De corda!

eduardo bertoni 12/3/04 8:17 PM …

Eu já fiquei horas, a pedido do André, colocando sobre esta foto todos os macetes do Photoshop para tentar descobrir o nome da rua.
A única hipótese viável é de LACÊ.
Se alguem achar outro nome dou parabéns…

mapas 12/3/04 10:07 PM …

Bertoni, se puder ajudar, eu uso um outro programa – Real Draw – que tem o recurso do Mega Render, talvez saia alguma coisa. Se quiser tentar, é só enviar a imagem da placa (em alta) para o e-mail confracult arroba yahoo ponto com ponto br . Abraços

antigos 12/4/04 3:21 AM …

Detalhe para o “coche” dos anos 40… Certo?

joelmarinho 12/4/04 6:37 AM …

Na Central do Brasil havia um Ponto de Táxis. Quando chegávamos de Jacareí – SP vinha a melhora parte da festa: uma “viagem” num taxi enorme até Copacabana, prá Xavier da Silveira Todos os táxis pretos e enormes…acho que a pouca idade faz tudo parecer aior, mas os carros eram enormesm mesmo. boa imagem e boas lembranças! :)

eduardo bertoni 12/4/04 7:59 AM …

Joel,
Vc. tem idéia se ainda fabricam aqueles biscoitos de Jacareí que vinham numa lata de um galão e eram vendidos na beira da Dutra?

Jason 12/4/04 12:27 PM …

O lotação é um Chevrolet 1941 e a data da foto é realmente 1972, sem qualquer dúvida quanto à data.

Uma outra foto, tirada no mesmo dia e local (mas de outro ângulo) mostra um TL ao fundo e uma placa que anuncia o sorteio de uma TV a cores.

Até a metade dos anos 70 ainda havia muitos táxis americanos das décadas de 40 e 50 rodando na cidade. Eram, porém, vistos como velharia e quase todos já haviam sido banidos para os bairros menos nobres. No Zona Sul e no Centro predominavam os modelos nacionais, especialmente o VW 1600 quatro portas, vulgo “Zé do Caixão”.

andreleblon 12/5/04 2:19 AM …

Acho que o que realmente causou a decadencia e o caos no Brasil e principalmente nos grandes centros foi a falta de um controle de natalidade.
Isso sim teria evitado que muita coisa piorasse e pelo menos 2/3 dos miseraveis que hoje habitam esse país nao teriam nascidos e isso evitaria mais miseria ainda.
Qdo falam que o indice de natalidade no país caiu , isso aconteceu justamente onde nao precisava acontecer: nas classes medias e nas mais altas ,enquanto que o pobre e os favelados continuam tendo vários filhos muitas vezes por falta de esclarecimento e por próprio incentivo de igrejas.
Nao fizeram e agora todos pagam o pato!
Culpa de quem?
Dos politicos que nao queriam arriscar seus votos e da igreja com sua hipocrisia ridicula.

Antolog 12/7/04 9:14 AM …

André,

Quando eu mencionei o nome da rua, eu cometí um erro: não é a André Pinto, e sim a Pereira Landin. Assim fica decifrado o P e o L da placa.

myrmoura 12/7/04 9:53 AM …

Confirmando: só pode ser Pereira Landim, porque os pontos dos taxis que faziam lotação para as Praias de Ramos e do Galeâo ficavam do lado da Rua Leopoldina Rego. A Rua Professor Lacê fica no lado oposto da linha férrea, já na vertente das então aprazíveis colinas chamadas de Morro do Alemão, onde não havia barracos e sim intermináveis terrenos baldios.
Um amigo de minha família fazia lotação para as referidas praias, nos anos 50, e o seu carro, quando o conhecemos, era uma velha Nash.

milaeffgen 12/24/04 5:09 PM …

Sobre a rua não tenho nada a opinar mas o ano deve ser década de 70 pois a placa de Pare acredito ser mais recente.

Luiz Henriques Neto 1/24/07 1:08 PM …

Como assim, as coisas eram mais limpas? Não tem pichações, mas em compensação a rua e as calçadas estão imundas, cheias de lixo. Repare na garrafinha de refresco de laranja de plástico em primeiro plano (vendia no Maracanã, você a abria com os dentes. Anti-higiênico pacas).