foto de andredecourt en 23/03/05

Foto tirada do edifico do Amarelinho focando o movimento na Praça Floriano vulgo Cinelândia, início dos anos 60, pois já vemos carros que nós são bem conhecidos como DKW vemag, Kombi e Fusca.
À esquerda vemos uma nesga das escadarias do palácio Pedro Ernesto, bem como uma das duas monumentais luminárias de granito e bronze que guarnecem os limites frontais do prédio, hoje totalmente vandalizadas, e até sem os suportes que seguravam os globos.
No meio vemos o bonde e seu reboque, cercados por “pesado” tráfego se dirigindo ao largo da Carioca.
Se repararmos bem, temos na foto um raro, nessa época, camelô com barraca, armada no sopé da luminária, certamente se beneficiando do apadrinhamento de algum vereador demagogo.

Comments (45)

guilhermevidal 23/03/05 8:50 …

muito legal!!!

gosto muito dessas fotos antigas!!!

que carroes hen!!!

rossanah 23/03/05 9:19 …

gosto desses carros ai

gerard_3 23/03/05 9:38 …

Putz que barato…gostei de ver…!
Muito bacana!

É uma viagem…

Liga qdo quizeres!
Bjócas!
De

Alvaro Gabriel 23/03/05 9:40 …

Como o Jason está de férias lá no sul (levou sua coleção de Carlos Zéfiro para uma releitura comparada) eu vou quebrar o galho de vocês e dizer os princiapais carros da foto.

O primeiro pequininho aqui na parte de baixo da foto é um Zillman, carro belga fabricado nos anos 50; ao seu lado um Chevrolet Zefic, depois um De Sotto Star Dust. Ao lado um carrinho que não reconheço mas, depois dele, um Lincoln Grace Imperial e ao seu lado, outro carrinho que não sei qual é (também não posso reconhecer todos).

Depois vem o maior de todos, um Mercury Stratocaster, 12 cilindros que, pela posição, deveria ser o vereador Carlos Frias, o rei do microfone. Depois vem um Aldine, um Sentinell, um Century 8 cilindros, um Lisonda e um onibusinho que não sei a marca.

Na parte da frente, encotados ao meio fio, temos um Ford 37, Um chevrolet 36, um Ford 38, um Chevrolet 54, em um Ford 48 e a pontinha de um Vaxuall 51, 8 cilindros, refrigerado a ar.

Como estou com a mão na massa vou dizer também as revistas que o cara está vendedno ali debaixo do poste. Tem Duas Cigarras 48, um O Cruzeiro 49, quatro Caretas 48 e uma Vida Doméstica 47. Ah, não tenho certeza mas me parece que tem também um Globo Juvenil 49.

E para terminar, os dois cartazes que estão no bonde, depois de uma ampliação que fiz no Photoshop, posso dizer sem medo de errar: um é da Cibalena e outro da Pomada Minancora.
;-)

andredecourt 23/03/05 10:02 …

Acho que não é o Álvaro, mas sim o Jason (usando identidade trocada) acessando de algum Cyber Café em Montividéu

backup 23/03/05 10:04 …

Meu brother.
Cara, nem falo nada. Isso aqui é um luxo!
Valeu lá! Sua foto do cidadão ficou beleza mesmo. Ainda bem que tiraram a bóia!
Abraços ae,
:-)

jban 23/03/05 10:14 …

André,

O primeiro carro estacionado à direita, próximo ao DKW é o nosso famoso Dodge Kingsway 51 !!! Eu reconheço esse carro em qualquer lugar. Até no poderoso chefão II ele aparece.

João Novello

jban 23/03/05 10:21 …

Isso aí é um colirio para meus olhos de antigomobilista !!! Um Festival de raridades…
Dá pra ver um Chevy Belair 54

Quanto ao Dodge, de repente era o meu pai indo resolvar alguma coisa na cidade … hahaha ! Seria ótimo , mas o dele era bicolor. Aliás vou te enviar uma foto do carro na Praia Vermelha

jban 23/03/05 10:21 …

Voce tem essa foto em alta resolução?

Alvaro Gabriel 23/03/05 10:32 …

Ah, falha imperdoável!
Esqueci de apontar que, ali ao pé da escadaria da Gaiola de Ouro, vemos um trio de vereadores históricos: a Sagramor de Scuvero do PR, o Adauto Lúcio Cardoso da UDN e o Aparício Torelly do PCB que, pelo jeito, contava uma piada aos seus pares.

Para quem não sabe Aparício Torelly era nada mais nada menos que o Barão de Itararé um dos maiores humoristas deste país. Quando você ri hoje do Agamenon no Globo ou das Piadas do Casseta e Planeta saiba que ali tem um dedo do Barão de Itararé (ou a mão inteira).

Foi ele que disse: “Quando tem frango na mesa de pobre, um dos dois está doente”.

analyzator 23/03/05 10:39 …

As escadarias do Pedro Ernesto estão situadas à esquerda na foto, não?
Vejo escadas à esquerda, mas não à direita, como consta no texto abaixo da foto.

lucia 23/03/05 10:52 …

Aqueles carros estacionados na vertical, teriam um certo problema em achar vagas hoje em dia… :)
Muito bacana.

jban 23/03/05 10:59 …

Vertical não. transversal, né ? :D

jban 23/03/05 11:00 …

Realmente aquele Cadillac está praticamente no meio da Rua..

jban 23/03/05 11:01 …

Sabe outra coisa que me impressiona ? É a pachorra dos pedestres andando no meio da Rua…

odeon 23/03/05 11:02 …

esse era o rio bom
de se viver que minha avó me falava….

fotolomania 23/03/05 11:04 …

Bacana!
Bjs

luiz.darcy@uol.com.br 23/03/05 11:25 …

Fantástica foto!
Acho que o Alvaro se enganou! O anúncio no bonde é da Academia Moraes (“quantas oportunidades você perdeu por não saber dançar? Academia Moraes.Praça Tiradentes.Cr$40,00″). E entre as revistas estão “Cavaleiro Negro”, “Don Chicote”, “Rocky Lane”, “Capitão Marvel”, “Águia Negra”, “Mandrake”, “Fantasma”, “Flash Gordon”,”Bolinha”, “Luluzinha”,”Flecha Ligeira”, “Hopalong Cassidy” e, sob o pano, os “catecismos” do Zéfiro cujas cópias o Jason levou para o Sul…
O bonde deve ser o “13-Ipanema-Tabuleiro da Baiana”.
http://ludaol.multiply.com/

tumminelli 23/03/05 11:43 …

O bonde vai pro Tabuleiro!

:-) ))

Gostei da caminhonete que esta atras do bonde.

autofocus 23/03/05 11:58 …

Os carros são DEMAIS!!!

Boa Páscoa!
Beijos!
Adri :)

Alvaro Gabriel 23/03/05 12:06 …

A camionete devia ser da Colombo. Até os anos 70 eles tinham umas iguaizinhas, verde escuro.
Isso é verdade.

A pick-up, embaixo, no canto direito era da Casa Neno — Que Serve Bem ao Grande e ao Pequeno.
Isso é quase verdade.

Os vereadores nessa hora estavam trabalhando pela cidade.
Isso é absolutamente mentira.
;-) ))))

jban 23/03/05 12:11 …

Não se esqueça das camionetes no Toalheiro Brasil !!

jban 23/03/05 12:12 …

.. do Toalheiro Brasil !!

leflaneur 23/03/05 13:15 …

Não há dúvida, é o Jason se passando por Alvaro Gabriel!!!!

O Alvaro tem toda a colação do Zefiro e agora fica acusando o Jason. O Jason, de vingança, agora se passa por AG.

Alvaro Gabriel 23/03/05 14:23 …

Não consegui montar, naquele tempo, a coleção do Carlos Zéfiro. O terror que a minha mãe pegasse aquela indecência era tal que eu simplesmente incinerava revistinha por revistinha. Mas durante o período em que a revistinha estava “casada” comigo (a relação durava até sair a proxima) eu a tratava como Lampião tratava Maria Bonita; defendendo-a até a morte. Para não dar azar eu praticamente andava com ela o dia inteiro escondida nos becos e porões da minha roupa e do meu corpo. Infelizmente quando tinhamos que nos separar eu a queimava como se queima a mulher de um falecido marajá indiano. Mas parece que já tem (ou vai ter) a coleção completa de Carlos Zéfiro. Será uma espécie de seção espírita para mim que irei encontrar todas as minhas antigas “companheiras” redivivas como se tudo tivesse acontecido ontem. Ou hoje de manhã.

Mapas Antigos 23/03/05 15:23 …

Álvaro, possuo 10 ou 12 revistinhas digitalizadas em JPG (para pesquisa e estudo da composição dos pigmentos da tinta e do teor de celulose do papel empregado, naturalmente).

Caso você ou outros companheiros queiram alguma história (para fins de pesquisa, naturalmente), é só me pedir por e-mail. Terei prazer em ofertar a inspiradora publicação, é isso. Se quiser, me dê uns dois dias e posso colocar tudo num arquivo CHM, reunindo todos os catecismos em uma bíblia ilustrada. Para fins de pesquisa, naturalmente.

Abraço,
Celso Serqueira
http://fotolog.terrra.com.br/mapas

jro 23/03/05 15:40 …

Adorei o “relatorio” automobilistico do Alvaro.´
Por mim, o Jason está sendo substituido com muita maestria!!!
:-) )))))))))))))))))))))))))))))))))

f_polis 23/03/05 15:42 …

sensacional a foto!

mais pelo bonde, que eu adoro, que pelos carros,já que nao tenho muita afinidade com automóveis e, se nos dias de hoje mal consigo ver a diferença entre um VW Gof e um VW Polo, imagina conhecer assim intimammente Dodges Kingsway, Zillmans e Vaxualls!

mas reconheço que são belíssimos e imagino que Polos e Foxes e semelhantes deveriam recolher-se à sua aerodinâmica insignificância e vulgaridade diante de tão formosos bólidos.

jban 23/03/05 15:46 …

Naquela época eram chamados de AUTOMÓVEIS, agora são meros “carros” .

Alvaro Gabriel 23/03/05 16:02 …

Caro Celso. Você não sabe a importância da sua oferta. Eu estava mesmo precisando de algumas publicações do Zéfiro para um estudo de diferença de traços entre as muitas obras do gênero. Como você deve saber, os artistas usavam diversos instrumentos de transmissão da tinta ao papel que vão desde a caneta Speedball até à pena de ganso que se usava encharcada de tinta; daí, aliás, o termo “afogar o ganso”.

Havia também a técnica da agulha de tricô, de croché e de espetinho de churrasco. Esta última foi mais desenvolvida no Rio Grande do Sul abolida rapidamente devido ao formato muito fino do instrumento.

Portanto, nem precisa da minha msg via imeio. Pode já, por favor, preparar o que você puder me mandar desse material. Como sabe esses estudos, para quem adentra a uma certa idade, urgem. Cada dia que passa é um dia perdido de pesquisa que poderá fazer falta nas conclusões e considerações finais.

Desde já, permanece atento esse vosso criado.
A.G.

luiz.darcy@uol.com.br 23/03/05 16:28 …

A quem interessar possa (e parece que são muitos): toda a coleção do Zéfiro está sendo reimpressa e será vendida, um exemplar a cada quinze dias (para que cada um possa ser examinado com o devido cuidado) na banca “Cena Muda”, na Visconde de Pirajá esquina com Jangadeiros, bem em frente ao antigo prédio da Telerj (esta banca só vende revistas antigas – com mais de 20 anos).

Mapas Antigos 23/03/05 16:55 …

Caro Álvaro, contei aqui, são 26 contos educacionais ilustrados, inclusive os dois capítulos da instrutiva e comovente fábula “A Viúva”. Creio que consigo preparar e enviar até amanhã, ok? Xá comigo!
Celso Serqueira

betotumminelli 23/03/05 19:47 …

Mapas Antigos @ 2005-03-23 16:55 said:

Caro Álvaro, contei aqui, são 26 contos educacionais ilustrados, inclusive os dois capítulos da instrutiva e comovente fábula “A Viúva”. Creio que consigo preparar e enviar até amanhã, ok? Xá comigo!
Celso Serqueira

Santa Teresa irá tremer… Madame C não gostará dessa historia!

:-) )))

Waldenir 24/03/05 6:02 …

E o “pior” da foto eh perceber que,hoje,as colunas que sustentavam as luminarias jah nao tem nem as proprias,nem as palmas de bronze no fuste,assim como os aneis. E na que fica do lado direito,ate as placas com a inscricao “Ordem e Progresso” sumiram.Nao sei como as estatuas do topo ainda nao foram arrancadas,mas isto vai ser so uma questao de tempo…infelizmente.

Rafael 24/03/05 6:34 …

Creio que essa foto seja anterior a 1959, pois os fusquinhas da foto são do tipo “oval window”. Os fuscas de janela traseira mais larga só começaram a ser fabricados em 1959. Me corrijam se eu estiver errado, por favor.

andredecourt 24/03/05 8:34 …

Rafael é posterior pois vemos F-45 com a nova frente, a mesma da Rural, que é se não me engano posterior a 1962

jban 24/03/05 9:36 …

André,

Daqui parece ser a frente antiga.. Só estou intrigado com o DKW Belcar. Até 64 a porta da frente era estilo “suicida”, ou seja abria ao contrário. Esse aí dá a impressão de ser a porta normal .. Eu diria que está mais para 59/60 do que para 62/64.

jban 24/03/05 9:44 …

na verdade fiquei confuso com o lance do DKW, mas ainda acho que estamos mais para 59/60

rodperez 24/03/05 9:54 …

Rafael… os fusquinhas são velhos, entao!

jro 24/03/05 10:27 …

Após a releitura da detalhada descrição do nosso amigo morador de Santa Teresa, eu, sem duvida, almejaria ter em minha modesta garagem aquele Mercury Stratocaster de, no mínimo, 12 cilindros que possui um suporte de estepe tipo Continental que muito me lembra os antigos Cadilaques dos anos 50, mas que não eram a preferência de nossos humildes vereadores.

Jro :-) )

Alvaro Gabriel 24/03/05 12:30 …

Sabe, jro, você ficou encantado com o Mercury Stratocaster, porque não conheceu o Mercury Tyffon, também com 12 cilindros, só que em “V”. Ele foi muito pouco exportado para o Brasil porque, naquela época, não havia ainda a Revista 4 Rodas, nem o Jason era editor do Caderno Automóveis do Globo. Aliás, essa linha Mercury tinha outros modelos como o o Mercury Superfortress, o Mercury Constelation, o Mercury Giancanna e o Mercury Babe Ruth. Todos eram super apetrechados com o que mais moderno havia na época como junkie box portátil, escovador de sapato, espaço para guardar o New York Times de domingo, compartimento para levar cachorro, geladeira para o dry martini com vidros para guardar azeitonas e outros acessórios.
Era aquele jeito americano de ser; o american way life, enfim. Tudo muito prático, frugal e econômico. Bem, econômico, nem tanto. Ligando a chave, saindo em primeira, até chegar na prise direta, lá se foram de 5 a 6 litros de gasolina.
Mas o que era isso para quem tinha acabado de ganhar a guerra e enfiado um Plano Marshal pela goela abaixo da Europa ?

mana_rj 24/03/05 15:22 …

Caramba que lindo os eu flog eu gostaria muito de te agradecer pelo seu flog e muito mais pelas fotos que vc coloka aki …..eu sou exageradamente apaixonada por fotos antigas ….principalmente da minha cidade maravilhosa …
valeu msm
pripri

marialuiza2608 26/03/05 0:28 …

Qual seria o número desse bonde?
Ele seguia pela Cinelândia e Treze de Maio até o Tabuleiro da Bahiana, onde fazia ponto, e retornava pela Senador Dantas.

O bonde que ficou na minha lembrança que pegava diariamente, voltando do Instituto de Educação até o local da foto seguinte, foi o “60 – Muda – Marques de Abrantes”. De manhã ia de ônibus “102 – Saens Pena – Largo do Machado”, que fazia ponto final em frente ao restaurante português que fica ao lado do Amaro Cavalcante.

Beijos,
Maria Luiza