andredecourts foton från 2006-01-17

HOJE VAMOS COLOCAR LENHA NA FOGUEIRA

Essa é uma carta pública do então prefeito do Distrito Federal, Negrão de Lima, ao deputado Carlos Lacerda, que após uma série de acusações na Tribuna da Imprensa acusava o prefeito de querer obter vantagens no orçamento. Depois de muitas ofensas Negrão de Lima perde a compostura e solta esse verdadeiro míssil em cima do Lacerda.

Tia Clarice que adorava essas confusões guardou o recorte de julho de 1958 e dizia que o Lacerda nunca tinha replicado essa carta.

Aqui vai a trascrição, recomendo a leitura de todo o texto.

Lacerda
Desde há alguns meses, à falta de base para suas sórdidas calúnias, você resolveu enveredar, em relação a mim, pelo caminho das injúrias e das retaliações pessoais. Em todas as verrinas, com que que tem buscado atingir-me , nunca houve, sequer, um vislumbre de verdade.
Irritado porque as críticas anteriores, à minha administração e a minha pessoa, não tiverem ressonância na opinião pública, acostumada a seus desatinos e destemperos, tenta você de novo injuriar-me, a propósito do orçamento votado pela câmara para o exercício de 1958. Você bem sabe que o prefeito não é responsável pela elaboração legislativa, nem pelas republicações de quaisquer projetos de lei feitas diretamente pela Câmara dos Vereadores. Isto não é obstáculo que o impeça de relacionar-me como culpado de atos que são da exclusiva competência do Legislativo e sobre a legalidade pronunciou-se favoravelmente, por unanimidade o egrégio Tribunal de Contas.
Tentei trata-lo e a seu pasquim, como se fossem coisas merecedoras de um mínimo de respeito. Agora, porém, vou dar-lhe a resposta digna de você: vou satisfazer-lhe a mórbida vontade e descer até o charco onde você vive. Como um decaído do plano da dignidade profissional da ética jornalística, você já declarou anteriormente que o seu diário não mais publicaria minhas cartas. Muito bem. Esta, então, vai em caráter pessoal, na linguagem que você tanto aprecia e tão bem usa e entende. Quem ora lhe escreve é apenas Francisco Negrão de Lima e não o prefeito do Distrito Federal.
Ouça, Lacerda, todo o seu furor e ressentimento decorrem da certeza de que, daqui por diante, algo de real e positivo vai ser feito para minorar a desgraça desta cidade, e isto não lhe interessa, antes o exaspera, porque você, politicamente, nada mais é e nada mais tem sido, senão um cáften das desgraças alheias.
Chegou o momento de dizer-lhe, em resposta às suas batidas injúrias, que cafajeste é você, e não apenas um cafajeste, mas também um mentiroso reles, um caluniador descarado, cuja conduta política é menos de um homem público que de uma mulher pública da mais sórdida espécie e, sobretudo, um covarde vil, como deixou bem claro, negaceando e tergiversando ao ser agarrado, como já foi, em flagrante delito de difamação e de calúnia.
Seus últimos artigos dão bem a medida do repugnante canalha que você é, embora pretenda enfeitar-se de líder nacional. Neles, nos seus artigos, você só se compraz em mentir, mentir tendo a certeza da mentira, mentir cínica e despudoradamente, fazendo jus ao título de o maior crápula que já surgiu na imprensa brasileira.
Pode agora lançar sobre mim os insultos que quiser e que jamais seria capaz de dizer-me face a face, embora saiba perfeitamente onde me encontrar. Vá buscar na sentina de sua consciência os palavrões com que me agredir.
Não mais discutirei com um degenerado que, sob a máscara de exibicionismos histéricos, busca em vão ocultar irremediável poltroneria física e moral, sobejamente comprovada, como aconteceu no episódio não muito remoto, em que foi desafiado por um desafeto (esse mesmo bravo deputado a quem você vê todos os dias aí na Câmara Federal) da maneira mais ultrajante pela qual fora homem público neste país e como única resposta limitou-se a requebros e tiradas patéticas na televisão e no rádio.
O seu destino, pobre diabo, é esse mesmo, o de atassalhar, denegrir, mentir, injuriar e difamar o próximo, a ponto de não escaparem do seu furor vesânico os seus próprios correligionários. Para isso você foi feito. Este é seu triste e doloroso fado.
Todos os recalques perversos, todos os ressentimentos inconfessáveis, todos os matizes da infâmia e baixeza humana se caldearam para compor a sua monstruosa personalidade moral.
Esta é a minha resposta final ao miserável que não tripudiou em enlamear o próprio pai e foi por isso considerado indigno da condição humana: ao ladrão (pois gatuno é você) que, segundo acusação pública não contestada, roubou na juventude o dinheiro da revista de que era redator: ao traidor que delatou os companheiros do credo bolchevista e a si mesmo definiu como canalha, dominado por insofreável remorso; ao salafrário que, segundo outra acusação pública, também não contestada, tentou cortar os pulsos para fugir do serviço militar: ao chantagista e mercenário, que montou uma indústria de difamação para colher vantagens políticas e sociais; ao falsário ignóbil da Carta Brandi; ao palhaço gabola que se jactanciava de impedir, a tapas, a posse dos eleitos de 1955; enfim ao desfibrado fujão do 24 de Agosto e do 11 de Novembro, e que, em face do desafio acima aludido, não foi capaz de defender o que há de mais caro para um homem de bem a dignidade do próprio lar.
Para terminar, ouça, covarde fantasiado de valente, torpe falsário travestido de Quixote da honra nacional, você só uma vez conseguiu atingir-me e fazer-me mal: foi agora, obrigando-me a dizer da alguém coisas que acabo de escrever.

Ass Francisco Negrão de Lima

 

 

 

 

Comments (31)

photomechanica 2006-01-17 07:34 …

Nócinhóra…isso deve de ser coisa séria.
Vou imprimir e ler com calma.

photomechanica 2006-01-17 07:42 …

Mais rápido que o vôo da Cruzeiro!!
Já recebi a transcrição,
Thanks.
:-) )

luiz_d 2006-01-17 07:46 …

É!

Vejamos o que as “viúvas” do Lacerda (e são muitos) terão a dizer.

Embora tudo o que se refira ao Lacerda seja na base do amor ou ódio, não há como negar que ao lado de umas condutas abjetas, administrativamente fez algumas coisas muito interessantes para o Rio, deixando saudades.

Parece-me que, como quase sempre, nem tanto à terra, nem tanto ao mar!

http://fotolog.terra.com.br/luizd

Rafael Netto 2006-01-17 08:04 …

Verrinas? Atassalhar? Jactanciava?
Alguém tem um dicionário aí?…

Por acaso, o Lacerda não foi eleito poucos anos depois Governador da Guanabara? E o Negrão de Lima não foi seu sucessor? Como era a relação entre eles na época? Não consta que o FNL tenha desfeito ou abandonado nada que o CLW tenha feito, pelo contrário.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

andredecourt 2006-01-17 08:06 …

Pois é né Rafael, aí você vê a qualidade desses homens públicos…mas houveram mudanças de foco do Lacerda para o Negrão, mas de forma alguma não foi o descontinuísmo administrativo que vemos hoje !!

AG 2006-01-17 08:26 …

No tempo de Gutemberg, quando o rádio e a televisão não dominavam o público, artigos bombásticos nos jornais e revistas, únicos meios de transmissão diário de idéias, eram fundamentais para um político.

Nelson Rodrigues conta que os artigos escritos pelo pai, Mario Rodrigues, eram lidos em voz alta tanto nas salas de visitas das casas quanto, aos gritos, nas mesas dos cafés.
Os de Pinheiro Machado também eram.
Daí, a procura dos termos arrevesados em estilo gongórico do tipo que Negrão usou na sua diatribe (epa) contra Carlos Lacerda. Coisa que só se lia (e só se escrevia) com dicionário a mão.
Eram palavras como: poltroneria,
atassalhar, furor vesânico,
caldearam, sentina.

O Lacerda, todos sabem, não era tão bom na escrita quanto era na fala; a máquina de escrever não lhe era tão favorável quanto o microfone. Ele tinha uma facilidade incrível de alinhar seis, sete, oito sinônimos, em questão de segundos, com o poder de destruição de uma rajada de metralhadora.

(cont.)

AG 2006-01-17 08:27 …

Hoje já não temos mais os grandes mestres da “pena ferina”. Mesmo no campo jornalistico, somos servidos mais por gracinhas do tipo Anselmo Goes ou textos homogeineizados como os da Veja, Isto É e Época. Os velhos textos elaborados como os do Jânio de Freitas, Villas Boas Correa, Élio Gásperi já vão escasseando até por falta de leitores mais exigentes. O que o grande público quer hoje é o “dinamismo” do Jornal Nacional (argh!) com edição e textos de boas pessoas como o Boner e a Fátima mas que, não se pode negar, eram até ontem apenas bons locutores.

É como tudo na vida.
Nesses tempos de transformação, sai Gutemberg e entra Tomas Edison.

E hoje à noite tem Big Brother.

luiz_d 2006-01-17 08:35 …

AG, que tristeza!
Quando vejo a Fatima Bernardes arquear as sobrancelhas após determinada notícia, tenho ânsias de vômito.

A pasteurização do Jornal Nacional, já iniciada com a vestal do Armando Nogueira que bom jornalista esportivo tenta vender uma imagem independente e não adesista como na realidade foi sua passagem pelo JN com a Alice Maria, é de dar engulhos.

O nível de exigência dos telespectadores caiu a um patamar inacreditável.

Posso parecer (e muito provavelmente seja) pedante mas de há muito abandonei o JN.

Hoje é o tempo para os bilhões de adoradores do Paulo Coelho e do Big Brother.

Sou (somos) uma espécie em extinção!

http://fotolog.terra.com.br/luizd

jban 2006-01-17 08:39 …

No melhor estilo do Dr. Hermelindo Pintáfona !!!

Nitroglicerina Pura.

piolim 2006-01-17 08:42 …

muito boa essa transcrição… obrigado pela chance de ler algo das polêmicas envolvendo o Lacerda

edubt 2006-01-17 08:46 …

Adorei… principalmente a parte em que diz:

“(…) porque você, politicamente, nada mais é e nada mais tem sido, senão um cáften das desgraças alheias. ”

Caften, adoro essa palavra!

A despeito da inimizade politica e pessoal de ambos, o Rio de Janeiro necessita urgentemente de um novo Lacerda e um novo Negrão de Lima.

:-) ))

Lefla 2006-01-17 11:30 …

Entre o Lacerda e o Negrão de Lama, digo, de Lima, prefiro o primeiro… Está muito destemperado esse artigo. Há uma diferença grande entre uma acusação e um mero xingamento. Mas hoje é tudo a mesma coisa, xingam hoje para fazer alianças amanhã.

Mauro_AZ 2006-01-17 11:59 …

Independentemente de quem era flor que se cheirasse, essa carta e’ para recortar e guardar mesmo, ou melhor, dar ctrl-C, ctrl-P e ctrl-S. Esse compendio de ofensas e agressoes verbais ainda pode vir a ser muito util. Alias, lendo o primeiro paragrafo ate’ pensei ser o Dr. Bertoni reclamando do JBAN… So’ faltou chamar o outro de viado. :) ))))))))))))))

Marcelo Almirante 2006-01-17 12:09 …

Esse texto é sincero, ou mais um ato do circo político ?

A briga entre governantes da mesma dinastia, apesar de partidos diferentes, é uma boa desculpa para a destruição da cidade …

edubt 2006-01-17 12:42 …

Caften, adoro essa palavra!

:-) )))))))))))

Rafael Netto 2006-01-17 13:04 …

Isso tudo mostra muito bem o tipo de gente que governou o Olimpo, isto é, o Estado da Guanabara…

Eu acredito que aquela época só foi tão boa para a cidade por causa das circunstâncias. Pelo mesmo motivo, o governo Lula escapou até agora de ser um desastre total.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

reiarthur 2006-01-17 13:06 …

Surreal. Alguém consegue imaginar hoje uma troca pública de gentilezas deste porte entre Rosinha e Cesar Maia… Com os elementos que a gente não consegue saber nem pela imprensa independente ?

patricio 2006-01-17 13:24 …

Sou um fã, se assim se pode dizer, do Carlos Lacerda mas sei bem que o mesmo era uma pessoa “dificil” – frequentemente injusto em suas palavras e atos. Todavia como administrador foi muito bom. O saudoso Negrão de Lima foi, igualmente, muito competente – Neste episódio deu uma merecida e brilhante lição ao ìrascivel Lacerda. Numa só palavra: “Detonou”!

prfragoso 2006-01-17 13:38 …

Endosso a opinião do “luiz_d” a respeito do Jornal Nacional. Aliás, além de tendencioso, é superficial, como de resto os notíciários da Toda Poderosa Globo.
Os brasileiros, somos, com ráras exceções, uns alienados em matéria de cultura, outro dia mesmo procurava num “sebo” um livro do educador PAULO FREIRE, e o atendente me trouxe um do Paulo Coelho…
E não foi confusão de nome, não, é que ele não sabia quem era (pasmem) PAULO FREIRE!
Tenho dito.

Mauro_AZ 2006-01-17 13:56 …

Fico tentado a dizer que cada epoca tem o Paulo que merece.

Rafael Netto 2006-01-17 14:55 …

Com o oceano de lama em que vivemos, e que cada vez mais confirmamos que está aí desde sempre, eu fico pensando… o que será que levaram esses “bons administradores” a terem feito o “bem” que fizeram.
É difícil de acreditar que eles fizeram coisas pelo Rio porque realmente gostavam da cidade. Com certeza deviam ter segundas e terceiras intenções.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

andredecourt 2006-01-17 15:25 …

Rafael a intenção de Lacerda como a de JK era a presidência, já do Negrão eu não sei, talvez mais alguns mandatos de governador pela Guanabara e terminar a carreira como senador …

luiz_d 2006-01-17 15:52 …

prfragoso,
o Paulo Freire foi um gênio!
http://fotolog.terra.com.br/luizd

rockrj 2006-01-17 17:22 …

Eu era garoto nesta época, mas ouvia dizer que a prefeitura tinha sido assaltada por um mulato de pé-de-cabra e um negrão de lima…

luimotta@ 2006-01-17 17:42 …

Ai que saudades da Guanabara… Ali, naquele tempo em que esta cidade era mesmo uma cidade…Ali, naquele tempo em que as pessoas, antes de políticos, advogados , médicos , jornalistas, eram humanos apaixonados e apaixonantes

francisco patricio 2006-01-17 17:42 …

Meu caro Rafael Netto ao contrário do que você afirma o governo Lulla é um desastre total! Nunca, na história deste País, se presenciou tanto despreparo e desrespeito com o dinheiro publico! Em anteriores comentários seus já tinha percebido que você é adepto da politica do “roubar menos” ou do “rouba mas faz” – isso é inadmissivel – se rouba não serve… se assalta os cofres do estado, se nomeia pessoas que não têm conhecimento especifico para os cargos em questão é um desastre sim. Em que planeta você vive? Qual é seu conceito de ètica?
Abraço

Rafael Netto 2006-01-17 19:15 …

Concordo com o Patricio, com certeza!

Mas o Lula, no futuro, poderá arrotar que a economia cresceu, ou pelo menos se manteve, coisa e tal. Só que isso, segundo os analistas, é fruto da boa situação internacional.

Justiça seja feita, o Lula conseguiu manter esse cenário justamente continuando a política do FHC. Isso tranquilizou os banqueiros internacionais, que são quem efetivamente manda no mundo. Porque não adianta trabalharmos, desenvolvermos tecnologia, sermos auto-suficientes em petróleo e marcarmos superávit sobre superávit, porque se os velhinhos de Wall Street quiserem, derrubam o R$, jogam o “risco Brasil” lá em cima e junto com ele o preço do pãozinho, da gasolina, do telefone, da eletricidade…

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

Rafael Netto 2006-01-17 19:16 …

ATENÇÃO: Considerar o devido PI (Ponto de Ironia) no comentário acima!!!!!

Marcelo Almirante 2006-01-18 06:41 …

Quem faz o Brasil crescer são os empresários. O país não cresce mais devido aos altos juros …

O Lula nem gosta de trabalhar e é mais uma cria do Diálogo Americano, assimo como o FHC !!!

Quem sabe da vida do Lula ?