andredecourt's photo from 2/7/06

O tempo passa, o tempo voa, mas a especulação imobiliária continua a mesma.

Ao lermos o texto do anúncio, vemos que pouca coisa mudou, de 1961 até os dias atuais. Expressões em inglês, promessas macarrônicas, projetos horríveis e canhestros sendo vendidos como a oitava maravilha do mundo, sempre um verde que não existe, ou se existe no terreno deixará de existir e claro, uma família feliz.

Esse anúncio é do famoso Shopping dos Antiquários, ou Super Shopping Center Cidade de Copacana, nome muito pomposo, para algo que nunca deu certo, e aliás nunca daria.

Um imenso prédio que bloqueia toda a renovação de ar no quarteirão entre as ruas Siqueira Campos e Fiqueiredo de Magalhães, várias tipologias de imóveis no mesmo prédio, embora os blocos sejam separados, e um empreendimento comercial que só agora, mais de 40 anos após a sua construção está encontrando a sua vocação e melhorando muito graças aos esforços dos lojistas e da administração das galerias, embora haja um terceiro andar de lojas até hoje no concreto.

Vou transcrever o texto para vocês:

ESTA FAMÍLIA VAI À MISSA SEM SAIR DE CASA

Você pode fazer o mesmo…comprando sua residência na CIDADE DE COPACABANA, com o primeiro super shopping center do mundo.

Imagine que beleza!… Você morando num ambiente essencialmente residêncial, tranquilo, numa cidade suspensa, cercada de jardins e playgrounds… e com tudo a mão, sem precisar sair de casa! Não é um sonho, é uma realidade a sua residência na CIDADE DE COPACABANA. Vá vê-la de perto…vá escolhe-la num dos majestosos edifícios independentes, construídos sobre os terraços do primeiros super shopping center do Mundo!!

VOCÊ TEM DE TUDO À PORTA DE SUA CASA:
Igreja, Nursery, jornais, bancos, cinema, teatro, bools, centro de turismo, restaurante, jardins suspensos, playgrounds.

E TEM TUDO ISSO AO SEU DISPOR:
Garagem subterrânea para 450 carros, 2 casas de força, fornecimento próprio de luz e força, reservatório para 2 milhões de litros d’água, lavanderia.

Apartamentos e escritórios comerciais desde de CR$ 1.400.000,00

que você paga como lhe convier através do FINANCIAMENTO AJUSTÁVEL

Com sala e quarto conjugados, com quarto e sala separados, com dois quartos e sala, escritórios comerciais.

Empreendimento da COMPANHIA DE EMPREENDIMENTOS COMERCIAL E INDUSTRIAL SÃO LEOPOLDO

Informe-se AGORA, e compre AINDA HOJE o seu apartamento no

CIDADE DE COPACABANA

Rua Siqueira Campos 143-Frente para as ruas Siqueira Campos, Figueiredo de Magalhães e República do Paraguai Tel 36-3497

Com certeza quem conhece o prédio sabe que pelo menos 50% do que foi dito no anúncio nunca funcionou, ou se funcionou foi por breve prazo de tempo…. os playgrounds e os jardins suspensos estão até hoje para serem concluídos, em um terceiro andar que lembra uma caverna !!

Comments (25)

Rafael Netto 2/7/06 2:23 PM …

Em que ano foi isso?

Esse prédio virou “favelão”, não foi?

Não imaginava que esses termos em inglês (como “playground” e “nursery”) já circulavam nos anos 60. Hoje em dia provavelmente encontrariam alguma expressão gringa para “jardins suspensos”

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

andredecourt 2/7/06 2:26 PM …

Esse anúncio é de 1961 Rafael !!

eduardo bertoni 2/7/06 2:29 PM …

Eu tenho arrepios até hoje quando sou obrigado a ir neste infecto local. ARGHHHHHHHHHHH!!!

luiz_d 2/7/06 2:38 PM …

Pois apesar de tudo de ruim já relatado, assistir a Carcará com Nara, João do Vale, Zé Keti (depois Betânia substituiu Nara) no Teatro de Arena, foi inesquecível.

Informação apenas histórica: durante anos foi vigário desta igreja o Padre Ítalo, figura conhecida de Copacabana.

Quanto ao termos em inglês, a partir do final dos anos 50 a influência francesa declinava e tomava conta dos meios de comunicação a “cultura” americana.

http://fotolog.terra.com.br/luizd

Rafael Netto 2/7/06 2:42 PM …

Eu fico imaginando o que passava na cabeça do energúmeno que inventou os tais “conjugados”. Só podia ser especulação pura e simples.

Alguns tem explicação, como por ex. o Ed. Coral (Praia de Botafogo 316) onde uma amiga minha morou, onde os apartamentos (um pouco melhores que conjugados) eram pra ser todos salas comerciais.

Julia 2/7/06 2:57 PM …

O shopping pode ser feio mas tem um comércio popular muito bom para reparos no lar. Sem contar os antiquarios e os teatros do segundo andar.
Teve até uma exposição de fotos antigas muito concorrida no ano passado… :-) )

http://www.flickr.com/photos/julinha

edubt 2/7/06 3:11 PM …

Acho que é o unico shoping que gosto.

:-) )

edubt 2/7/06 3:14 PM …

Jardins suspensos so se for as trepadeiras da Luomo.

Eu gostava mesmo de ir na Gabriel Habibb. Meu pai comprou muito brinquedo lá. Depois fechou virou Supermercado Leão, fechou voltyou como ABC, AbC Barateiro, Sendas… mas acho que rolou mais coisa naquele imovel.

andredecourt 2/7/06 3:18 PM …

Roberto, tenho que confirmar se realmente o cinema funcionou no imóvel ou se a Gabriel Habibb já a assumiu direto, agora fico imaginando que o cinema deveria ou ocupar parte do subsolo, ou as logas no segundo piso, pois o pé direito apesar de alto, deve ter um 5,5 metros não dá para um cinema, ainda mais levando-se em conta o tamanho da loja

Rafael Netto 2/7/06 3:43 PM …

Não seria o cinema no lugar de um dos teatros?
Quantos teatros chegaram a funcionar no prédio?
Acho que hoje todos viraram igrejas evangélicas.

A tal igreja do anúncio acho que existiu mesmo, no último andar do shopping.

Eu não lembro da Gabriel Habib… acho que já conheci como Supermercado Leão. A GH que eu conheci era a da Rua da Alfândega, atualmente Brinkmania.

Depois que o Leão fechou, a loja ficou muito tempo abandonada até reabrir como Serra e Mar, que foi comprado pelo ABC, que foi comprado pelo Pão de Açúcar, que se juntou com a Sendas.

No mais… não seria esta campanha publicitária a primeira vez que apareceu o termo “shopping center” por aqui? Acho que antes dele esses edifícios eram chamados “centros comerciais” ou “galerias”.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

andredecourt 2/7/06 3:47 PM …

Sempre foram dois teatros Rafael, o Thereza Rachel, hoje nas mãos do macedo, e o teatro de Arena, ainda funcionando.

O cinema era para ter funcionado no lugar do GH, inclusive me foi confirmado pelo administrador do prédio, só não me lembro se houve cinema, ou não, ou se tb houve algo ali antes do GH….. vou tentar descobrir e falo…

Já a igreja está lá no meio do canteiro de obras do terceiro andar…funcionando até hoje

Rafael Netto 2/7/06 3:50 PM …

Respondendo ao Andre lá no /edubt…

a Panair entrou na era do jato sim, inclusive havia encomendado os então moderníssimos Convair 990. Foi tudo para a Varig, mas no fim das contas os 707 que já eram dela acabaram sendo mais bem sucedidos que os Douglas e Convair.

edubt 2/7/06 4:32 PM …

Aquele imovel da Sedas é bem grande. Um cinema ali seria dos bons. Eu acahva a Gabriel Habbib enorme. Bem criança tem a tendencia de ver tudo hiperdimensionado.

:-) ))

andredecourt 2/7/06 4:37 PM …

Roberto, é grande mesmo, lembre-se que tem a parte que não podemos acessar, que é o estoque, vestiários, e demais acessórios do supermercado. De fato é um imóvel enorme !!!

luiz_d 2/7/06 4:45 PM …

Nunca soube de cinema aí.

A igreja, conforme já disse, foi tocada durante anos pelo Padre Italo, que morreu há uns dois/três anos.

edubt 2/7/06 4:55 PM …

Eu gosto de passear por lá. O unico senão é o calor dos infernos por conta dos ar condicionados das lojas que jogam aquele bafo quente nos corredores. Seria interessante ter um sistema de ar central.

:-) )

jaymelac 2/7/06 5:07 PM …

Conviví muito com a trajetória desse conjunto, desde seu lançamento. Realmente seu ponto alto foi a fase do Teatro Opinião, quando tivemos, por longo tempo o show de Nara Leão & Cia.

Morei na Rua Henrique Oswald (liga o Tunel Velho à Santa Clara) recém casado e, como Teresa insistia em batizar nossos inocentes filhos, Fernando foi batizado na igreja do Padre Ítalo.

Já tive minha fase de visitar antiquários – o forte da galeria – e hoje costumo ir a lojas que consertam eletrodomésticos e a banco, pois é um dos locais onde consigo estacionar.

Com toda a certeza a proposta inicial falhou, e talvez a maior parte da construção ainda esteja no cimento. Pode ser que o vigor de Copacabana proporcione ao empreendimento uma valorização tardia…

Solange Passos 2/7/06 5:18 PM …

Ontem levei um susto danado !
havia um aviso que só era permitido 10 post, mas parece que voltou tudo ao normal.
Será que sonhei ?
Não entendo lhufas de fotolog, só sei apreciar.
Um abraço a todos.

andredecourt 2/7/06 5:52 PM …

Voltou sim Solange, o flog teve uma indigestão nesse final de semana !!!

edubt 2/7/06 8:01 PM …

Brasmotor… isso mesmo. É Brastemp. Depois que vc e Rafael escreveram que me toquei. Eu ja escrevi algo sobre isso. Se não me engano num post sobre a Sears.

é o calor que está derretendo meus pobres neuronios…

:-) ))

Marcelo Almirante 2/7/06 8:28 PM …

Realmente esse prédio é abominável, mesmo com belos antiquários em seu interior.

Por sinal uma rua que evito passar é a Siqueira Campos …

Lefla 2/8/06 5:53 AM …

O que é um bool??

Rafael Netto 2/8/06 6:35 AM …

Tem um aspecto interessante do anúncio que ninguém lembrou. O que está em destaque é o fato da família ir à missa. Que publicitário hoje em dia usaria isto numa campanha?

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

jason_1900 2/8/06 5:30 PM …

É o único shopping que eu tolero!
(e não me refiro à casa de tolerância Luomo…)

E pare com essa história de “Shopping dos Antiquários”. Aquilo lá é apenas o “Shopping” ou “Shopping Center”. Primeiro e único.

Também chamo de Xoxóping.

Luiz Henriques Neto 1/19/07 1:41 PM …

O cinema nunca funcionou. Antes da Gabriel Habib, havia um enorme espaço só no concreto. O Luiz Carlos Maciel, do Pasquim, depois da Rolling Stone, tentando promover a contracultura no final dos anos 60 e início dos 70, começou a produzir shows de rock e alternativos no porão, o que hoje seria um “espaço”, e fez um tremendo sucesso na época. Por um certo tempo, o shopping chegou a ser um point hippie (daí a boutique Lixo e outros brechós barateiros de roupas), que acabaram levando-o a se transformar em centro de antiquários.

Eu gostava da Gabriel Habib porque era o único lugar do Rio onde eu encontrava espaçonaves para montar, em kits de plástico tipo Revell – já vinham até pré-pintados! Eu tive a Kozmic, a Scott e a Enterprise (que não era aquela do seriado).

Ele havia sido planejado para ser o primeiro verdadeiro shopping center do Rio, mas acabou não dando muito certo. Mas adoro o lugar e ainda ontem fui lá com uma amiga passear