andredecourts foton från 2006-03-20

Conforme prometido na foto anterior, posto hoje a ocupação dos terrenos do Liceu para atividades ligadas a diversão.

A foto de hoje também de Malta é tirada no angulo inverso da anterior, vemos então a esquina da Rio Branco com a rua de Santo Antônio, hoje Bettencourt da Silva, e nela vemos o Pavilhão Internacional.

A construção foi inaugurada em 1906 para a demonstração do “Ferro Carril Asiático”, um dos mecanismos de diversão tão em voga na época, onde o espectador ficava sentado dentro de uma imitação de vagão de trem, e pelas janelas passavam imagens da terra santa.

Em 1907 o barracão foi “adquirido” por Pascoal Segreto que nele montou o seu “Pavilhão”, onde além do cinema havia rinque de patinação e teatro, lugar onde encenava-se revistas e operetas.

O barracão era comprido e ocupava toda a testada na frente da avenida Central, em meio aos imponentes prédios ecléticos da época, o que não era bem visto pela sociedade, que ansiava uma cidade européia. Para esses o Pavilhão Internacional não passava de um horrendo barracão de madeira, “hediondo” segundo Luiz Edmundo em seu “O Rio de Janeiro do Meu Tempo”. No início da noite o pavilhão exibia filmes “adultos” o que ajudava a deixar sua imagem ainda mais prejudicada.

Em 1909 iniciou-se uma briga judicial com a municipalidade, inicialmente indeferindo a renovação da licença de funcionamento do estabeleimento, com base em medidas suspensivas, o estabelecimento continuou funcionando ao ponto de em 1912 serem construídas arquibancadas metálicas para o desfile carnavalesco, uma inovação.

Mas em 16 de Maio de 1914 por ordens de um oficial de justiça o “Pavilhão Internacional” foi demolido, num processo muito parecido com o Maison Modern, do mesmo empresário, anos antes na praça Tiradentes para o alargamento da rua da Carioca.

Mas a tradição cinematográfica dessa esquina permaneceu por mais várias décadas, pois no prédio do Liceu, nessa exata esquina funcionou por muitos anos o cinema Central.

Na foto além do pavilhão, vemos os prédios remanescentes do conjuto do Liceu após as reformas de Passos, onde podemos observas que a construção era maior que muitos imaginam, inclusive com várias casas baixas dentro do complexo.

Na extremidade esquerda superior da foto vemos um nesga do Teatro Municipal

Comments (6)

jban 2006-03-20 08:32 …

Excelente registro. A imagem é inédita para mim. Realmente as instalações do Liceu eram enormes. mesmo com as demolições de Passos o quarteirão remanescente é muito grande.
Alí hoje está fincado o edifício da Caixa Econômica Federal.

luiz_d 2006-03-20 09:05 …

Também nunca tinha visto esta foto.

Sensacional!

Uma vista aérea desta região pode ser vista em http://fotolog.terra.com.br/luizd , num “post” duplo involuntário.

derani 2006-03-20 09:18 …

Existem áreas nas cidades que são fadadas a abrigar monstrengos arquitetônicos. Esse pavilhão era horroroso e o edificio da Caixa seguiu a tradição.

esanchez 2006-03-20 12:58 …

Porque post involuntário?
Esta é a melhor sequencia que vi até hoje! Deveria continuar até os anos 70 com a construção do Edifício Sede da Caixa!
Tantas histórias quase perdidas no tempo, fascinante esse “Ferro Carril Asiático”, um rinque de patinação? E pensar que ali (aqui no prédio) foi o primeiro “cinema pornô” do Centro. Meu Deus, deixa o pessoal aqui da Caixa saber disso!
Sim, entendo… este lado é o que ficava para o que um dia será a estação de metrô da Carioca, onde funcionaria durante décadas o Cinema Central… a foto aérea do /luizd, fecha com chave de ouro!
Quanto mais eu aprendo, mais percebo que nada sei!
A Caixa agradece e eu também!

Jorge Silva 2006-03-20 16:34 …

Sensacional,concordo com o Sanchez,nunca ví uma sequencia como esta. Nós Cariocas da Gema,não conhecemos nada da história de nossa cidade ;e este fotolog é sensacional,percebe-se que o André é apaixonado pelo nosso querido Rio de Janeiro.

jban 2006-03-20 16:41 …

Este lado é o virado para a atual Av. Rio Branco.