andredecourt's photo from 7/3/06

Portão do Mercado Municipal

Nessa foto , possivelmente do meio dos anos 50 vemos a beleza Art-Noveu do velho Mercado Municipal, chama muito atenção o trabalho de serralheria no topo do portão, onde trabalhos em ferro batido dão leveza em uma estrutura que tinha tudo para ser pesada visualmente.

No fundo a torre principal com o relógio, que marca meio dia, pelas sombras acredito que ele estava parado. O mercado já não tinha a mesma beleza da época da sua transferência para essa nova construção, os boxes que na época de Passos eram todos abertos, se mostram aqui fechados com venezianas, que não combinam em nada com o “programa” da construção.

Em aproximadamente 10 anos o mercado seria burramente demolido para a construção do feio elevado da Perimetral, sua função básica, nos dias de hoje seria completamente inadequada para o uso do solo do Centro, mas imagino o velho Mercado servindo de polo gastronômico, totalmente reformado no dia de hoje.

Comments (32)

Rafael Netto 7/3/06 8:42 AM …

Vou me repetir de novo.
São Paulo tem seu Mercado, Belo Horizonte também, sem falar de Belém e Salvador… só o Rio não tem um Mercado. E não fale de CADEG porque aquele negócio é tão fora de mão que nunca funcionou direito.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

luiz_d 7/3/06 9:16 AM …

Mais uma demolição burra.
Concordo que não poderia ser um mercado nos dias de hoje mas poderia ser muito bem aproveitado para algo turístico.

natureco 7/3/06 9:55 AM …

Caramba que show. Quando vi no thumb pensei que fosse uma foto de países europeus!!
Abçs.
Luiz.

jban 7/3/06 9:59 AM …

Burra, burra, burra…. Somos muito burros. O Mercado era uma jóia e deveria ser pelo menos preservado em parte.

Derani 7/3/06 10:04 AM …

Poxa, trocar isso por aquele elevado horroroso… como é que pode? Lamentável!

http://fotolog.terra.com.br/nder

turistaprendiz 7/3/06 10:04 AM …

Isso mostra que a nossa arquitetura anterior ao modernismo era de uma variedade e vitalidade impressionantes.

lucia 7/3/06 10:23 AM …

Como era lindo!

Quem já foi ao Mercado de São Paulo, pode no maxímo, num dia de muita boa vontade, chamar a Cadeg de mercadinho…

Humpf!

zecarioca 7/3/06 10:24 AM …

Como não sou do Rio (moro só há 8 anos aqui), fico impressionado ao descobrir essas preciosidades desaparecidas (ou, no caso, transferidas) da cidade. simplesmente, lindo! Ainda mais numa região com potencial tão fantástico e tão pouco aproveitado. Abração!

edubt 7/3/06 10:43 AM …

Pelas vezes que estive no CADEG, inclusive de madrugada não creio que não funcione direito como o Rafael falou. Das vezes que estive lá, estava lotado, caminhões e mais caminhões de flores vindos da região serrana, muita gente comprando e os boxes que vendem generos alimenticios se abastacendo fartamente para que abrissem em seguida.

:-) )

Farei post duplo com Vsa. Perdeste um baita cocktail ontem…

patrício 7/3/06 10:43 AM …

O mais absurdo na desmontagem do Mercado não foi a construção da Av. Periametral até porque esta ficava em um patamar superior que permitiu que o Mercado e a Avenida convivessem nos dois primeiros anos (algo que pode ser constatado nas primeiras fotos após a obra). O lamentável da situação, como já é comum por aqui, é que nada foi edificado no local – temos lá um estacionamento esculhambado entregue a uns flanelinhas “legalizados” que cobram caro 03 tickets de estacionamento (pago adiantado) e no final, quando o cliente retorna, ainda pedem os recibos de volta! Graças ao empenho do nosso lendário Carlos Lacerda, do velho Mercado ainda restou uma das suas quatro Torres – testemunha que sedia um ótimo restaurante de frutos do mar (Alba-Mar). Nas redondezas a costumice de sempre: muita sujeira, mendigos, vagabundos, pivetes e afins.
Não vejo solução a curto e médio prazo!
Abraço

patrício 7/3/06 10:47 AM …

Esqueci uma coisa: no Mercado de Irajá ainda tem um comerciante Português remanescente deste Mercado da Praça XV.

edubt 7/3/06 11:07 AM …

Na CADEG ainda tem tb comerciantes remanescentes do M. Municipal.

andredecourt 7/3/06 11:25 AM …

A CADEG é o sucessor natural do velho mercado da Praça XV, A CEASA é posterior

edubt 7/3/06 11:35 AM …

Alias no projeto original o nome era CADF, Central de Abastacimento do Distrito Federal, com a mudança pro planalto, mudou pra CADEG, Central de Abastecimento do Estado da Guanabara.

:-) )

andredecourt 7/3/06 11:42 AM …

E o nome resiste bravamente a fusão

edubt 7/3/06 12:46 PM …

http://www.flickr.com/photos/carioca_da_gema/180768531/

Post duplo no ar!!!

:-) )

Lefla 7/3/06 2:31 PM …

O Alba Mar serve comida muito ruim. É uma concessão muitíssimo mal utilizada, na minha opinião.

O Rio de Janeiro não tem um mercado, gente. Não dá para comparar a CADEG com o Ver o Peso ou o Mercado de São Paulo…

patrício 7/3/06 2:43 PM …

Gostaria que o Sr. Lefla nos dissesse o que entende por comida ruim, regular,boa, muito boa e excepcional – “muito ruim” já sabemos que é a comida servida no Alba-Mar.

Mediadora 7/3/06 3:11 PM …

Patrício
Calma, rs! Paladares são individuais, cada um tem sensibilidades e papilas gustativas de diferentes graus de acurância!( é este mesmo o termo?)
Gde abraço!

Patrício 7/3/06 3:29 PM …

Frequento, regularmente, alguns dos (considerados) melhores restaurantes do Rio de Janeiro, Itaipava, Buenos-Aires, Lisboa e arredores e da grande cidade de Paris. Julgo, até ao presente momento, que se tratam de referenciais quando o assunto é boa gastronomia. Assim sendo não me parece que o “Alba-Mar” tenha essa qualidade tão deplorável apontada pelo bom comentarista do fotolog Leflaneur.
Sim…antes que me esqueça : este restaurante não é uma concessão.

Waldenir 7/3/06 3:33 PM …

Boa tarde, André e demais comentaristas.
De fato, o mercado poderia ser “algo mais” na atual praça XV.Uma idéia interessante,se ele existisse até hoje,seria abrigar a feira de antiguidades que é realizada aos sábados,onde os estandes são simplesmente amontoados de tábuas,que são montados e desmontados toda semana.
Assim, teríamos um ambiente adequado,organizado e mais seguro para a feira.
Esta Mediadora,assim como um(a) tal Aprendiz, tem um,digamos,sabor de Evelyn.

Jorge Silva 7/3/06 4:58 PM …

Diga-se de passagem que a Bolsa de Valores do Rio teve sua origem, quando alguns comerciantes vendiam títulos de suas empresas em plena Pça XV,quase que supervisionados pelo nosso querido P.II, sem nunhuma organização.

Bruno 7/3/06 6:30 PM …

Andre , gostaria de saber se vc tem alguma foto ou informção sobre a mansão da família Fonseca Costa!
tenho 28 anos e desde criança gostaria de saber alguma coisa sobre a construção. :-)

desde já obrigado

andredecourt 7/3/06 6:58 PM …

Bruno, de nome não conheço, aonde ela fica ??

toty 7/3/06 7:18 PM …

É no Morro do Pasmado.

andredecourt 7/3/06 7:24 PM …

OK, tenho sim vou ver se localizo uma boa foto para um futuro post, mas já falamos dela no passado em post’s sobre assuntos diversos

levine1983 7/3/06 7:54 PM …

Pro Rafael Netto

Não esqueça do mercado de Recife, importado, todo feito em ferro, de 1860

mauriliolp 7/3/06 9:01 PM …

essas fotos sao as melhores

Luís Felipe Pires 7/3/06 10:20 PM …

Chego a imaginar meu avô , Alfredo Pires , português, que trabalhava aí neste mercado, tendo sido fiscal de inspeção sanitária , atravessando este portão de ferro lindamente trabalhado! Esta foto eu não conhecia ! Obrigado, André !

Keila 7/4/06 3:08 AM …

Estive na CADEG uma vez, há uns 10 anos. Achei meio deprimente, ar de lugar abandonado.
Me lembro que nesse dia estava um sol de rachar, em pleno mês de janeiro.

FlavioM 7/4/06 3:14 AM …

Não esquecer, também, do mercado de Manaus, de 1904 ou 1906, todo em estrutura metálica Art Nouveau, lindíssima e completamente preservada.

Apesar de lindo, artístico e histórico, FEDE!!! E muito. Como fediam o Ver-o-Peso e o Mercado Modelo de Salvador.

E como devia ser também o porto do Rio, da Prainha à Gamboa (só o cheiro, não a arte). Ver no “Rio Antigo, e outras mais…”

http://www.flaviorio.globolog.com.br

Lefla 7/4/06 9:14 AM …

Acho que o restaurante Albamar é concessão, sim, patrício, aquilo não é propriedade deles não, é prédio público. Se não me engano isso foi esclarecido pelo André há algum tempo. Tvz eu não tenha tido sorte em nenhuma das vezes em que estive lá, mas acho que o Albamar é mal administrado, irregular. Em matéria de comida, eu dou três classificações: bom, ruim e tanto-faz. Muito ruim são poucos. Muito bons são poucos tb.

Tb frequento alguns dos melhores restaurantes de todos os lugares que vou, pois este é um prazer para o qual economizo e com o qual gasto. Não precisa ser caro para ser bom, é uma coisa que aprendi. Por exemplo, na minha opinião o Cipriani serve comida tanto-faz, e tem ambiente de mausoléu italiano. Já a Tratoria, é barata e serve massa excelente. Mas isso, como disse a Mediadora, é questão de gosto, não façamos disso um caso.

André, como assim vc não sabe onde é a Residência Fonseca Costa? Vc sabe tudo sobre ela, inclusive que a moradora era a Condessa Frontin, por anos. Vc que esclareceu que o construtor era amigo do Paulo de Frontin…

Esse comentário virou uma coisa interminável…