foto de andredecourt en 26/09/06

Vemos nessa foto de Ferrez de 1877 o que era o velho litoral da região da Gamboa e Santo Cristo.

A foto é muito interessante historicamente pois, além de mostrar o urbanismo da região, como habitações precarias e “entulhadas” umas sobre as outras, trapiches na linha do mar e o litoral bem recortado. Nos mostra com destaque o Mercado da Harmonia, a grande construção com pátio central que se destaca na massa do casario.

O Mercado da Harmonia foi criado em outra zona portuária a fim de aliviar a demanda pelo Mercado da Candelaria, mostrado aqui ontem em seus últimos dias. Porém o mercado nunca teve a movimentação desejada, dando prejuízo, mesmo com boxes alugados para moradia e não para o comércio.

O prédio do grande arquiteto Bethencourt da Silva logo começou a perder a sua função e tendo o mesmo destino de outros mercados que não deram certo, como o da Glória, virando paulatinamente um grande cortiço.

No último dia de 1892 começou uma batalha judicial entre a prefeitura e os ocupantes, notadamente os últimos comerciantes, para que desocupassem o mercado. A batalha se arrastou até 1897, quando foram expulsos e uma nova concorrência pública lançada pela administração municipal, para a transformação do mercado em trapiche e entreposto. Mas o mercado nunca se recuperou, continuou invadido, sendo inclusive cena para um caso de Peste Bubônica em 1900.

Pouco tempo depois o prédio foi consumido por um incêndio que o arruinou, mas a sua participação na história da cidade não terminou com o seu arruinamento….amanhã continua

Comments (14)

Derani 26/09/06 10:19 …

Como sempre a Justiça rápida, 5 anos para tomar uma decisão relativamente simples.

Essa foi uma parte da cidade em que a intervenção sempre foi muito apropriada.
Está precisando agora de novo.

edubt 26/09/06 10:32 …

Indo para a Novo Rio de ônibus passamos por essa região, completamente degradada, mal cuidada, suja, favelizada. Existem construções interessantissimas, desde casarios antigos, com lindos azulejos até antigos frigorificos e aramzéns. Tinha tuido pra ser uma região interessantissima se fosse reformada, mas…

:-)

Rafael Netto 26/09/06 10:40 …

Essa região nunca foi bem cuidada. Até o século XIX era a cloaca da cidade. Passos aterrou e criou um bairro novo no lugar, com ruas largas. Mas foi tudo ocupado por galpões e armazéns, que nunca “vitalizaram” o lugar efetivamente, e com o abandono das atividades, transformaram aquilo tudo num conjunto de ruínas.

Me admira não estar pior. Os galpões parecem estar abandonados, ou usados como barracões de escola de samba, mas não favelizados.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

edubt 26/09/06 11:01 …

Rafael, pega o 128 e da uma volta por ai. Vc vcai ver muita gente morando em antigos galpões. As escolas de samba não usam mais galpões dessa região. Está tudo abandonado. Inclusive existem alguns carros alegoricos jogados por lá. Há um com uma caveira que ta lá há um tempão. Carro de muito mau gosto, diga-se de passagem.

Rafael Netto 26/09/06 11:53 …

Quando eu falei que não está favelizado, quis dizer que não chegou ao ponto dos arredores da Av. Brasil e Benfica. Por enquanto…

E eu acho que as escolas de samba do segundo grupo pra baixo continuam usando esses barracões, porque a Cidade do Samba é só pro grupo especial.

Aliás eu acho interessante que a Cidade do Samba restaurou um trecho da Rua da Gamboa que estava interrompido há uns 100 anos pelo pátio do Terminal Marítimo da ferrovia.

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

Vinicius 26/09/06 13:43 …

Li, certa vez, que a prefeitura tinha planos de restaurar o antigo traçado do litoral da Gamboa, Saúde e Santo Cristo, tornado-o um caminho turístico. Talvez esse trecho da Rua da Gamboa restaurado, faça parte desse projeto. Aliás, que trecho sofreu essa intervenção?

Waldenir 26/09/06 14:56 …

Boa tarde, André.
Impressiona a quantidade de navios de carga fundeados, indicando o grande movimento do porto do Rio em tempos passados.
A “mancha” escura em primeiro plano, à esquerda,parecendo vegetação, é o Cemitério dos Ingleses?

andredecourt 26/09/06 15:27 …

Waldenir, boa observação, mas o cemitério dos Ingleses é mais para a esquerda, quase alinhado com os velho terminal da Marítima, nessa época ainda haviam restos das velhas chácaras que ocuparam as encostas do morroda Providência e do Nheco nos início do sec. XIX, a área verde pode ser um resto de uma delas.

O porto do Rio, mesmo com toda essa precariedade era um dos mais movimentados do mundo e acho que o segundo ou terceiro em movimento das américas, por isso a importância das reformas feitas no governo Rodrigues Alves, pois o movimento estava se transferindo para o porto de Buenos Aires, principalmente os navios de passageiros.

Vinicius 26/09/06 17:35 …

André, o que é Nheco?

Marcelo Almirante 26/09/06 19:37 …

Bem interessante esse relato. Estamos chegando perto do famoso “cabeça de porco”, que por sinal, nunca vi uma simples foto, nem de longe.

Com tantas favelas não sei se essa regiao tem solução, talvez com a remoção …

andredecourt 26/09/06 22:41 …

Vinicius, morro do Nheco é o antigo nome do Morro do Pinto, ao lado do Morro da Providência

FlavioM 26/09/06 23:21 …

Estamos colecionando pendências: procura-se fotos do “Cabeça de Porco” e do “Solar da Fossa”.

http://www.flaviorio.globolog.com.br

Vinicius 26/09/06 23:26 …

Agora entendi André. Não sabia que o Morro do Pinto já teve esse nome. Obrigado.

FlavioM 26/09/06 23:46 …

Quer dizer que o Nheco é no Pinto?