andredecourt's photo from 1/25/07

Alargamento da Rua Uruguaiana.

Nessa foto do período Passos vemos as demolições para o alargamento da Rua Uruguaiana no largo que existia na frente da Igreja do Rosário.

O objetivo era alargar a estreita rua para que a mesma servisse de via de apoio à Av. Rio Branco ajudando também na ligação com o porto via Rua do Acre, inclusive para a Zona Sul via Largo da carioca e pelas Ruas Sen. Dantas e Treze de Maio, como concentrar o transporte por carris no sentido longitudinal do Centro da cidade.

A largura ideal foi com o alinhamento da fachada da Igreja do Rosário e São Benedito, sendo necessário para isso retirar seu adro, como alías foi feito com várias igrejas da cidade, como a do Carmo e a do Sacramento.

A foto nos mostra como a velha rua era estreita, sendo um pouco mais larga que 1/4 da rua que hoje conhecemos. Depois de alargada ela ganhou linhas de bonde, arborização e teve seus dias de glória como ponto de comércio sofisticado; com relojoarias, lojas de produtos elétricos, joalherias e modistas até a obra do Metrô nos anos 70, onde a lentidão das obras aliado ao sistema usado, “cut and cover”, levaram a derrocada do comércio da rua, além de transforma-la num deserto agreste pois todas as árvores no trecho englobado pelas obras foram retiradas. Hoje depois de duas reurbanizações a rua volta a apresentar algum verde, mas o comércio foi perdido.

Segundo dados da prefeitura o prédio o qual vemos a empena cega foi objeto de uma confusão judicial, onde a prefeitura desapropriou um imóvel que já era objeto de uma tumultuada disputa sucessória, ficando de pé na rua urbanizada e alargada durante alguns anos, pois os litigantes cada um de seu lado interpunham medidas contra a desapropriação. Se hoje os juízos ofarnológicos são lentos imagine naquela época.

Comments (15)

Luiz D’ 1/25/07 8:12 AM …

Como o comércio foi perdido?

Freqüentemente vejo comentaristas deste “fotolog” fazendo suas compras no camelódromo ali instalado!

http://fotolog.terra.com.br/luizd

derani 1/25/07 8:48 AM …

Era mesmo muitíssimo estreita…não tinha idéia!
Andre, acho que justiça antes era um pouquinho mais rápida que hoje.
Mais lenta, impossível…

AG 1/25/07 8:49 AM …

Grande André,
essa do “orfanológico” foi de se lhe tirar o barrete. Eu, que adoro palavras novas, exultei.

Quanto à destruição da Rua Uruguaiana tenho um caso hilário. O sogro português de um amigo, tinha lá uma loja com artigos finíssimos de ourivesaria. Quando as marretas começaram a abrir as crateras, o pânico foi geral. Como você já explicou, não demorouo para o comércio começar a ir à roda.
Isso gerou matéria diária nos jornais televisivos. Numa dessas matérias, a jovem repórter entrevistava, ao vivo e a cores, os comerciantes locais e choravam suas pitangas. Mas choravam com a educação que a tv ao vivo exigia. Eis senão quando, a mocinha vai ao encontro do sogro português do meu amigo. Vindo de Trás-os-Monte, criado à base de sopa de aveia e carne sangrenta, o velho português subiu nas tamancas
” – Este prefeito é um filho disto, um filho daquilo. Devem ir todos para a “puras que os partiu”; Corja de paneleiros, safardanas…

- Corta ! Corta ! Corta !
Dizia a atônita entrevistadora, com os dois dedinhos batendo como tesoura.

js 1/25/07 10:09 AM …

Que foto! Como disseram noutro dia,voce vai acabar exibindo cada centímetro do Rio antigo. Tomara que sim,curto cada foto e lembro que em data anterior desta foto a Rua da Vala era zona de baixo meretrício.

edubt 1/25/07 12:03 PM …

“juízos ofarnológicos ”

Adorei, seja lá o quer isso for.

:-) )))
:-) )))))

Evelyn 1/25/07 1:05 PM …

Andre
Então este primeiro sobrado que vemos à esquerda, com os 2 toldos na lateral,estaria onde hoje é o Bob’s,esquina com R. do Rosário, correto?

Lefla 1/25/07 2:40 PM …

Juízo orfanológico? Estou de volta, Mestre André, cuidado com essas palavras estranhas…

andredecourt 1/25/07 3:04 PM …

Hahahahaha

Waldenir 1/25/07 5:03 PM …

Boa noite,André.
Evelyn, a única construção que não sofreu maiores alterações foi mesmo a igreja do Rosário.
Pela distância, sem ter certeza se o sobrado dos toldos “sobrou” (trocadilho infame) até hoje,mas parece que é o Bob’s sim.

jban 1/25/07 5:06 PM …

Orfanológico é mais uma palavra do Dicionário Decourt do Rio Antigo.

Rafael Netto 1/25/07 5:43 PM …

Caramba, fiquei matutando na foto sem ler a legenda tentando descobrir onde era, e não consegui!

O comércio da Rua Uruguaiana pode não ser tão chique hoje em dia como no passado, mas se mantém, e está longe de ser decadente.

Na Uruguaiana, como na Carioca que sofreu as mesmas reformas, é flagrante o contraste entre os dois lados da rua. Do lado antigo, existe uma série de pequenos sobrados, alguns modernizados. Do outro lado, palacetes ecléticos como os que um dia povoaram a Rio Branco.

“Ofarnológicos”? Salve Pintáfona!

http://fotolog.terra.com.br/rafael_netto

Rafael Netto 1/25/07 5:44 PM …

A propósito, na esquina do Bob’s hoje em dia existe um edifício provavelmente da década de 1920. Em São Paulo existem vários com o mesmo estilo e tamanho, mas no Rio eu só conheço esse.

Evelyn 1/25/07 8:10 PM …

Waldenir
Obrigada pela atenção e resposta.

Incrédulo do Irájá 2/12/07 9:50 AM …

Foto de autoria de João Maria Torres. Um fotografo tão bom quanto o Malta e do qual nada se sabe a não ser que testemunhou (documentou) a demolição do casario decadente e as reformas urbanas que se seguiram.
Quanto á revolta dos “Portugas” o Luiz Edmundo ( prólogo da obra “O Rio de Janeiro do Meu Tempo”) narra um episódio hilário de um português que se recusou a abandonar o sobrado em que vivia – sentou lá, munido com guarda-chuva e um sumário farnel composto por vinho, broa de milho e lascas de bacalhau – durante varios dias resistiu às picaretas perante uma multidão atônita até que … derrubaram as paredes em cima do “tinhoso”.
Abraço