Nessa semana foi noticiado nos jornais que finalmente o TJ-RJ ganhou a queda de braço que fazia com determinados setores da prefeitura e finalmente conseguirá construir mais prédios modernos no entorno da abandonada Praça dos Espedicionários, marco de onde ficava o “Castelo” do Morro do Descanso e nas margens do bairro mais antigo da cidade, hoje praticamente desaparecido.

Alguns frequentadores do site pediram que fosse dado um repeteco, já que estamos ainda nas reprises, sobre uma série feita em 2006 sobre o bairro, com mapas e fotos aéreas. Farei ainda melhor, além da série publicarei posts separados sobre a Misericórdia, nesses próximos dias, últimos antes de voltarmos a normalidade. Hoje teremos um post de Agosto de 2006  sobre a região.

Nessa foto aérea do CAN vemos grande parte do desaparecido Bairro da Misericórdia como também um pedaço da Praça XV.

Olhando a foto podemos ter uma excelente idéia, do que falava sobre o bairro o cronista Luiz Edmundo, becos estreitos, um amontoado de casas, imprensadas entre as fraldas do morro do Castelo e a velha linha do mar de praias desaparecidas como a de Piaçaba e D. Manuel.

Nessas estreitas vielas com nomes como beco do Guindaste, Beco dos Ferreiros, Beco da Porta da Cidade entre outros se girava no início do Sec. XX um verdadeiro submundo, onde capoeiras, videntes, migrantes, imigrantes, charlatões, sinistras habitações coletivas, terreiros e até casas de ópio se escondiam e subsistiam perante a cidade formal que surgia após a esquina da rua da Misericórdia com rua do Cotovelo, renomeada depois como Vieira Fazenda.

A foto nos mostra muitos detalhes interessantes, no extremo esquerdo inferior vemos parte do Mercado Municipal, que faz um vértice formado um pequeno largo no final da rua Clapp, hoje desaparecida, o prédio do Tribunal do Júri ainda é uma curiosa construção colonial praticamente toda térrea com um pátio central, mas os prédios hoje ocupados pela PGE e pelo museu da Marinha já estavam idênticos a hoje.

Mais a direita vemos, o velho prédio neoclássico dos ministérios da Viação e Agricultura, com seus pátios criados pelo formato em H da construção. Atrás dele a velha Cadeia ainda está de pé, e grande parte do quarteirão entre a rua de D. Manuel e Travessa do Passo já foi demolido para a futura construção do Palácio Tiradentes, demonstrando também o pequeno tamanho da velha cadeia onde ficou preso Tiradentes, terminando a foto na extrema direita, temos uma nesga do Passo Imperial