praca-do-lido

Em mais uma foto da Life vemos dessa vez a Praça do Lido em sua terceira versão de urbanização, hoje desaparecida.

A praça ganhou ao longo dos anos 4 grandes urbanizações, a primeira em 1912, onde foi urbanizada de fato, com canteiros de inspiração romântica, gramados, uma grande terrace junto a Av. Atlântica e pouco depois um quiosque no centro. Essa urbanização ganhou pequenos adendos como a construção do Posto de Assistência e a demolição da terrace.

A segunda, de 1928 foi sem dúvida a de melhor gosto, junto ao Posto de Assistência a praça ganhou jardins retangulares, nova iluminação, treliçados com a finalidade de serem carramanchões, pequenos lagos e o prédio que nomeia a praça informalmente até hoje, o Restaurante Lido, em estilo normando.

Nos anos 60 com a demolição tanto do restaurante como do posto de assistência, substituído pela escola Roma a praça ficou com uma urbanização conflitante.

Esse conflito foi resolvido no meio da década, com a terceira grande urbanização. Esplanadas de pedras portuguesas, canteiros-bancos, jardins geométricos, playground, iluminação à vapor de mercúrio com luminárias do tipo chapéu chinês e a supressão das ruas laterais, devendo os carros transitarem pelas pedras portuguesas para acessarem as garagens e o plantio de mais árvores. A urbanização se completou de vez com o alargamento da Av. Atlântica e a união do calçadão dos prédios com a praça.

É isso que vemos na imagem, os velhos postes indicam o velho meio fio, que no Lido era um pouco recuado, então desaparecido e a praça fazendo parte do projeto de Burle Marx.

Esse urbanismo se sustentou até 1992, em  estado precário, quando a praça foi novamente reformada, sendo gradeada, as ruas abertas até o calçadão da praia, e um treliçado que lembra as dimensões do velho restaurante.