Uma das figuras que não muda sai ano entra ano, o nervosinho de carnaval, possivelmente enervado com algumas muitas doses a mais.

Se antes era no baile do Copa hoje essa figura se multiplica aos borbotões no exagerado e irrazoável enxame de blocos que acomete a cidade.