O amigo Ricardo Galeno mandou algumas boas imagens de um livro editado pela prefeitura do Rio nos anos 70, que discorre calcado em imagens sobre várias administrações da cidade, essa é da Adm. do prefeito Amaro Cavalcanti, que apesar de sua predileção de investir nas zonas suburbana e rural no Sertão Carioca, fez algumas obras de monta na Z. Sul da cidade como a Av. Vieira Souto em seu traçado definitivo como conhecemos hoje, abandonando os planos da natimorta Av. Meridional.

A imagem mostra a Rua Mena Barreto em Botafogo, ainda pouco ocupada, mas com a mesma largura dos dias de hoje. A foto mostra alguns detalhes interessantes como a troca da iluminação a gás pela a elétrica ainda por arco voltáico e a implantação de moderna rede elétrica, bem diferente das imagens da virada do séc. XX, onde concluímos que os investimentos eram pesados nesse setor.

A Rua Mena Barreto foi aberta como uma continuação da Rua Visconde Silva e terminava da Rua 19 de Fevereiro, tendo um grave problema urbano, as águas do Rio Berquó que eram precariamente canalizadas por debaixo da via e ainda corriam praticamente em aberto numa região pantanosa onde foi traçada a Rua Prof. Álvaro Rodrigues onde o rio na sua foz formava em tempos passados a Laguna de D. Carlota, eliminada pelas reformas de Passos. Por anos as graves inundações desvalorizaram a via, com muitas vezes a água passando de metro e meio na caixa da rua. Somente houve o saneamento quando o plano da grande via auxiliar a Av. Humaitá-Glória ( http://www.rioquepassou.com.br/2007/08/06/pa-de-botafogo-1951/ ) foi executado já no EGB onde galerias pluviais gigantescas com mais de 2 metros de  diâmetro foram instaladas a partir da Rua Real Grandeza até a Praia de Botafogo resolvendo em parte os problemas de inundação da região.

A foto é curiosa pois mostra na frente a esquina com a Rua D. Mariana e Malta faz uma anotação meio apagada no pé direito da imagem ressaltando o terreno vago que vemos. No quarteirão seguinte as casa térreas cercam um dos distritos de água  mais antigos da cidade, além de mais da metade do quarteirão ocupado por colégios e instalações púbicas, uma área enorme como era característica da City. Mas o prédio do distrito é flertando como Déco e as casas térreas não parecem ser instalações da City, será que Malta se referia aos imóveis a frente como “terreno” e não a área vazia que vemos em primeiro plano ?????

Como acredito que a numeração da via ainda permaneça a mesma quase 100 anos depois dessa imagem coloco esse link de um ângulo muito parecido de como está o local hoje http://migre.me/53BzA